SRZD


28/03/2016 20h05

Bar em Tóquio faz da música brasileira sua atração maior
Redação SRZD*

Reconhecido e consagrado para quem gosta de samba, chorinho, forró e MPB, o Bar e Restaurante Alvorada é um dos mais importantes divulgadores da cultura brasileira em Tóquio. Localizado no bairro de Kichijoji (equivalente ao Méier, no Rio de Janeiro), o espaço é administrado por Shuji Kurosawa, empresário japonês que toca cavaquinho, pandeiro, canta sambas em português e é um mestre da cozinha verde e amarela. A moqueca servida no Alvorada é muito elogiada.

Quando tinha 20 anos, Shuji era universitário e gostava de rock. Certa vez, estressado e cansado do trabalho na revista onde era editor, parou para comer algo e ouviu uma música tocada pela representante maior da Bossa Nova no Japão, a cantora e compositora Lisa Ono. Se interessou pela música e começou a comprar CDs, principalmente de Tom Jobim. Em 1999, Shuji largou o trabalho na revista e foi visitar o Brasil. Passou os meses de janeiro e fevereiro de 2000 no país e ficou impressionado com o que viu. Ao voltar ao Japão conseguiu emprego em um restaurante. Ali, Shuji viu sua chance de colocar em prática o que havia aprendido no país latino-americano e começou a cozinhar alguns pratos da culinária brasileira. Em 2003, comprou o restaurante, mudou o nome do local, fundando assim o Alvorada, no dia 7 de setembro 2004.

Fotos: Divulgação

Ele lembra que foi difícil fazer o Alvorada funcionar porque queria oferecer música ao vivo, mas "não conhecia ninguém que tocava música brasileira no Japão e também não entendia nada de equipamento de som". "Aos poucos fui aprendendo e montei uma rede de amigos que hoje tocam aqui", conta Shuji.

A decoração do Alvorada é 100% brasileira, com bandeiras, posters, garrafas de bebidas brasileiras e motivos com as cores da bandeira do Brasil. Durante todo o an, o bar e restaurante apresenta shows de grupos formados por japoneses e brasileiros, que tocam do xaxado ao chorinho. O local também abre as portas para palestras sobre o Brasil, o samba, a bossa nova, para transmissão de partidas de futebol e competições esportivas, em telão. No final do ano passado, quando o Brasil e o Japão comemoram 100 Anos do Tratado de Amizade, o Alvorada recebeu "Diploma de Agradecimento" do Consulado do Brasil em Tóquio pelos 12 anos de divulgação da cultura brasileira no país. "Para mim foi um reconhecimento muito importante", revela o empresário, que pendurou o "Diploma" em lugar de honra no estabelecimento.

No menu são encontrados os principais pratos da culinária brasileira apreciados pelo paladar japonês, além de salgadinhos e pastéis. Destaque para as moquecas. Caipirinha, batidas e cachaças também são servidas no local.

Foto: Divulgação

Shuji é fã de Zeca Pagodinho, João Nogueira, Fundo de Quintal, Jorge Aragão, Paulinho da Viola e Seu Jorge. Como muitos japoneses, torce por mais de uma escola de samba: Portela, Beija-Flor e Viradouro são as preferidas do cavaquinista.

Anualmente, em setembro, para comemorar o mês da Independência do Brasil e do seu aniversário de fundação, o Alvorada realiza a "Semana do Brasil", com shows gratuitos de música brasileira. A festa de abertura acontece no Parque Inogashira e também é gratuita.

Shuji e o Alvorada são provas da força de atração da cultura brasileira. Mesmo no mais longíquo subúrbio de Tokyo, do outro lado do mundo, nossa música e culinária fascinam.

*Marcello Sudoh é colaborador do SRZD-Carnaval no Japão

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 


Veja mais sobre:CarnavalJapão

Comentários
Comentar