SRZD


05/05/2016 15h32

U. de Bangu: 'É bacana jovens terem chance de mostrar seus trabalhos', comemora carnavalesco
Rodrigo Trindade

Guilherme Diniz e Rodrigo Marques. Foto: Rogério Torres/DivulgaçãoEm 2017, a Unidos de Bangu, que já esteve na Série A, levará para a Estrada Intendente Magalhães, pelo Grupo B, o enredo "Onde há fumaça, há fogo!". A escola, que tem 78 anos de história, quer retornar à Marquês de Sapucaí. Um fato interessante é que a vermelha e branca dará oportunidade a dois jovens carnavalescos para desenvolver o tema: a dupla Guilherme Diniz e Rodrigo Marques, que em 2016 fez sua estreia pela Difícil é o Nome, atualmente na Série D, dando à agremiação o sexto lugar através de um enredo lúdico.

Em bate-papo com o SRZD Carnaval, Guilherme, que tem 19 anos, contou que pretende manter o mesmo ritmo e dedicação para o ano que vem. Ele também exaltou a iniciativa de dar oportunidade a novos talentos: "Desde criança, eu já gostava de desfiles. Minha tia tinha um ateliê de fantasias. Sempre quando chegava em casa, eu tentava redesenhar aquelas fantasias. Cresci e hoje tento me especializar, faço curso de desenho e sigo firme para fazer o melhor possível pela escola em 2017. É bacana os jovens receberem apoio e chance para mostrar seus trabalhos", comentou.

Imagem: Divulgação'Vamos percorrer o uso do fogo como elemento importante no processo evolutivo da humanidade'

O jovem explicou ao SRZD Carnaval de que forma pretende abordar o fogo: "Vamos abrir o desfile percorrendo, ao longo da história, como o fogo foi usado em benefício da humanidade. É um dos elementos importantes para a vida. Todos sabem que o fogo produz calor. A coincidência é que o bairro de Bangu é quente! Mas fato é que o fogo é uma grande conquista desde a Pré-História: foi ele que nos permitiu exercer soberania perante os animais, nos esquentou, ajudou a variar nossa dieta, através do cozimento".

Ele também revelou o que virá nos outros setores: "Indo para outra esfera, o fogo é cultuado por diversas religiões sendo considerado crença para algumas. Como por exemplo, o orixá Xangô é representado pelo elemento fogo. No catolicismo, se há fumaça, "habemus papa".Continuando nossa viagem e indo ao encontro da Idade Média, o fogo foi primordial para a fusão entre metais (bronze, alumínio, dentre outros), para a alquimia (a antiga química) e para o contínuo desenvolvimento da nossa espécie", destacou Guilherme.

'Ganhamos sete premiações em 2016. Queremos mais ano que vem'

Guilherme e Rodrigo comemoram sete premiações pela Série D, quando defenderam a Difícil é o Nome no último Carnaval, através do tema "Idealice, o Maravilhoso Mundo dos Sonhos". O jovem disse ao SRZD que considera esta uma parceria bem-sucedida:

"Foi uma parceria que deu certo. Além de sermos amigos, temos essa troca de experiências e informação. Apesar de não conquistarmos o título pela Difícil é o Nome, ganhamos sete premiações, inclusive de melhor enredo em 2016. Esses reconhecimentos valeram até mais do que um título. Ainda vamos receber mais premiações. Para 2017, teremos mais ainda, se Deus permitir".

Sobre a divisão de trabalho, ele afirmou que há total harmonia: "Rodrigo fica na parte escrita e eu executo a parte plástica, com os desenhos, mas ao mesmo tempo, a gente troca ideias e modifica o que é necessário. Sempre tem uma troca de experiências em relação às mudanças. Mas quando é necessário, os dois colocam a mão na massa".

Em 2017, a Unidos de Bangu será a última agremiação a desfilar na Intendente Magalhães, na terça-feira de Carnaval, pela Série B. "A escola virá forte. Procuraram bons profissionais para o time. Nosso último reforço foi o intérprete Niu Souza. Agora, vamos trabalhar e unir esforços para fazer o melhor", afirmou Guilherme em entrevista ao SRZD Carnaval.

Veja mais:

- Cantor Niu Souza agora é da Unidos de Bangu

- Clique aqui e saiba tudo sobre o Carnaval carioca

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?



Comentários
Comentar