SRZD



Martha Imenes

Martha Imenes

NEGÓCIOS E VARIEDADES. Jornalista formada há mais de 15 anos com atuação em jornais impressos de tiragem diária e apaixonada pelo mundo virtual. Atualmente, editora da MI Comunicação Integrada, responsável pela Conta-Gotas, espaço em mídias sociais no Instagram, Facebook e Twitter, onde são abordados diversos temas de forma leve, entre eles ações de pequenas, grandes e médias empresas, empreendedorismo, lançamento de produtos e serviços, além de dicas de cultura, lazer, moda e entretenimento. Boas ações sempre merecem destaque!

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



14/03/2016 10h14

GEN lança livro Sala da aula invertida - uma metodologia ativa de aprendizagem
Martha Imenes

Estudiosos da área de educação defendem há décadas que um outro tipo de ensino é possível, no qual o aluno é o protagonista e aprende de forma mais autônoma, com o apoio de tecnologias. O GEN (Grupo Editorial Nacional), através da Editora LTC, lança no Brasil o livro "Sala de Aula Invertida - Uma Metodologia Ativa de Aprendizagem", dos autores e criadores do método Jonathan Bergmann e Aron Sams, com tradução de Afonso Celso da Cunha. A chamada "metodologia ativa" ou "sala de aula invertida" é uma forte tendência de ensino reconhecida e aplicada nas melhores universidades do mundo e que está chegando rapidamente às instituições brasileiras.
Tudo começou quando os autores Jonathan Bergmann e Aaron Sams criaram o livro "Flip Your Classroom", publicado inicialmente nos EUA e traduzido na Itália, França, Espanha, Dinamarca, México, China, Japão, Coreia do Sul, entre outros, e que agora chega ao Brasil.
Ao longo de gerações, o perfil e a forma de assimilar os conteúdos por parte dos estudantes foram se modificando completamente. E o conceito de "sala de aula" passa por transformações para continuar atendendo às necessidades e expectativas dos alunos. O processo educativo que se baseia na "sala de aula invertida" consiste na utilização de recursos atuais como áudio, vídeo, internet e outras ferramentas interativas, que favorecem o empenho e a participação do estudante durante os ensinamentos.
"O aluno estuda os conteúdos básicos antes da aula, com vídeos, textos, arquivos de áudio, games e outros recursos. O encontro presencial, em sala de aula, com o professor, passa a ser a oportunidade para esclarecer dúvidas, realizar atividades, trocar conhecimentos e fixar a aprendizagem", explica a diretora do GEN Educação e doutora em educação Andrea Ramal.
No livro, esse conceito é explicado a partir de experiências realizadas pelos autores. Com a gravação de palestras para trabalhos de casa, eles perceberam que houve uma compreensão mais profunda por parte de seus estudantes, o que, segundo eles, nunca aconteceu com o sistema tradicional de ensino. Daí surgiu toda a concepção dessa nova proposta de aprendizagem e a estrutura da obra.
A metodologia também é reconhecida e utilizada por algumas das mais importantes instituições de ensino como o MIT (Massachusetts Institute of Technology), Universidade de Michigan e a Universidade de Harvard. O método é adotado ainda em escolas da Finlândia e vem sendo testado em países de alto desempenho em educação, como Singapura, Holanda e Canadá. "Em Harvard, por exemplo, nas classes de cálculo e álgebra, os alunos inscritos em aulas invertidas obtiveram ganhos de até 79% a mais na aprendizagem do que os que cursaram o ensino tradicional", afirma Andrea.
No livro, que será lançado dia 17, o leitor terá acesso à evolução de uma pesquisa empreendida pelos autores, com os resultados positivos e negativos de toda essa experiência. O livro-texto apresenta muito mais do que um olhar filosófico; oferece a descrição e o passo a passo para implementar a "sala de aula invertida".


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.