SRZD



Ednei Mariano

Ednei Mariano

CARNAVAL/SP. Natural de São Paulo, nasceu no bairro de Vila Mariana, Zona Sul. É pesquisador, escritor, dançarino, carnavalesco e professor. Foi o primeiro passista da escola de samba Vai-Vai. Como mestre-sala, defendeu durante 34 anos de carreira os pavilhões da Barroca Zona Sul, Tucuruvi, Vai-Vai (de Honra), Rosas de Ouro e Unidos de São Lucas.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



12/04/2016 10h30

'Tributo aos Deuses da Passarela'
Redação SP

Os desfiles das nossas escolas de samba fluiam no caminhar largo ao apogeu, mas era nescessário uma visão mais empresarial, profissional, o crescimento das entidades exigia isso.

Amespbeesp. Foto: Divulgação

Em 1986 estabeleceu-se a terceira grande ceia com os "Cardeais do Samba", desta reunião nasceu a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, para cuidar somente do grupo principal, na época composto por dez agremiações.

Na mente dos dirigentes um novo norte para alavancar de vez a nossa festa maior. Enquanto isso, nossos casais iam se distanciando da influência de dança carioca e buscando seu próprio caminho com cultos e ritos em devoção ao pavilhão, herança da folias de reis, festa do divino e festa de São Benedito, fortes do interior paulista.

Em 1995 acontece a fundação da Amespbeesp, Associação dos mestre-salas, porta-bandeiras e estandartes do estado de São Paulo, por mestre Gabi, este blogueiro, Vivi, Maria Gilsa, Dona China, Sonia Moreira, Jorginho Dançarino, Paulinho Guedes e Renatinho Trindade.

E gente do samba, que abraçou nossa causa, como Tereza Santos, Raimundo Mercadoria, Robson de Oliveira, Cleuza Amarante, Raul Diniz, Eduardo Basilio, Magali Tobias, Elaine Bichara e Nena Cazita, foram as sementes da preservação para se manter a tradição.

O fortalecimento da arte estava se garantindo com estas ações e nossos casais continuavam a eletrizar nossas pistas para a glória de nossas escolas. Já se fazia grande em belas apresentações Karin Darling, pela Leandro de Itaquera, Antônio Carlos e sua amada Lucy, davam show em defesa da Primeira da Aclimação no seu apogeu entre as grandes.

Karin Darling. Foto: Divulgação

Maria Amelia e Adailton, na real defesa do pavilhão da escola da Cantareia, enquanto Sidnei encantava com seus meneios na condução de sua bela Luana, em defesa do pavilhão da Águia da Pompeia.

Da Zona Sul, Sidnei Amaral, neto de Pé Rachado, riscava as pistas tendo como companheira de dança a filha de outro grande sambista; o Bertão. Patricia Aniceto, herdou a garra do pai e defendeu por anos conquistando notas máximas os Acadêmicos do Ipiranga.

Na Vai-Vai, a tradição continuava com a bela Eneidir Gomes, agora com o jovem Paulinho Guedes, enquanto na "Morada do Samba", Sonia e Murilo, encantavam com suas belas perfomances não só o povo do Limão, mas a massa de sambista apreciadores da nobre arte.

Vivi Martins, que no início dos anos 90 revolucionou o modo de se vestir e se apresentar em festas, continuava com o grande mestre Gabi, na defesa mágica do pavilhão da Barra Funda.

Gabi e Vivi. Foto: Acervo

Maria Gilsa, "Deusa da Freguesia", era talento puro ao lado deste blogueiro, cruzando o século com muita dança. Comaçava assim nesta virada a finalização de muitos casais, enquanto outros começavam a despontar nas quadras e passarelas do nosso samba. Estava nascendo o século XXI e com ele a profissionalização dos artistas influenciando diretamente nos resultados dos desfiles.

Se para nós da dança esta questão monetária está longe de ser real, ela se faz presente no aprimoramento e preparação de nossos casais, hoje "Deuses da Passarela", decidem campeonatos, acessos e descensos.

O amor pela arte continua forte e fluindo nas veias daqueles que deram e darão ainda muito pelo samba, gente que esta aí, encantando cada vez mais o povo que vibra com a arte do samba. Até mais com a última parte desta série que me dá muito orgulho. 

- Clique aqui e confira a primeira parte do Tributo aos Deuses da Passarela

- Clique aqui e confira a segunda parte do Tributo aos Deuses da Passarela

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Comentários
  • Avatar
    14/04/2016 17:45:05José JuniorAnônimo

    Tive a honra de trabalhar ao lado desse grande mestre Ednei Mariano na Barroca Zona Sul, um ano com muitas dificuldades onde pela primeira vez pude defender um pavilhão oficial ao lado da jovem Inara, a partir daí tomei ainda mais gosto pela arte do bailar e a estudar mais...Grandes nomes como mestre Gabi, Pascoal, Moreno, mestres salas clássicos que infelizmente só ví seus desfiles por videos mas que deixaram um legado enorme no samba paulistano!São sim até hoje referencia e espelho pra essa nova geração. Abraços

  • Avatar
    14/04/2016 08:18:29Alex Santos RibeiroAnônimo

    O mestre dos mestres sempre com historias bacanas para que possamos viajar no tempo.

  • Avatar
    12/04/2016 19:36:48Vivi MartinsAnônimo

    Obrigada pelo carinho de sempre , matéria linda você sempre me emocionando , Deus abençoe !!!

  • Avatar
    12/04/2016 19:07:01marcelo andrade da silvaAnônimo

    Mas um texto fascinante do mestre que faz com que viajemos no tempo revivendo esses momentos tão sublimes do carnaval !!!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.