SRZD



Nyldo Moreira

Nyldo Moreira

TEATRO E MÚSICA. Jornalista, especializado em cultura e economia. Ator e autor de peças de teatro. Apresentou-se cantando ao lado de artistas, mas não leva isso muito a sério. Pratica a paixão pela música em forma de textos e críticas. Como diretor, esteve a frente de dois curtas, um deles que conta a vida no teatro. 

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



11/04/2016 13h10

Enterro no Augusta, cinco de Edu Martini, Miúcha e o encontro de Salmaso, Fabiana Cozza e Ceumar
Nyldo Moreira

Acabou, mas vale remontar: "Diga que você já me esqueceu"

Encerraram-se as apresentações da peça "Diga que você já me esqueceu", no Teatro Augusta, em São Paulo. O texto e a direção de Dan Rosseto acertam e erram ao mesmo tempo, é o risco de assinar as duas funções. Dizem que o espetáculo explora o universo de Nelson Rodrigues, mas acredito que apenas dá "bicadas". É muito complicado comparar qualquer coisa a Nelson Rodrigues, onde tudo é muito bem aplicado. "Diga que você já me esqueceu" é um bom espetáculo, sem dúvidas, é um tanto claustrofóbico e atordoante, por sua atmosfera mórbida. O roteiro gira em torno de um casamento e um enterro na mesma família, são inúmeras tragédias bem desenhadas em diálogos e interpretações. Todas as interpretações são bem dirigidas. O espetáculo começa antes mesmo do público entrar e os atores mantém-se no palco durante a entrada das pessoas. A iluminação é muito bem praticada e o figurino impecável. Há alguns trechos da peça que tornam-se desnecessários, diálogos e explicações demais para desenrolar a história. E o final da peça não agrada. O início é muito, mas muito melhor! Isso é um erro gravíssimo! Destaque para a interpretação impecável de Ângela Figueiredo. No elenco, Adriano Toloza, Luciana Garcia, Pedro Bosnich, Renata Maia, Thalyta Medeiros, Thais Boneville e Tiago Pessoa. Cenário super funcional de Alcides Peixe e a incrível e memorável trilha sonora pesquisada pelo próprio Dan Rosseto. Espetáculo que vale ser remontado, com cuidado aos excessos, sobretudo de diálogos desnecessários.

Mulheres de 90. Super encontro entre Mônica Salmaso, Ceumar e Fabiana Cozza

No último final de semana o Sesc Vila Mariana, em São Paulo, promoveu um encontro delicioso entre cantoras que alavancaram suas carreiras na década de 90 e estão ai até hoje. Mônica Salmaso, Ceumar e Fabiana Cozza completam seus timbres, unem a diferença de seus repertórios e tornam a coisa mais linda que assisti essa semana. Lívia Nestrowiski e Fred Ferreira assinam a direção do show. Lívia dividiu uma canção com Mônica, mas seu timbre é um pouco distante das aveludadas e acariciadas vozes do trio de 90. O deleite mais carnal do espetáculo ficou na interpretação de Fabiana Cozza, que sozinha cantou "Canto de Ossanha", de Baden e Vinícius. Uma cantora enorme emergiu das vísceras da intérprete de vasto repertório do samba. Mônica e Ceumar também deram o sangue nas interpretações solo e de fato são imensos fenômenos da música contemporânea. As canções saíram do repertório das próprias cantoras. A "Gírias do Norte", canção de Jacinto Silva e Onildo Almeida, incendiou o público na voz de Ceumar. E o "Canto pra Xangô", também de Baden e Vinícius, embelezou-se sublime na voz de Salmaso. O Sesc Vila Mariana sempre com uma agenda disputadíssima pelo público e um teatro de acústica maravilhosa.

Foto: Nyldo Moreira

Eduardo Martini estreia entre várias estreias

Com cinco peças em cartaz, o ator e diretor Eduardo Martini estreou a comédia "O Filho da Mãe", texto de Regiana Antonini dirigido pelo próprio Martini. Ao lado dele, Bruno Lopes da vida ao filho de Valentina, mais uma mulher interpretada por Eduardo. Valentina é daquelas mães superprotetoras. Na verdade, Valentina é hiperprotetora! O espetáculo é daqueles que a gente sai com dor na mandíbula e chora de rir e de emoção também. O texto é muito bem escrito por Regiana, tem, de fato, um toque de mãe. Trilha sonora na voz de Tim Maia, ídolo da mãezona. O ritmo da peça é muito bem sincronizado, o figurino é lindo, fruto do zelo de Martini, que faz questão de cuidar de seus personagens e torná-los vivos. O ator está em cartaz com quatro comédias no Teatro Itália, em São Paulo, duas ao lado de Viviane Araújo, uma nova parceria. A quinta peça está viajando por aí, em que Eduardo Martini divide a interpretação com Fernando Vieira em "Sexo dos Anjos". Todas super recomendadas!

Foto: Nyldo Moreira

No mesmo Teatro Itália...

A atriz, diretora e autora Pitty Webo também está em cartaz no Teatro Itália. Aliás, que belo teatro, super bem cuidado pelo estimado Erlon Bispo, e revigorado pela Drogaria São Paulo. Enfim... Pitty Webo está com "Mulheres Solteiras Procuram", ao lado de Guilherme Chelucci. Ele vem crescendo bastante no cenário cênico, ganhando destaque pelo ótimo ritmo e postura de seus personagens, a gente acredita muito na vida de seus personagens. Pitty tem um ritmo incrível, troca-se no palco dando voz a várias personagens que saem de histórias reais. A interação com o público é muito bacana, mas acho perigosa. A direção também é da Pitty, e acho que por isso ficou um acúmulo de cargos. Quero muito ver a Pitty também dirigida por outra pessoa, em um texto que pode ser seu mesmo. A peça acaba parecendo um discurso, uma palesta, o que não descarta o humor do roteiro, mas deixa-o nada inovador. Não curti muito a iluminação, acho que algumas coisas estão no time errado, mas, pode ter acontecido naquele dia. Enfim...

Bossas e histórias de Miúcha, em 40 anos

A cantora, que acredito colecionar o livro mais valioso de histórias da música brasileira, comemora 40 anos de carreira. No último final de semana, no Sesc Pompéia, um lugar super delicioso e de pura concentração cultural, Miúcha apresentou um repertório de platina! Sucessos de sua jornada na música divididos em copos de uísque com Vinícius de Moraes. Composições da dupla Guinga e Paulo César Pinheiro, Chico Buarque (seu irmão), o valiosíssimo Tom Jobim e Baden Powell caem serenamente na voz da pequena e notável cantora. Ok, essa denominação era dada a Carmem Miranda, mas cabe também à Miúcha. Vê-se carinho nos olhos da artista e uma tremenda doçura em cada solfejo. Memórias e canções são destiladas à goladas de uísque compartilhadas por Miúcha. Grande e importante Miúcha! Ah, não posso esquecer de destacar a participação de Renato Braz, com uma voz que parece ser tratada nas próprias cordas vocais.

Novidade!

Um novo projeto está nascendo. Agora, além de escrever aqui no SRZD, vou entrevistar pessoas que estão ligadas ao funcionamento da arte. Músicos, cantores, atores... gente que faz a arte acontecer! Já criei um canal no Youtube chamado "Nyldo Moreira Entrevista". Inscreva-se lá para receber novidades, dar sugestões e fazer comentários. Já tem vídeo de entrevista com Eduardo Martini e logo Miúcha, Mônica Salmaso e por ai vai. Vamos conhecer a intimidade, o trabalho e o coração dessa gente que a gente ama! Assista ao vídeo ai abaixo e aproveite para clicar e acessar o canal e fazer sua inscrição, que é gratuita...

Curta a página do SRZD no Facebook:


Comentários
  • Avatar
    11/04/2016 18:03:07marly batista de souzaAnônimo

    Amei todas as entrevistas, dificil dizer qual e a melhor, parabens Nyldo voce e dez.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.