SRZD



Ruy Chaves

Ruy Chaves

Tem experiência em implantação, desenvolvimento e reestruturação de instituições de ensino superior. Cursou Altos Estudos de Políticas e Estratégias na Escola Superior de Guerra (ESG), onde foi membro do corpo permanente e do corpo de Conselheiros. Professor universitário, também atuou em cursos da Polícia Militar do Rio de Janeiro e do Pará, em cursos de planejamento estratégico na ACADEPOL de Minas Gerais e na Escola da magistratura do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Cidadão de Aracaju, tem as Medalhas Tiradentes, da ALERJ e da Polícia Militar do Pará, e Marechal Cordeiro de Farias, da ESG.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



24/05/2016 09h26

Hércules e super heróis da mitologia grega: socorro!
Ruy Chaves

Olá, pessoal. A corrupção precisa ser tratada como crime hediondo, com total restituição dos valores desviados além de penas privativas de liberdade agravadas quando praticadas por políticos, empresários e autoridades públicas, se agredirem a riqueza e a dignidade da nação. Nenhum escritor ou analista político seria capaz de imaginar as cenas dantescas que se sucedem no Brasil. Nenhum humorista seria capaz de transformar em piada esta tragédia da vida real. Em artigo recente, convidei meu amigo Hércules para tentar me ajudar a salvar o Brasil, no que ele fracassou também. Agora, novo convite, desta vez trazendo outros amigos e super heróis gregos. Será que terão sucesso na missão?

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

Por toda a minha vida tentei salvar o Brasil, mas falhei. Incapaz para a missão, reconheço, pedi socorro a meu amigo Hércules, que no passado distante cumprira 12 tarefas absolutamente impossíveis aos homens comuns. Esgotado, derrotado, humilhado pelos monstros das trevas que tomaram o Brasil, suas riquezas, seu sangue e sua dignidade, o herói me deixou apenas um bilhete: "Perdi. Fui. Nunca imaginei que passaria por esta situação em minhas aventuras. Adorei o Brasil, sol, praia, caipirinhas, carnaval - saí fantasiado de Deus do Olimpo. Me deram um tal de "Boa Noite, Cinderela", perdi a autoestima e até minha carteira. Depois, um mosquito me picou e quase morri esperando para ser atendido no posto médico. Imagine a notícia: Hércules morreu de dengue! Muita humilhação para mim". Realmente, o maior herói grego após péssimas experiências morto por um mísero mosquito, só no Brasil, mesmo!

Ainda mais indignado e motivado, renovando meu juramento de jamais desistir de meu sonho da vida inteira, resolvi buscar mais reforços entre meus amigos da infância e da juventude na Grécia Antiga, que exerceu influência decisiva sobre a civilização ocidental. Na filosofia, na ética e na política, nas artes, na matemática, na arquitetura, nas ciências e em todos os campos do conhecimento e da sensibilidade humana os gregos da minha geração foram geniais. E que falar de nossa mitologia, nossa percepção sobre a natureza, sobre o mundo e suas origens, sobre nossos deuses e heróis?

Jovem naquele tempo, lembro-me dos Centauros, seres com o torço e a cabeça humana, corpo de cavalo, de baixos instintos, sempre afrontando a boa ordem e a ética, expulsos da Tessália e depois exterminados por Hércules, meu amigo mais caro, então na plenitude de seu poder. Como esquecer do Minotauro, meio homem meio touro, fruto de união entre homem e fera, que como não tinha alimento natural comia gente, até que meu amigo Teseu conseguiu matá-lo? Como esquecer de Equidina, mãe de todos os monstros, gigantesca como um Titã, tronco de ninfa belíssima e cauda de serpentes, que devorava viajantes inocentes até que Argos Panoptes, gigante de cem olhos, matou-a enquanto dormia.

E a Esfinge, que trazia destruição e má sorte, mulher com patas, garras e peito de leão, cauda de serpente e asas de águia? "Decifra-me ou te devoro", dizia a Esfinge. Quem errasse na resposta ao enigma "quem de manhã tem quatro pés, ao meio dia tem dois e à tarde tem três?" era estrangulado. Meu amigo Édipo, o senhor dos mistérios, matou a charada: "O amanhecer é a criança ao engatinhar; a metade do dia é o adulto ao andar em pé; no entardecer começa a velhice, usamos bengala". E as terríveis Harpias, aves de rapina com seios e rostos de mulher, que roubavam todas as refeições do cego Fineu?

Turma da pesada! Centauros de maus instintos ,o terrível Minotauro comedor de gente, a traiçoeira Equidina, a charadista-estranguladora Esfinge e Harpias roubando comida até dos ceguinhos. Com certeza, esta turma ressuscitou, assumiu novas formas meio humanas meio feras em quadrilhas de alto desempenho e está engolindo o Brasil. Por isto, hoje a situação está uma tragédia por aqui, monstros da mitologia grega por toda parte, devorando a riqueza e a alma da nação.

Hércules, por caridade e em nome de nossa amizade de tantos séculos, volte! Sei como você está sofrendo por não ter conseguido realizar o seu 13º Trabalho, o de restaurar a dignidade no Brasil. Não creio que você abandonará sua gloriosa carreira deixando esta marca terrível em seu currículo . E para que tenhamos garantia do sucesso na missão de nossas vidas, na maior epopeia da história da civilização ocidental, desta vez traga nossos amigos e também super-heróis Teseu, Argos Panoptes e Édipo e salvem o Brasil!

A sociedade da mentira violenta a ética e os valores sociais, traz a corrupção, a recessão e o desemprego, rouba o nosso futuro e a nossa esperança. Lava Jato nos monstros que aterrorizavam a Grécia Antiga e que ressuscitaram logo no Brasil! Panta rei.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.