SRZD



Ticiana Farinchon

Ticiana Farinchon

SERIADOS DE TV. Formada em Jornalismo pela Facha, cursa pós graduação em Mídias Digitais. Apaixonada por tecnologia e cultura, tem nos seriados de TV seu maior vício, acompanhando em tempo real tudo o que acontece neste fascinante universo.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



27/11/2015 10h23

Scandal: o adeus ao White Hat
Ticiana Farinchon

Escrever sobre sua série favorita nunca foi das tarefas mais fáceis. Ainda mais quando você não possui elementos suficientes para identificar o rumo que a trama está tomando.

Por este motivo, este post sobre o retorno de Scandal demorou tanto a sair...

Somente agora, depois de assistir à primeira leva de episódios - a série entrou em hiato e só retorna em fevereiro -, me senti segura pra opinar. E pra elogiar.

Scandal. Foto: Divulgação

ATENÇÃO! SPOILERS!

Depois de uma quarta temporada morna - mas necessária para definir de vez alguns personagens - começamos este quinto ano focados nos dois arcos que mais me agradam na trajetória de Olivia Pope. Seu relacionamento com o presidente Fitz e os bastidores da política americana. E, como protagonista de ambos, a melhor personagem da série: Mellie Grant.

Não quero entrar muito em detalhes pra não estragar a surpresa de quem não viu ainda, mas Bellamy Young está mais diva do que nunca.

Sua atuação política é digna de efusivos aplausos, assim como sua postura diante dos desdobramentos do triângulo amoroso mais descarado da série.

Joe Morton, o Papa Pope, e Jeff Perry, com o amado mais odiado do mundo Cyrus também são destaques nesta temporada que já teve mais reviravoltas que novela do Aguinaldo Silva. Outro ponto que muito me agradou neste início de saga foi ver o presidente dos Estados Unidos agindo da maneira como o cargo realmente lhe exige - não só em assuntos políticos, mas também em relação à sua vida social. Fitz finalmente tomou pra si decisões difíceis, e em certo ponto até polêmicas. Não deixou de ser totalmente o fantoche que nos acostumamos a acompanhar, mas deixou, pelo menos, uma luz no fim do túnel de que isso pode ter fim um dia.

Com o casal Fitz e Olivia exposto para o mundo, muitas arestas tiveram que ser aparadas, e as situações geradas abriram novas pontas não só no âmbito político, mas principalmente na definição dos reais propósitos (e sentimentos) de quase todos os personagens do cenário principal da série. Jake, Cyrus, Mellie, e obviamente os novos "pombinhos da América" passam, nestes episódios iniciais, por diversas situações que mostram várias facetas de suas personalidades. Algumas, inclusive, definitivas para o futuro da trama e para uma mudança de perspectiva do público da série, que vai passar a olhar a protagonista com todas as suas nuances, e não somente como "a defensora dos pobres e oprimidos", como ela era tratada até então.

Sim, leitores e fãs, Olivia Pope é muito mais complexa do que achávamos. E isso adicionou, sem dúvida, a Scandal, a pitada que faltava para que voltássemos a amar a série!


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.