SRZD



Nyldo Moreira

Nyldo Moreira

TEATRO E MÚSICA. Jornalista, especializado em cultura e economia. Ator e autor de peças de teatro. Apresentou-se cantando ao lado de artistas, mas não leva isso muito a sério. Pratica a paixão pela música em forma de textos e críticas. Como diretor, esteve a frente de dois curtas, um deles que conta a vida no teatro. 

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



16/05/2016 13h13

Cauby Peixoto deixa os palcos!
Nyldo Moreira

Um dia esquisito de acordar, seria ótimo poder pular dias como esses e que tudo aquilo que estava programado de acontecer naquele mesmo dia fosse deletado e programado como são programadas as coisas aqui no Brasil, à demora! Cauby Peixoto morreu! A temível palavra de todas as esferas, que nenhuma família quer presente, que nenhum da arte quer reproduzir, ninguém, ninguém! Meu mestre fez a passagem. Fiquei quieto ao acordar, liguei o computador e nas redes sociais estavam os compartilhamentos com imagens do professor, do Cauby. Eu resolvi comigo mesmo que não escreveria nada sobre. Neste instante vi uma publicação de um amigo no Facebook: "Que todas as manchetes dos jornais sejam sobre Cauby". Senti-me espetado, intimado e grato por ler tal estímulo e bronca! Levantei-me, coloquei em alto as músicas do cantor, cantei junto, chorei, enxuguei as lágrimas, voltei ao computador e lembrei-me do primeiro instante com Cauby.

Este instante foi justamente cantando com Cauby, a primeira vez que estive ao lado de um cantor e ouvindo a minha voz junto a dele. Neste dia estava comigo o mesmo amigo que escreveu hoje sobre as manchetes, o amigo da bronca, duas vezes o mesmo amigo. Exatamente, também neste dia, nasceu minha primeira coluna sobre música. Este, aquele mesmo amigo, o caríssimo Luiz Felipe Carneiro, disse-me: "escreva uma coluna sobre seu encontro com Cauby, estreie assim". Duas estreias no mesmo dia, escrevendo e cantando. E o melhor, com o meu mestre, Cauby!

No jornalismo é abominável um primeiro parágrafo imenso como o deste texto, mas, para mim, fragmentá-lo neste instante é ainda mais abominável. Eu poderia deixa-lo apenas, neste texto. É o mais simbólico que pode traduzir minha admiração, respeito e gratidão por Cauby.

Aqui está minha primeira foto com Cauby, no momento que contei, sobre quando cantamos juntos.

Foto: Nyldo Moreira

Cauby Peixoto andava com a cereja na cabeça. Sabe quando falam que fulano deixou a cereja do bolo para o final, então, Cauby andava rotineiramente com essa cereja. Todo o instante no palco via-se brilhando a cereja do bolo! Ele foi, inegavelmente, o maior cantor do Brasil.

Foto: Nyldo Moreira

Guardei algumas fotos que fiz de Cauby Peixoto em seu último show no Teatro Bradesco, em São Paulo. Guardei para ainda escrever minha entrevista dos sonhos, com o meu ídolo! Estou publicando algumas aqui, com os olhos cheios, quase incrédulos. Eu achava que Cauby era eterno!

Cauby Peixoto deixa os palcos? Hei de contrariar meu próprio título: não, acho que Cauby jamais deixará os palcos! E faço das palavras do meu amigo Luiz Felipe, também jornalista, as minhas: que todas as manchetes sejam para Cauby!

Foto: Nyldo Moreira

Curta a página do SRZD no Facebook:


Veja mais sobre:Cauby Peixoto

Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.