SRZD


17/06/2016 09h01

Papeando com o SRZD: Carlos Reis
Cristiane Lourenço*

O Papeando com o SRZD tem a honra de conversar com uma das personalidades mais importantes do carnaval carioca. Carlos Reis, 1º Destaque da Portela. Considerado a pessoa mais elegante do mundo do samba, ele falou sobre sua ligação com Clara Nunes, seu amor pela Portela e sobre a arte de ser destaque de luxo. Confira mais este bate papo exclusivo para o SRZD!

Foto: Reprodução de Internet

SRZD Carnaval: Como você ingressou no mundo do Carnaval? E como se tornou destaque?

No ano de 1983, por insistência de meu companheiro, que é portelense de nascimento, fui na concentração da Portela, no dia dos desfiles das campeãs. A Portela ficou com o vice campeonato mas, aclamada pelo povo como a verdadeira campeã. Eu não tinha nenhuma ligação com o Carnaval. Na concentração avistei uma mulher linda, com uma força extraordinária, que falava com todos, com uma alegria contagiante. Esta mulher era CLARA NUNES. Ela, ao perceber minha admiração, e quase que hipnotizado com a sua pessoa, se aproximou de mim e me perguntou: "Você está muito admirado com tudo não é mesmo?" E, respondi que sim, muito! "Você desfila na Portela?" E, respondi que não! Ela, então, me disse: "Mas você vai desfilar! Você está intimado a sair na nossa escola!" Me deu um beijo carinhoso na face e saiu rumo ao desfile. Fiquei muito emocionado e, com aquela cena na cabeça. Alguns meses depois, Clara passou pelos problemas que todos sabemos, internação e partida para outro plano. No ano seguinte, 1984, o enredo da Portela (Contos de Areia), fazia uma homenagem a Clara. Impossível não desfilar, até mesmo para atender a intimação da Deusa. Foi o primeiro ano no Carnaval e na Portela. Desfilei em ala e, assim fiz até 1990, quando, então, fui convidado a desfilar como destaque, onde estou até hoje.

SRZD Carnaval: O público que acompanha os desfiles das escolas de samba tem a sensação (infelizmente) de que o número de destaques de luxo vem diminuindo ao longo dos anos. O que é uma pena, pois os destaques sempre foram sinônimo da riqueza e do glamour das escolas. Como você avalia este fenômeno? Quais os caminhos para que a arte dos destaques não seja deixada de lado pelas agremiações?

Realmente vem diminuindo. A maioria dos grandes destaques pararam de desfilar. Os motivos são diversos. Altíssimo custo das fantasias, falta de prestígio aos destaques (não é o meu caso, muito pelo contrário). Um destaque para resistir aos tropeços pelos quais passamos, só mesmo com muito amor envolvido. O trabalho que temos para chegar ao brilho dos desfiles é muito grande, para ser um "destaque" na essência da palavra. Normalmente as fantasias são muito volumosas, trabalho para transportar para a Avenida, para montagem da fantasia, para passar pelos obstáculos (viaduto), só muito amor mesmo! E, a valorização pouca. A maioria dos meios de comunicação premiam quase todos os seguimentos das escolas, menos os destaques. As pessoas esquecem que destaque não conta pontos, mas tira pontos se não estiver adequado ao enredo e a alegoria. Mas, para quem tem amor à sua escola, tudo vale a pena. E, os que amam mesmo, resistem, assim como eu.

SRZD Carnaval: Suas fantasias são consideradas as mais luxuosas do Carnaval. O público sempre espera muito de você. E ao ver uma fantasia sua de perto, dois sentimentos surgem: uma extrema admiração pelo que se vê e uma enorme curiosidade de como é possível uma indumentária ser tão requintada. Quanto tempo em média, do esboço à finalização, uma fantasia sua leva para ser confeccionada? Este projeto envolve quantos profissionais?

Eu aprendi que a Portela sempre foi sinônimo de "luxo". E, não deixo que nenhum carnavalesco nos tire desta característica, pelo menos nas minhas fantasias. Eu faço minhas fantasias, com muita dedicação à minha escola. Os portelenses sempre esperam que minhas indumentárias sejam luxuosas. É próprio do portelense. Eu não tenho limites nas minhas fantasias. Procuro sempre fazer o melhor e o mais aperfeiçoado possível. Procuro, mesmo, me superar a cada ano. A confecção da fantasia leva em média 06 (seis) meses. Todas, até hoje, foram confeccionadas no Atelier de Edmilson Lima. São várias pessoas envolvidas na confecção. Costureira, ferreiro, bordadeira e profissionais em arte plumária. Sem falar dos apoios que vão para a Avenida.

SRZD Carnaval: Você é um ícone para os portelenses e uma das personalidades mais populares do mundo do samba. Nas redes sociais, através dos seus perfis na internet, o público conhece um pouco mais sobre você e sua trajetória. Como você avalia esta forma de interação com seus fãs?

Eu acho fantástico. Vejo como a coroação de um trabalho e dedicação. Recebo muito carinho e, isso me dá ainda mais ânimo e vontade de fazer sempre mais e sempre melhor. A internet se tornou um elo e uma resposta ao que fazemos.

SRZD Carnaval: Das fantasias que já usou, qual foi a que você mais se apaixonou? Conte-nos um pouco sobre a história desta indumentária, sobre como foi o desfile.

Eu amo todas. Muito difícil escolher uma. Todas foram feitas com muito carinho. Pelo conjunto da obra, elejo a de 2015 (Festa da Luz) que vim na Águia Redentora. Acredito que a imagem deste desfile ficará para sempre na história do Carnaval e tive a honra e a emoção de estar nela, contribuindo para esse inesquecível desfile.

Foto: Reprodução de Internet

SRZD Carnaval: Você vive intensamente a Portela e esteve presente em vários momentos da escola. Mesmo nos dias mais difíceis, você não deixou a agremiação. De onde vem tanto amor pela escola? Como você sente o momento atual da Águia Altaneira?

Realmente, teve anos que a minha fantasia valia mais financeiramente que a própria alegoria que eu desfilava. Mas, como falei, é muito amor envolvido. A melhor definição foi dada pela minha amada Dodô: "PORTELA É RELIGIÃO"! E eu sinto assim também. Portela acima de TUDO! De três anos para cá, com essa nova administração, a Portela retomou a sua história, voltou a ser gerida com seriedade e só nos traz expectativas de sucesso. Podemos até não ganhar, mas estamos sempre cotados para a vitória. A Portela voltou a ser temida e esperada. Nos dá mais ânimo e alegria. O trabalho sério e competente, com toda certeza nos levará a vitória a qualquer momento. A Portela é uma grande família. E a família portelense está muito feliz!

SRZD Carnaval: Deixe para os leitores do SRZD uma pista do que veremos do Carlos Reis no desfile de 2017.

Gostei muito do enredo que teremos em 2017. Acredito que o afinamento do Paulo Barros com a nossa Portela vai ser ainda maior. Com toda certeza, da minha parte podem esperar uma fantasia ainda mais fantástica e ainda mais elaborada. Vou tentar superar todas as anteriores, dentro dos meus padrões. Luxo, glamour e muito amor.

Foto: Reprodução de Internet

*Colaboradora do SRZD

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?

 


Veja mais sobre:CarnavalPortela

Comentários
  • Avatar
    19/06/2016 19:55:23papiza do sambaMembro SRZD desde 28/01/2010

    Que caia para o segundo grupo esta escola que abraça o anti carnavalesco paulo barros, onde virá o michael jackson, surfando em cabo frio, ui.... escola perdeu toda a raiz que era orgulho, agora pra mim é pura hipocrisia

  • Avatar
    18/06/2016 16:02:50Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    Embora tenha desfilado pela agremiação no carnaval 1991, o 1º Destaque da Portela, Carlos Reis acabou não dizendo isso, neste papo. Porém, eu irei fazê-lo. Foi injusto o 6º lugar da Majestade do Samba naquele ano, ainda que tal colocação atualmente equivalha a voltar no desfile das campeãs. Pra ter-se ideia, a Portela foi Estandarte de Ouro como a melhor do ano em personalidade, revelação, comissão de frente, ala feminina e samba-enredo. O desfile apresentado pela Águia Altaneira & Guerreira de Oswaldo Cruz e Madureira teve a cara do então estreante enquanto Destaque, o próprio Carlos Reis. Pra recordar e ilustrar isso, a íntegra da letra do ´hino´ oficial nota 10 unânimes, obra musical em parceria dos compositores-bambas Carlinhos Madureira, Café da Portela e Iran Silva, cujo tema foi desenvolvido pelo carnavalesco Sílvio Cunha e enredo intitulado Tributo à Vaidade: ´Olha eu aí/Cheguei agora/Cheguei pra levantar o seu astral/Posso perder, posso ganhar, isso é normal/Vinte e uma vezes campeã do Carnaval (REFRÃO). Eu sou vaidosa/Eu sou assim/Vaidade não tem preço/Mas eu tenho o seu apreço/Pois você gosta de mim/Eu sei que faço seu corpo arrepiar/Eu sei que você não vai sem me ver passar/Eu já vi você chorar/Na hora do meu desfile encerrar. Perguntei ao espelho meu/Qual delas é mais linda do que eu?/Ele então me respondeu/Mais linda do que eu só eu (BIS). O meu azul veio lá do infinito/O meu canto é mais bonito/Salve Oswaldo Cruz e Madureira/Me chamam celeiro de bamba/A Majestade do Samba/Da Velha Guarda formosa e faceira/Eu sou e sei que sou/Mais fascinante, deslumbrante, mais amor/Bem sei que você aprova/Pois meu visual comprova/Eu sou luxo e esplendor´. Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

Comentar