SRZD



Laíla

Laíla

CARNAVAL. Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o Laíla, nasceu em 1943, no Morro do Salgueiro, situado na Tijuca, no Rio. Foi lá que o hoje renomado Diretor de Carnaval e Harmonia teve seu primeiro contato com o samba e o Carnaval, e onde criou, nos anos 50, uma Escola de Samba Mirim, chamada Independentes da Ladeira, que foi um grande sucesso na época, funcionando como espécie de trampolim para o convite feito pelo Acadêmicos do Salgueiro. Líder nato e apaixonado por seu trabalho, Laíla acumulou profundos conhecimentos harmônicos e melódicos ao longo dos seus 54 anos de atividade; tendo trabalhado, ainda, como cantor, músico e compositor. A primeira junção de sambas-enredo foi feita por Laíla, em 1975, em "As Minas do Rei Salomão"; e de lá para cá, todas as junções de sambas-enredo feitas por ele, nas diversas escolas por onde passou, foram sucesso. Há 45 anos trabalha como produtor do CD de sambas-enredo das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, e há 26 é o Diretor Geral de Carnaval e Harmonia da Beija-Flor de Nilópolis, onde criou, em 1997, a vitoriosa Comissão de Carnaval da Agremiação.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



21/03/2016 14h41

Videoblog: Laíla opina sobre os gastos excessivos nas disputas de sambas
Redação SRZD

Em tempo de divulgação de temas de enredo, sinopses e pré-temporada para inscrição de sambas para as disputas, o SRZD-Carnaval traz a opinião de Laíla, diretor de Carnaval da Beija-Flor e videoblogueiro do portal, acerca dos altos gastos dos compositores com esta fase.

Foto: SRZD-Rodrigo Trindade

Laíla comenta de que forma foi a disputa na Beija-Flor em 2015, visando o Carnaval 2016, e critica: "A largada das disputas já começa com fogos, bandeira, ônibus, churrasco. Depois dizem que as escolas é que encarecem o concurso". Confira o vídeo:

- Clique e confira outros vídeos gravados com o blogueiro Laíla

- Clique aqui e leia tudo sobre o Carnaval carioca

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?



Comentários
  • Avatar
    26/03/2016 09:39:51josé barbosaMembro SRZD desde 31/08/2010

    grandes compositores estam de fora de disputas de samba por falta de capital e os que estão ostentam,com grandes interpretes ou varios,tem palco de 3.000,00 por apresentação até mais fica dificil.

  • Avatar
    21/03/2016 17:38:46Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Comentarei e serei propositivo sobre a crítica de um dos comandantes da bateria/orquestra nota 10 a ´Poderosa´ da Beija Flor (BF), mestre Rodney às injustas duas notas 9,9 dadas pelos suspeitos julgadores da LIESA e a afirmação do diretor geral de Harmonia & Carnaval da BF, mestre Laíla de que são os próprios compositores que encarecem as disputas de sambas. Estas disputas urgem tornarem-se transparentes a partir da fase eliminatória até a final em relação aos anúncios dos sambas concorrentes que vão se classificando e o que se tornar o samba-enredo oficial. Na hora de tais anúncios as justificativas dos eliminados e não-vencedores ou não-vencedor e do próprio vencedor tem que ser passadas à imprensa. Essa transparência tem que passar a existir nas disputas de sambas das agremiações de todos os grupos/séries. Isso, para que possam exigir a mesma transparência às ligas que são LIESA, LIERJ, LIESB e Associação Cultural Samba é Nosso (ACSN) em relação às justificativas das notas dadas pelos julgadores. Isto é, na hora das leituras das notas simultaneamente as justificativas inclusas as notas 10 têm que entregues à imprensa. A transparência nas escolhas em quadra dos sambas-enredo com o consequente fim dos sambas encomendados e nas apurações dos resultados dos desfiles apresentado pelas escolas de samba democratizarão e baratearão tais escolhas e ajudarão inestimavelmente a resolver as injustiças nas notas dadas pelos julgadores conforme as criticadas com razão por mestre Rodney. Depois de injustiçada a muitos anos a bateria/orquestra nota 10 a ´Poderosa´ da BF finalmente em 2016 obteve cinco premiações enquanto a melhor do ano, inclusive a mais tradicional que é o Estandarte de Ouro. Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

  • Avatar
    21/03/2016 17:38:45Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Comentarei e serei propositivo sobre a crítica de um dos comandantes da bateria/orquestra nota 10 a ´Poderosa´ da Beija Flor (BF), mestre Rodney às injustas duas notas 9,9 dadas pelos suspeitos julgadores da LIESA e a afirmação do diretor geral de Harmonia & Carnaval da BF, mestre Laíla de que são os próprios compositores que encarecem as disputas de sambas. Estas disputas urgem tornarem-se transparentes a partir da fase eliminatória até a final em relação aos anúncios dos sambas concorrentes que vão se classificando e o que se tornar o samba-enredo oficial. Na hora de tais anúncios as justificativas dos eliminados e não-vencedores ou não-vencedor e do próprio vencedor tem que ser passadas à imprensa. Essa transparência tem que passar a existir nas disputas de sambas das agremiações de todos os grupos/séries. Isso, para que possam exigir a mesma transparência às ligas que são LIESA, LIERJ, LIESB e Associação Cultural Samba é Nosso (ACSN) em relação às justificativas das notas dadas pelos julgadores. Isto é, na hora das leituras das notas simultaneamente as justificativas inclusas as notas 10 têm que entregues à imprensa. A transparência nas escolhas em quadra dos sambas-enredo com o consequente fim dos sambas encomendados e nas apurações dos resultados dos desfiles apresentado pelas escolas de samba democratizarão e baratearão tais escolhas e ajudarão inestimavelmente a resolver as injustiças nas notas dadas pelos julgadores conforme as criticadas com razão por mestre Rodney. Depois de injustiçada a muitos anos a bateria/orquestra nota 10 a ´Poderosa´ da BF finalmente em 2016 obteve cinco premiações enquanto a melhor do ano, inclusive a mais tradicional que é o Estandarte de Ouro. Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

Comentar