SRZD


30/11/2015 13h40

Mocidade anuncia novo 2º casal para 2016
Redação SRZD

A Mocidade Independente de Padre Miguel definiu na madrugada deste domingo o seu segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira. Diego Machado e Elaine Santos foram os vencedores do concurso que reuniu 17 casais e teve início há três semanas.

Novo 2º casal da Mocidade. Foto: Eduardo Hollanda

Eles se uniram para participar da competição e ensaiaram duro para ganhar entrosamento a tempo e agradar os julgadores. A missão foi cumprida com êxito e já estão integrados ao corpo de profissionais da agremiação.

"Pretendemos conduzir esse trabalho com muita humildade, hombridade e responsabilidade. Vamos nos dedicar bastante. Era um sonho retornar para a Mocidade, que é a minha escola de coração. Essa parceria com o Diego é nova, mas já estou muito feliz. É uma pessoa amiga, de muito caráter e sempre disposta a ajudar", afirmou Elaine, que dançou por quatro anos na Mocidade e passou por Lins Imperial, Unidos da Ponte, Império da Tijuca, Acadêmicos do Dendê e Acadêmicos de Vigário Geral, além de passagens por carnavais de outras cidades.

Primeiro mestre-sala da Unidos de Vila Isabel no último carnaval, Diego Machado é uma espécie de ??bicho-papão?? de concurso entre casais. Esta é a terceira vitória dos quatro em que participou. Mesmo já tendo defendido o primeiro pavilhão no Grupo Especial em duas ocasiões - também no Império Serrano em 2009 -, ele não vê nenhum problema em se submeter a competições internas.

"Achei o concurso muito bem organizado e tudo muito respeitoso com todo mundo que participou. Não tenho essa vaidade de não entrar em concurso. Muitas vezes o nosso ego nos impede de perceber boas oportunidades que surgem. Quero seguir o meu trabalho na Mocidade. Fico muito feliz de fazer parte da escola. Não esperava desfilar este ano e a ficha ainda está caindo", conta Diego.

Além de Império e Vila, o mestre-sala dançou no Arranco do Engenho de Dentro, Acadêmicos do Cubango e Tradição. Ele revelou entusiasmo ao se dar conta que reencontraria na verde e branca três pessoas com as quais nutre amizade e simpatia: o primeiro casal, Diogo Jesus e Cristiane Caldas, e o coreógrafo da dupla, Bonifácio Junior.

Foto: Eduardo Hollanda

"Vamos formar uma grande família. Adoro os três e estou empolgado com a nossa convivência. Sempre trocar ideias e aprender bastante nos ensaios", afirmou.

O amor de Elaine pela Mocidade Independente pode ser medido pelo sacrifício que fez para poder cumprir suas obrigações enquanto segunda porta-bandeira na última passagem. A trabalho, o marido dela foi transferido para a cidade de Casemiro de Abreu. Diante disso, precisou mudar-se para São João da Barra, distante cerca de 400 km da antiga quadra da Estrela Guia.

"A Mocidade é realmente a minha escola. Dançar como porta-bandeira na minha vida é hobbie, mas quando é para a Mocidade é tudo diferente. Viajava sempre para o Rio para cumprir a agenda de ensaios e shows que precisava estar presente", contou.

Os donos do segundo pavilhão independente ensaiarão sob comando do coreógrafo Bonifácio Junior e participarão dos ensaios e eventos da agremiação.

- Clique aqui e leia tudo sobre o Carnaval carioca

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Veja mais sobre:MocidadeCarnaval 2016

Comentários
  • Avatar
    04/12/2015 18:56:14Almir Da Silva LimaMembro SRZD desde 21/11/2014

    Reproduzo aqui o meu comentário em outro site, o qual publicou a notícia: ´Mocidade Independente quer o Diretor Social da LIESA & comandante da apuração Jorge Perlingeiro em sua última alegoria´. A notícia reflete o movimento de duas alternativas que ocorre na sociedade e pretende o impeachment da presidenta por ela comandar incoerente & mau governo de colaboração com partidos burgueses. Uma alternativa de tal movimento objetiva pôr na presidência o vice que é do maior partido burguês do país. A outra seria ainda pior, o retrocesso da volta da direita tucana ao poder. Já o objetivo da Mocidade Independente nessa notícia é bizarro. O que é causado pela submissão da comunidade e da própria agremiação ao comando de um presidente de ´honra´ que não é sambista-verdadeiro. Mas, sim contraventor penal do jogo de bicho e ou integrante de máfias como a do bingo e das máquinas caça-níqueis. Estariam a comunidade e a Mocidade Independente pretendendo o quê com isso? Que o Diretor Social e comandante da apuração do Grupo Especial do Carnaval Carioca aja como ´a raposa tomando conta do galinheiro´? Além de ´suspeito´ e mudado em 25 membros, o quadro de julgadores da LIESA conta com arcaico sistema de dar notas manualmente e que são lidas pelo Diretor Social do órgão durante a apuração. Não há as imprescindíveis transparência e ética de entregar simultaneamente à imprensa as justificativas das notas na hora da leitura das mesmas. Será que com essa notícia a Mocidade Independente pretenderia que o Diretor Social da LIESA, depois de ele desfilar sobre um carro alegórico da própria agremiação, que o mesmo leia notas máximas?! Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

  • Avatar
    04/12/2015 18:56:13Almir Da Silva LimaMembro SRZD desde 21/11/2014

    Reproduzo aqui o meu comentário em outro site, o qual publicou a notícia: ´Mocidade Independente quer o Diretor Social da LIESA & comandante da apuração Jorge Perlingeiro em sua última alegoria´. A notícia reflete o movimento de duas alternativas que ocorre na sociedade e pretende o impeachment da presidenta por ela comandar incoerente & mau governo de colaboração com partidos burgueses. Uma alternativa de tal movimento objetiva pôr na presidência o vice que é do maior partido burguês do país. A outra seria ainda pior, o retrocesso da volta da direita tucana ao poder. Já o objetivo da Mocidade Independente nessa notícia é bizarro. O que é causado pela submissão da comunidade e da própria agremiação ao comando de um presidente de ´honra´ que não é sambista-verdadeiro. Mas, sim contraventor penal do jogo de bicho e ou integrante de máfias como a do bingo e das máquinas caça-níqueis. Estariam a comunidade e a Mocidade Independente pretendendo o quê com isso? Que o Diretor Social e comandante da apuração do Grupo Especial do Carnaval Carioca aja como ´a raposa tomando conta do galinheiro´? Além de ´suspeito´ e mudado em 25 membros, o quadro de julgadores da LIESA conta com arcaico sistema de dar notas manualmente e que são lidas pelo Diretor Social do órgão durante a apuração. Não há as imprescindíveis transparência e ética de entregar simultaneamente à imprensa as justificativas das notas na hora da leitura das mesmas. Será que com essa notícia a Mocidade Independente pretenderia que o Diretor Social da LIESA, depois de ele desfilar sobre um carro alegórico da própria agremiação, que o mesmo leia notas máximas?! Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

Comentar