SRZD


06/01/2009 11h02

Milícias em guerra?
Redação SRZD

SIDNEY REZENDE ENTREVISTA MARCELO FREIXO:

Comente também!

Dois assassinatos ocorridos nesta segunda-feira podem ser um sinal de que milícias da Zona Oeste estejam em guerra. A polícia investiga as mortes do agente penitenciário Wagner Resende Miranda, de 52 anos, e do sargento bombeiro Carlos Alexandre Silva Cavalcante, o Gaguinho, ambos suspeitos de envolvimento com milicianos.

Na manhã desta segunda-feira, Carlos Alexandre foi assassinado a tiros de pistola e fuzil, quando abastecia seu carro na Estrada do Gabinal, em Jacarepaguá. Algumas horas depois, Wagner também foi morto a tiros, a cerca de 50 metros de sua casa, em Campo Grande.

Para a polícia, não está descartada a hipótese de que a segunda morte tenha acontecido em represália à primeira. Depois de ter sido acusado pela mulher de Gaguinho, a principal suspeita é que o assassinato do sargento bombeiro tenha sido cometido por Ricardo Teixeira da Cruz, o "Batman", miliciano que fugiu do presídio Bangu 8 em outubro.

Envolvimento com milícia

Em novembro, Gaguinho foi flagrado pela Corregedoria da Polícia Civil com um fuzil dentro de um carro da Polinter, ao lado de dois policiais. Ele estava autorizado pela cúpula da Segurança Pública a atuar como informante da equipe do delegado Marcus Neves.

Além de estar na lista de indiciados pela CPI das Milícias, o sargento bombeiro tinha passagem por formação de quadrilha e estelionato, e era investigado pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE) por envolvimento com a milícia. 

Já Warner Rezende de Miranda, conhecido como Waguinho Desipe, que também teria ajudado a polícia em investigações, respondia a dois inquéritos por envolvimento com a milícia Liga da Justiça, da qual fariam parte o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho e o ex-deputado estadual Natalino Guimarães.

Advogado sofre tentativa de homicídio


Ainda na segunda-feira, milicianos teria tentado fazer uma terceira vítima. O carro do advogado Carmindo Santos, que luta pela posse de um terreno na Zona Oeste, foi alvo de vários tiros em uma das principais vias do Recreio dos Bandeirantes, às 10h.

Atingido por nove disparos, o advogado falou, em entrevista à TV Globo ainda na cama do hospital, que acredita que o crime está relacionado à disputa do terreno no Recreio. Segundo Carmindo, ele recebeu v´parias ameças por telefone antes da tentativa de assassinato. 


Comentários
  • Avatar
    06/01/2009 14:18:38Marcio MoreiraAnônimo

    Muito boa a entrevista.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.