SRZD


21/03/2016 17h07

Cubango: 'Sigo firme e já tenho belas propostas de enredo', comemora Cid Carvalho
Rodrigo Trindade

O carnavalesco Cid Carvalho comemora sua renovação de contrato com a Acadêmicos do Cubango, agremiação de Niterói que desfila pela Série A do Rio de Janeiro. Em 2016, a verde e branca deu "Um banho de mar à fantasia" na Marquês de Sapucaí, com um desfile alegre e colorido: falou da importância da água para a vida, abordando as mitologias do índio, do branco e do negro quanto ao surgimento e aos mistérios deste precioso bem. Conquistou o sexto lugar pelo olhar do júri.

Cid Carvalho. Foto: SRZD-Rodrigo Trindade

Em bate-papo com o SRZD-Carnaval, Cid falou da renovação com a Cubango para 2017: "Continuo Cubango firme e forte! Logo após o desfile, o presidente da escola (Olivier Pelé) me procurou e me propôs permanecer. Ele pretende tentar fidelizar os profissionais que trabalham na Cubango. Quer parar com esse troca-troca", revelou.

Sobre as propostas de enredo, o artista afirmou que há autorais e patrocinados. "Temos enredos fortes, sob o aspecto cultural. Um deles é autoral, um verdadeiro enredão. Também estamos analisando outros temas, até mesmo patrocinados. Se pintar a parceria, será, também, outro grande enredo". O carnavalesco também afirmou que temática afro está fora de cogitação.

'Defendo um julgamento mais justo', pede Cid Carvalho

Quanto ao desfile de 2016, ele fez uma análise e demonstrou insatisfação com o sexto lugar da Cubango: "A escola foi muito penalizada onde outras foram beneficiadas. Não gosto de analisar julgamento, ainda mais quando ele é injusto. Mas tem horas que temos que destacar que a coisa tem que ser mais profissional. Foi um desfile grandioso, com uma abertura grandiosa e muito forte, mas é claro que cometemos falhas e iremos corrigir isso. Estamos analisando os erros, os próprios defeitos para corrigir tudo para 2017. Mas ainda assim eu defendo um julgamento mais justo. Senão, fica ruim para o espetáculo", desabafou.

Foto: SRZD-Rodrigo Trindade

Acerca da questão financeira da Cubango, Cid comemora: "A Cubango tem uma vantagem: ela não deve a ninguém. Diante de um cenário em que tantas escolas estão endividadas, a Cubango é uma das exceções. Não terá um orçamento gigante, mas é uma escola enxuta, bem administrada e que, mais uma vez, fará um Carnaval rico para disputar o título", enfatizou o artista em entrevista ao SRZD-Carnaval.

Foto: SRZD-Rodrigo Trindade

- Clique aqui e saiba tudo sobre o Carnaval carioca

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Veja mais sobre:CubangoCarnaval 2017

Comentários
  • Avatar
    23/03/2016 15:59:22Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Enquanto torcedor-amante da Portela e simpatizante da Cubango a qual espero que ascenda da Série A para o Grupo Especial do Carnaval Carioca em 2017 comentarei sobre a declaração do presidente cubanguense Luciano Olivier o Pelé concitando a agremiação e a comunidade a renascerem das cinzas. E acerca do que falou o carnavalesco Cid Carvalho sobre o tipo ou concepção filosófica do enredo 2017. Com todo respeito ao presidente cubanguense, discordo do simbolismo da expressão ´renascer das cinzas´ por ele utilizada como palavra-de-ordem. A Cubango não está nem nunca esteve ´nas cinzas´, apesar de no Carnaval 2015 ter ficado na 4ª colocação e em 2016 ter retrocedido duas posições na tabela, acabando no 6° lugar. Não é por isso nem por ter perdido o comandante da bateria Ritmo Folgado, mestre Maurão, que se bandeou para a vizinha vermelho-branco e o coreógrafo da Comissão Frente (CF), Márcio Moura que optou pela agremiação do saudoso sambista Ismael Silva. A comunidade e a Cubango conforme disse o enredo 2015 são a realeza africana de Niterói, um celeiro de bambas. Assim como o jovem intérprete oficial Hugo Junior foi um achado enquanto prata da casa, com certeza, o mesmo pode ocorrer em relação aos cargos de mestre da bateria Ritmo Folgado e de coreógrafo da CF. Ou, então fazer as contratações após garimpagens no chamado mercado do mundo do samba. Por último, tem razão o bom e vitorioso, mesmo que somente à época da Beija Flor, carnavalesco Cid Carvalho quando concebe que o enredo 2017 da Cubango será patrocinado e sem abrir mão de que tenha excelência na qualidade. Talento para isso o carnavalesco tem. Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

  • Avatar
    23/03/2016 15:59:22Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Enquanto torcedor-amante da Portela e simpatizante da Cubango a qual espero que ascenda da Série A para o Grupo Especial do Carnaval Carioca em 2017 comentarei sobre a declaração do presidente cubanguense Luciano Olivier o Pelé concitando a agremiação e a comunidade a renascerem das cinzas. E acerca do que falou o carnavalesco Cid Carvalho sobre o tipo ou concepção filosófica do enredo 2017. Com todo respeito ao presidente cubanguense, discordo do simbolismo da expressão ´renascer das cinzas´ por ele utilizada como palavra-de-ordem. A Cubango não está nem nunca esteve ´nas cinzas´, apesar de no Carnaval 2015 ter ficado na 4ª colocação e em 2016 ter retrocedido duas posições na tabela, acabando no 6° lugar. Não é por isso nem por ter perdido o comandante da bateria Ritmo Folgado, mestre Maurão, que se bandeou para a vizinha vermelho-branco e o coreógrafo da Comissão Frente (CF), Márcio Moura que optou pela agremiação do saudoso sambista Ismael Silva. A comunidade e a Cubango conforme disse o enredo 2015 são a realeza africana de Niterói, um celeiro de bambas. Assim como o jovem intérprete oficial Hugo Junior foi um achado enquanto prata da casa, com certeza, o mesmo pode ocorrer em relação aos cargos de mestre da bateria Ritmo Folgado e de coreógrafo da CF. Ou, então fazer as contratações após garimpagens no chamado mercado do mundo do samba. Por último, tem razão o bom e vitorioso, mesmo que somente à época da Beija Flor, carnavalesco Cid Carvalho quando concebe que o enredo 2017 da Cubango será patrocinado e sem abrir mão de que tenha excelência na qualidade. Talento para isso o carnavalesco tem. Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

Comentar