SRZD



Maria Apparecida

Maria Apparecida

CARNAVAL. Historiadora, escritora e decoradora, é considerada uma das mais respeitadas autoridades do Carnaval de São Paulo. Há 35 anos começou a se interessar pelo samba, em que desenvolveu vários projetos. Entrou para a história ao se tornar a primeira carnavalesca da folia paulistana.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



27/06/2016 11h28

Que tipo de enredo teremos em 2017?
Maria Apparecida Urbano

Estamos vivendo momentos de expectativas. Escolhas de enredos, momentos de incertezas...

O que será bom para as escolas de samba apresentarem no próximo Carnaval?

Dúvidas, dúvidas...O que será melhor? Vejo que algumas escolas resolveram dar uma volta ao passado e reviver antigos Carnavais.

Perguntas. Foto: Arte

Assim surgem novas dúvidas; cada enredo depende muito de como ele foi apresentado, em que época, qual o seu sucesso...

Muitas vezes o que significou muito em determinado ano do passado, hoje se torna obsoleto...Os tempos mudam e a visão da apresentação já é outra.

Mas também temos que convir que reviver o passado é dar um giro na história de cada escola, trazendo ao público o que era bom e continua sendo, revivendo, por vezes emocionados, antigos dirigentes das escolas, carnavalescos, mestres de bateria e tantos outros que talvez já não se encontram entre nós. Para que não sejam esquecidos tantos sucessos de outrora, devemos recordar também os nomes desses abnegados que fizeram muito pelo samba paulista.

Tempos atrás as escolas se prendiam em trazer para os seus enredos passagens das historias pelas quais o Brasil passou.

Foram Carnavais inesquecíveis. Depois passou-se para momentos modernos em que apenas uma chamada traduzia um enredo como: a luz, as mãos, o amor e tantos outros. Depois vieram enredos com títulos imensos, parecendo mais um verso de poema.

Aconteceram também enredos quase satíricos, como momentos políticos, e críticos sobre determinados momentos.

Porém, os melhores e mais lindos enredos apresentados por quase todas as escolas foram os que se referiam à África, ao seu povo e a sua religiosidade e costumes. Vimos Carnavais maravilhosos sendo aplaudidos por uma elite que pouco conhecia sobre o assunto.

Temos certeza que este ano pelas apresentações dos enredos que foram escolhidos, até bem diversificados, teremos um Carnaval muito bem elaborado e executado, contando com a colaboração, criação e desempenho dos carnavalescos. Embora sabendo que estamos passando por momentos difíceis, com muita recessão financeira, o que para os sambistas não é novidade, pois eles sabem driblar a falta de matéria prima caríssima, substituindo por materiais reciclados, ou até mesmo buscando elementos na natureza.

Não há crise que derrube a força de vontade dos sambistas para apresentarem o seu Carnaval. Já tivemos outras crises, em que, com boa vontade e criatividade, tanto dos carnavalescos como das comunidades, foram conquistados títulos de campeãs, com carros alegóricos decorados somente com pratinhos de festa, ou, então, com capim e bambu. Agora é arregaçar as mangas e ir ao trabalho: a plateia nos aguarda!

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.