SRZD


06/01/2016 10h00

Ranking das baterias das escolas de samba nos últimos anos
Claudio Francioni

Feliz ano novo, povo do Carnaval! Entro em 2016 repetindo a pergunta de alguns anos atrás: qual a melhor bateria da atualidade?

Difícil, não? Numa época em que a técnica se sobrepõe à emoção (assunto para outro texto) e onde as baterias têm alcançado um nível de excelência altíssimo, lá vou eu novamente recorrer à média das notas obtidas nos desfiles, assim como fiz há alguns anos. 

A metodologia é simples. Todas as notas dos últimos cinco anos (2011 a 2015) divididas pelo número de julgadores. O resultado não surpreende. O que se vê nessa tabela abaixo coincide com os papos informais sobre o assunto, tirando uma ou outra distorção.

- Ranking dos casais de mestre-sala e porta-bandeira nos últimos anos

Ranking das baterias de escolas de samba. Foto: SRZD

Observações e curiosidades:

- considerando o mesmo ranking do ano passado, a Portela foi a bateria que deu o maior salto, pulando do oitavo para o quinto lugar.

- Salgueiro, Vila Isabel e São Clemente ganharam duas posições cada. A bateria da escola tijucana saltou do quinto para o terceiro posto. Já a de Mestre Wallan foi do nono para o sétimo lugar. E a Fiel Bateria galgou da décima segunda para a décima posição, impulsionada pelas quatro notas 10 de 2015.

- A Imperatriz Leopoldinense, que neste ano levou Mestre Lolo (ex-Curicica) para tentar resolver suas deficiências, foi a escola que mais perdeu posições: três no total, caindo do sexto para o nono lugar. A Grande Rio caiu duas posições, indo do quarto para o sexto lugar.

- É interessante observar o abismo entre as notas das escolas consolidadas no Grupo Especial e aquelas que sobem do Acesso. Inocentes de Belford Roxo, Império da Tijuca, Renascer de Jacarepaguá e Unidos do Viradouro são as quatro últimas colocadas no ranking com grande diferença para as demais. Será que na prática a diferença é tão grande assim? Estas quatro escolas participaram de apenas um desfile nestes cinco anos.

- Mangueira e Imperatriz empataram no oitavo lugar. Como critério de desempate, considerei a quantidade de notas máximas. A verde e rosa obteve nove notas 10 enquanto a escola de Ramos conseguiu cinco. Já no empate do décimo quarto lugar, Império da Tijuca e Inocentes de Belford Roxo obtiveram as mesmas quatro notas: 9,6/9,7/9,7/9,9. Por isso, não houve desempate.

- A Porto da Pedra, mesmo estando há três anos na Série A, se mantém entre as primeiras colocadas, fruto do bom trabalho de Mestre Thiago Diogo (hoje na Grande Rio) nos anos de 2011 e 2012.

- Beija-Flor, Portela, Salgueiro, São Clemente e Unidos da Tijuca não trocaram o comando de suas baterias durante os cinco anos.

- Unidos da Tijuca recebeu dezoito notas 10 em vinte e uma possíveis. Apenas duas notas 9,9 (em 2012 e 2013) e um 9,8 (2011) separaram a escola tijucana da pontuação máxima.

- Clique aqui e leia tudo sobre o Carnaval carioca

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Veja mais sobre:Carnaval 2016

Comentários
  • Avatar
    07/01/2016 11:12:50Almir Da Silva LimaMembro SRZD desde 21/11/2014

    Confrontarei o ranking do blogueiro Cláudio Francioni que é músico & foi mestre de bateria, a entrevista do comandante/maestro regente da bateria/orquestra Pura Cadência da Unidos da Tijuca mestre Casagrande à coluna ´Por dentro do ritmo´ do jornalista Rodrigo Coutinho que foi ritmista e o Estandarte de Ouro de O Globo. Segundo essa premiação, as baterias/orquestras do Império Serrano ´Sinfônica do Samba´ (1982, 83, 87, 94, 97, 2002, 04, 07 e 09) e a do Salgueiro ´Furiosa´ (1973, 75, 84, 93, 98, 2000, 03, 08 e 14) ambas nove vezes são as mais laureadas. O saudoso mestre Louro quando regeu a ´Furiosa´ foi o mais agraciado, seis vezes. Seriam sete caso não tivesse se desentendido com a direção salgueirense antes do desfile em 1984. A da Portela ´Tabajara do Samba´ (1972, 86, 2010, 2012 e 2013) e a da Mocidade Independente ´Não Existe Mais Quente´ (1974, 76, 91, 92 e 2001) são as vices campeãs. Atualmente mestre Nilo Sérgio é o maior agraciado, três vezes, junto com mestre Átila ex ´Sinfônica do Samba´ e mestre Paulão ex ´BaterIlha´. Já o ranking do citado blogueiro é a média das notas dos julgadores da LIESA de 2011 a 2015, o qual aponta a bateria/orquestra ´Pura Cadência´ comandada/regida pelo mestre/maestro regente Casagrande como a melhor. Provável e justamente por isso mestre Casão, conforme é conhecido na intimidade, foi entrevistado. Já as baterias/orquestras que mais ´agradam´ ou digamos as seis ´campeãs´ para este escrevinhador são: a Não Existe Mais Quente, a Tabajara do Samba, a Sinfônica do Samba, a Furiosa, a ainda sem auto denominação-marketing da Beija Flor e a Ritmo Feroz (Porto da Pedra). Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

Comentar