SRZD



Ruy Chaves

Ruy Chaves

Tem experiência em implantação, desenvolvimento e reestruturação de instituições de ensino superior. Cursou Altos Estudos de Políticas e Estratégias na Escola Superior de Guerra (ESG), onde foi membro do corpo permanente e do corpo de Conselheiros. Professor universitário, também atuou em cursos da Polícia Militar do Rio de Janeiro e do Pará, em cursos de planejamento estratégico na ACADEPOL de Minas Gerais e na Escola da magistratura do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Cidadão de Aracaju, tem as Medalhas Tiradentes, da ALERJ e da Polícia Militar do Pará, e Marechal Cordeiro de Farias, da ESG.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



02/06/2016 10h51

Educar para transformar
Ruy Chaves

Olá , pessoal. Incrível como a educação saiu da pauta, deixou de ser objetivo estratégico nacional. Parece que a falência ética da nação aviltada pelos fantasmas da corrupção impôs à educação novos tempos de trevas.

Que podemos alcançar com nossos alarmantes níveis de deseducação, o péssimo exemplo vindo de cima destruindo a esperança com sua chuva ácida?  Se não se transforma pela educação, como será o brasileiro do futuro? O brasileiro do presente,... Daí este artigo

 

PERSIGA AS SUAS UTOPIAS!

 

Educar para transformar é a missão das instituições superiores de educação, o que impõe rupturas ousadas e inovadoras no processo tradicional de ensino aprendizagem capazes de preparar profissionais empreendedores, com alta empregabilidade em mercados privado e público sob novas exigências a cada dia, tecnologias sempre em evolução.

Integrar academia e gestão para oferecer uma educação transformadora ao maior número de pessoas é imprescindível ao Brasil que temos que construir. Se o conhecimento está em toda parte, se salas de aulas não tem mais como limites paredes e tetos, a educação transformadora impõe estratégias ousadas e inovadoras à formação profissional do século 21. Buscar qualificação sempre, a competência continuada, fazer sempre mais e melhor, é vital à perpetuação da empresa.

A empresa tem compromissos com mudanças, de que são instrumentos a ousadia e a inovação. Saber para ser, para transformar, liderando processos de mudanças. Se a empresa não é outra a cada dia, perde competência e não se perpetua.

Mudança é lei da vida, oportunidade de crescer, é libertar-se das âncoras do passado, não um salto no abismo. Mudança impõe ruptura, impõe compromisso com o que ainda não existe, o risco consciente , visão de mundo e de futuro.

A empresa que não propõe o risco não cria oportunidades. Sem oportunidades não há crescimento. O profissional em crescimento sempre é proativo, ético, responsável, age como dono, não teme o novo, consolida times e forma lideranças.

A unidade é o grande bem e a empresa tem que atuar como alma única em corpo único oxigenando-se sempre.

Empresas buscam perpetuação quando tratam seus públicos de relacionamento como diamantes únicos. Sem colaboradores comprometidos com a filosofia e a cultura de sua empresa é impossível a perpetuação.

Sempre o quanto mais sei,  sei que menos sei, o libertar-se das trevas da caverna de que são prisioneiros os que  temem mudanças. Daí, além das mudanças de processos, são absolutamente imprescindíveis as mudanças comportamentais alinhadas à missão, visão e valores da empresa. Mudança não significa você desejar que os outros mudem. Mudança impõe você dizer não a você, reinventando-se sempre.

Instituições superiores de educação honrarão sua missão, educar para transformar, se inovarem em seus projetos pedagógicos preparando profissionais altamente qualificados que garantam perpetuação a suas empresas, privadas e públicas, em um mundo que será sempre outro a cada dia.

Panta rei.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.