SRZD


08/05/2016 03h00

Grito de guerra de presidente vira título de enredo em São Paulo
Redação SP

Com quadra cheia e show de Arlindo Cruz, a Mocidade Alegre apresentou o enredo para o Carnaval de 2017, na noite do último dia 7, sábado, em sua sede social no bairro do Limão, Zona Norte de São Paulo.

Além de revelar o tema para a disputa no Grupo Especial, a diretoria da "Morada do Samba" apresentou todos os profissionais que irão integrar seus principais segmentos.

Lançamento do enredo 2017 da Mocidade Alegre. Foto: SRZD - Cláudio L. Costa

Quadra lotada e comunidade unida, receita de sucesso

A ampla quadra da Mocidade recebeu, mais uma vez, a presença de sambistas, simpatizantes, imprensa, e sobretudo, o prestígio maciço de sua comunidade.

Comunidade que, como costuma dizer a presidente da entidade, Solange Cruz Bichara Rezende, não decepciona nunca, e estava lá para conhecer e imediatamente incorporar o novo Carnaval da escola.

- Vídeo: assista a apresentação do enredo 2017

A festa teve início por volta das 23h30 lançando o enredo que terá como título "A vitória vem da luta, a luta vem da força, e a força, da união", famoso bordão de Solange que será o fio condutor da história, que, entre outras abordagens, vai passar pela celebração dos 50 anos da "Morada do Samba".

O esquenta contou com show da bateria "Ritmo Puro", com a presença e exuberância de sua rainha, Aline Oliveira, e exibição dos casais de mestre-sala e porta-bandeira no palco especialmente montado para a ocasião que contou com decoração temática e telão de led conduzindo o público e projetando tudo o que estava acontecendo, e o que estava por vir. 

Uma nova comissão de Carnaval

Antes do anúncio do enredo foram apresentados todos os envolvidos no projeto de Carnaval da escola. Assim como tem feito ao longo dos anos, a agremiação vai seguir apostando em uma comissão de profissionais para concepção e execução de seu desfile.

Esse formato, que teve Sidnei França e Márcio Gonçalves, que hoje estão na Unidos de Vila Maria e Dragões da Real, respectivamente, foi sinônimo de sucesso, e garantiu excelentes resultados desde que foi adotado, a partir de 2009.

Para 2017, o time será formado por Paulo Brasil, figurinista carioca; Neide e Carlinhos Lopes, especialistas no conceito alegórico do festival de Parintins, tradicional festa amazonense, e Leandro Vieira.

Vieira iniciou sua trajetória na carioca Caprichosos de Pilares e é o atual campeão do Grupo Especial no Rio de Janeiro pela Estação Primeira de Mangueira, desenvolvendo a homenagem para a cantora Maria Bethânia.

Vídeo: SRZD entrevista a nova comissão de Carnaval da Mocidade Alegre

Aí sim meus pretinhos!

Um dos mais requisitados e reconhecidos intérpretes da atualidade, tanto em São Paulo, quanto no Rio de Janeiro, Igor Sorriso não será mais a voz oficial da Mocidade, após três desfiles consecutivos.

O primeiro contato de Igor com o Carnaval se deu nas eliminatórias de 2004, em terras cariocas, na Mocidade Unida de Santa Marta, onde foi a voz oficial até 2008.

Simultaneamente integrou, a partir de 2006, o segmento na São Clemente. Na Cidade Maravilhosa, registra passagens pela Vizinha Faladeira e Unidos de Vila Isabel.

Em Sampa ganhou destaque ao cantar pela agremiação da Cantareira, a Acadêmicos do Tucuruvi, em 2013. Este ano, faturou, junto com sua ala musical, o Prêmio SRZD Carnaval SP, na categoria.

- Clique aqui para rever a premiação da ala musical da Mocidade em 2016

Para o seu lugar, Tiganá, que defendeu a coirmã paulistana Mocidade Camisa Verde e Branco. No palco, emoção na passagem do posto de Igor para seu sucessor. A dupla foi aplaudida com euforia e reverenciada pela comunidade do Limão.

Tiganá teve sua primeira experiência no Carnaval na Unidos do Bandeirante, como ritmista. Em seguida, esteve em outras agremiações cariocas.

Passou pela Leão de Nova Iguaçu, União de Jacarepaguá, integrou o carro de som da Portela, Renascer de Jacarepaguá e União da Ilha do Governador, além de participações em eliminatórias de samba-enredo e Carnaval virtual.

Todos eles ficam!

Poucas mudanças no elenco da agremiação para a sequência do trabalho. Segmentos importantes continuaram sob a responsabilidade de profissionais extremamente bem conceituados no universo do Carnaval.

Mestre Sombra segue no comando da "Ritmo Puro", assim como Robério Theodoro e Thiago Felipe dão sequência à coordenação da comissão de frente, e o primeiro casal, Emerson e Karina, permanecem defendendo o pavilhão verde, vermelho e branco. Com o mesmo mérito da ala musical, a bateria da Mocidade também faturou, este ano, o troféu do SRZD.

- 'Ritmo Puro' conquista seu primeiro troféu do SRZD

Palco montado e encenação emocionaram o público

Depois de apresentados todos os responsáveis pelos setores da Mocidade foi chegado o momento de conhecer o enredo 2017, já nos primeiros minutos da manhã de domingo.

Encenações marcaram o quadripé de desenvolvimento do tema: vitória, luta, força e união. Um grande teatro foi formado no palco especialmente montado para a ocasião, com produção de figurino e áudio.

A emoção marcou o desfecho da interpretação.

Como uma volta no tempo, crianças representaram os fundadores da Mocidade, que relembraram a trajetória da escola, saudaram o presente e projetaram o futuro.

Enredo não será apenas uma exaltação aos 50 anos da escola

O desenvolvimento do enredo não se restringirá aos 50 anos da agremiação, embora seja o mote da história que vai se valer de cada um dos termos do grito de guerra popularizado pela presidente Solange.

'A vitória vem da luta...': Bodas de ouro e Solange Cruz

Três irmãos, pai e tios de Solange, naturais da cidade de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, e que viviam em São Paulo desde 1948. Foram eles as raízes de uma das mais importantes escolas de samba do país.

O trio e um grupo de homens saíam pelas ruas da região central da cidade fantasiados de mulher.

Treze anos depois, entre os foliões, havia finalmente, uma mulher, e todos estavam fantasiados de palhaços pela Avenida São João. O locutor de rádio e sambista histórico, Evaristo Carvalho, disse observando:

"É um bloco muito alegre, um bloco de sujos, como muitos no Rio de Janeiro". A partir desse dia, estava batizada a agremiação e surgiu o nome: Mocidade Alegre.

Assim como outras coirmãs paulistanas, a Mocidade seguiu sua trajetória, de resistência contra preconceitos, provando não estar na marginalidade, e que era também um foco de difusão da cultura popular, carregando a marca: uma escola de família. 

Os anos passaram, e foi em 2003, que a mulher que acompanhou a história da agremiação desde o seu nascimento, tornou-se protagonista. Solange foi chefe das "miudinhas", chefe de ala e de outros departamentos, diretora de comunicação, mestre de cerimônias, vice-presidente, e comanda a Mocidade Alegre, com estilo inconfundível, há 13 anos, comando marcado pela fé e vocação natural para a função.

Solange Cruz. Foto: Divulgação

Na sua gestão, guindou a "Morada do Samba" ao protagonismo no Carnaval da cidade e no próprio concurso. Foram seis campeonatos, e três vice. Para o próximo passo, sabedora de que a história é passado e que para seguir trilhando o caminho de êxito é preciso fazer mais, ela segue conseguindo mobilizar seu povo. 

Show de Arlindo Cruz encerrou a noite com quadra lotada

Grande atração da noite de lançamento do tema para o próximo Carnaval, o sambista Arlindo Cruz, um dos mais populares do gênero no país, subiu ao palco para interpretar seu repertório recheado de inúmeros sucessos.

Você sabia? Mocidade foi a escola que mais venceu o troféu do SRZD

Nos últimos cinco anos os destaques dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial e de Acesso em São Paulo receberam o Prêmio SRZD Carnaval SP.

Além de análise da equipe do portal e da imprensa especializada na cobertura dos desfiles presentes no Sambódromo do Anhembi, leitores do portal, através de voto popular, escolhem os protagonistas na passarela do samba paulistano.

Além dos troféus nas diferentes categorias, o cobiçado prêmio de melhor escola foi conquistado pela Mocidade Alegre em três oportunidades: 2012, 2014 e 2015.

Com dez títulos, Mocidade está entre as maiores campeãs da cidade

Celebrar 50 anos de história, já seria motivo de festa e orgulho para qualquer agremiação carnavalesca, e quando essa história é marcada pelo sucesso, os motivos são ainda maiores.

Ao longo dessa longa jornada estão gravados no Carnaval de São Paulo o tricampeonato em 1973, os títulos de 1980, 2004, 2007, 2009 e o segundo tri, em 2014.

Desfiles de 2012, 13 e 14 da Mocidade Alegre. Foto: SRZD

Cantando a cultura paulistana, personalidades emblemáticas do país, ou o continente africano em suas mais diferentes faces, destaque para enredos extraordinários, que se não levaram a taça, transmitiram com excelência sua mensagem, entre eles: "Visungo, canto de riqueza", "50 anos de comunicação - Moraes Sarmento" e a "A espada da liberdade".

Terceira colocada no último Carnaval, a Mocidade Alegre levou para o Sambódromo do Anhembi o enredo "Ayo - a alma ancestral do Samba".

- Veja como foi o desfile da Mocidade Alegre no Carnaval de 2016

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Veja mais sobre:Mocidade Alegre

Comentários
  • Avatar
    10/05/2016 01:40:29TiemiAnônimo

    Respondendo ao José Marinho... O Igor não saiu e nem o mandaram embora, ele só não é mais o Intérprete Oficial mas continua no time de canto da Mocidade. Devido aos ensaios na Vila Isabel, não estava conseguindo estar sempre presente aqui em SP.

  • Avatar
    10/05/2016 00:14:00MarcoAnônimo

    Estamos julgando apenas o pouco do que se tem informação. Isso não quer dizer que somos os donos da verdade. Longe disso. O carnavalesco da Mangueira pode se revelar mais que uma grata surpresa, mas temos que levar em conta que o enredo desenvolvido pela verde e rosa tinha um apelo muito grande, assim como Elis e João Carlos Martins tiveram na Vai Vai e Roberto Carlos na Beija Flor. Claro, conquistaram o campeonato também por méritos das respectivas escolas, mas sabemos o quanto mexe com o emocional das pessoas, a ponto de erros em fantasias e alegorias não serem tão prejudicais ao resultado final. Porque, sejamos sinceros, tanto Vai Vai 2015 quanto Mangueira 2016, plasticamente tiveram muitos problemas e não foram as mais bonitas. Porém, toda a atmosfera emotiva provocada pela temática ajudou esses pequenos erros a não serem nada no julgamento final. Enfim, tudo isso para dizer que a Mocidade está apostando num novato do Grupo Especial, é um risco que pode ser bom ou ruim.

  • Avatar
    09/05/2016 21:15:27PRIMOMembro SRZD desde 17/08/2016

    Blz...sou da paz. Abs

  • Avatar
    09/05/2016 20:53:03williamAnônimo

    querido, quando disse que não falei com você, foi pq falei no geral, pois todos falam que o tema é ruim ou bom antes da explanação e do samba enredo, tem que saber esperar.

  • Avatar
    09/05/2016 20:19:04PRIMOMembro SRZD desde 17/08/2016

    Bom meu querido, descupa se te magoei,mais o tema enredo é o primeiro passo para se fazer um bom samba, no geral um bom carnaval. Quando se comenta do enredo, a primeira coisa é a historia que vai ser expandida na avenida. E este tema ñ agradou muitos aki (pelos comentarios). Mais ainda assim peço desculpas se te magoei. Pensei que este espaço servia para que pudessemos expor nossas opiniões e fazer amigos. Abrs Willian.

  • Avatar
    09/05/2016 18:56:23WilliamAnônimo

    Queridão, primeiro que não falei com você, segundo que o título do enredo(que foi a única coisa divulgada) não conta ponto não. O quesito enredo leva em consideração se a escola cumpriu o roteiro e adequação, conseguindo explicar o enredo na avenida.

  • Avatar
    09/05/2016 18:29:00danAnônimo

    O império ganhou esse ano, não somente pela estética rica, mas foi superior as demais no conjunto da obra. Não achei o enredo nem isso e nem aquilo, achei o título meio óbvio, mas claro que ninguém duvida da escola que mais ganhou na década. Quanto ao carnavalesco, vamos ver o resultado desse ano tanto aqui quanto no rio para eu dar uma opinião mas formada a respeito dele. O enredo tem forte influencia no resultado direto, mas não define campeã.

  • Avatar
    09/05/2016 16:01:06LeitorAnônimo

    Aliás, um Bom Carnavalesco faz um bom carnaval mesmo tendo pouco recurso financeiro.

  • Avatar
    09/05/2016 12:42:22GabrielAnônimo

    Não dá pra opinar, precisamos ver a sinopse, o samba, aí sim da pra ter uma noção de como vai ser. Agora, Deus ajude que nos 50 anos da Roseira o enredo não seja " Quem tem parceiro, não fica na estrada! " kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Avatar
    09/05/2016 12:39:31PRIMOMembro SRZD desde 17/08/2016

    Bom noitei que alguns amigos criticam o enredo da mocidade. Acredito que se esperva mais, ja que nos ultimos 10 anos este enredo se junta com os de 2008 e 2015(estou falando de enredo) na minha modesta opinião. Quanto a carnavalesco prefiro ver o trabalho que será feito.

  • Avatar
    09/05/2016 12:29:09LeitorAnônimo

    Além do que julgar carnavalesco é uma coisa complicada, o Lage do impactante "Tambor" de 2009 não é nem de longe o Lage do chato Salgueiro 2016 com fantasias pobres, a Rosa Magalhães de Imperatriz 2000 e 1996, não é nem de longe a Rosa de um enredo sobre bacalhau em 2007, com alegorias feias. O Louzada de Vila Isabel 2006 e Vai-Vai 2011 (belos desfiles) não é nem de longe o Louzada de Mocidade de Padre Miguel 2016, com aquele reprodução feia do Pelingeiro na alegoria que terminava o desfile. As vezes depende do enredo, questão financeira do enredo, e outros fatores.

  • Avatar
    09/05/2016 12:20:03OpiniãoAnônimo

    Gente, a Império ganhou esse Carnaval 2016 com um enredo fraco, e ganhou na estética rica, e foi justo. Vamos com calma, agora não fica claro e o enredo da Mocidade fala de vitórias na história da humanidade ou do 50 ano da Mocidade. E sobre Leandro, o cara é fera, é "apenas" chamado no Rio de o novo Renato Lage, vão ver o orçamento pequeno da Mangueira, e vão ver que esse rapaz com orçamento pouco fez o desfile mais luxuoso do ano de 2016. E sobre a Vai-Vai ter ganho em 2015 apenas por Elis, gente a Vai-Vai foi punida por dois jurados em alegoria, e também se não me engano em fantasias, mas mesmo assim ganhou, e o abre alas era lindo.

  • Avatar
    09/05/2016 11:13:47RafaAnônimo

    È difícil pré julgar, pois o carnaval é uma caixinha de surpresas, este ano, teremos muitas novidades e escolas surpreendendo, mas ainda sim achei o enredo um pouco fraco para Mocidade Alegre, escola que sempre teve seu nome alto, assim como a Imperio acredito que novas escolas surpreenderam, e vejo o Tema da Vila Maria fortíssimo para este carnaval, porem, precisamos ver o desenvolvimento na avenida, pois é lá que se ganha.

  • Avatar
    09/05/2016 10:18:32José MarinhoAnônimo

    Sabe de uma?? Curto e Grosso. Sou fã da mocidade, escola organizada, inventiva, guerreira e ousada. FIm, o resto é mi mi mi... Ser comentarista é sopa no mel, quero ver colocar em pratica... Só uma pergunta, pq Igor saiu?? ele saiu ou mandaram embora?? Eu chorei muito sábado mais não entendi o pq da saída; Beijos...

  • Avatar
    09/05/2016 07:48:30danAnônimo

    Achei o título óbvio demais, mas espremendo dá pra sair bastante coisas interessantes sim. Quanto ao carnavalesco, acho que ele deu muita sorte com a mangueira, devido o grande apelo popular do enredo e do samba que pegou. O Vai Vai por exemplo jamais teria vencido ano passado se não fosse a força daquele samba e sua homenageada, Elis.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.