SRZD



Ednei Mariano

Ednei Mariano

CARNAVAL/SP. Natural de São Paulo, nasceu no bairro de Vila Mariana, Zona Sul. É pesquisador, escritor, dançarino, carnavalesco e professor. Foi o primeiro passista da escola de samba Vai-Vai. Como mestre-sala, defendeu durante 34 anos de carreira os pavilhões da Barroca Zona Sul, Tucuruvi, Vai-Vai (de Honra), Rosas de Ouro e Unidos de São Lucas.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



05/08/2016 12h00

O sucesso e o fracasso no Carnaval
Redação SP

Tudo nesta vida tem um motivo, o acaso não existe para nós da dança, ou pelo menos, não deveria existir. Devemos estar atentos aos movimentos e encontrar o momento certo, porque é este espaço de tempo que nos levará ao sucesso ou ao fracasso.

Em caso de triunfo, vamos festejar, ser ovacionado, elogiado, nos colocarão em um pedestal de santo, mas para isso, tudo tem que sair melhor do que foi planejado.

Nossa dança é representativa, é ação, é interpretação, jogamos o nosso encanto para a platéia e para os jurados ou avaliadores como queiramos chamar os senhores da nota, aqueles que estão lá para ver se chegamos a perfeição, mas isso só acontecerá, quando a dança flui, quando a fantasia se ajusta e seu volume transcende e se ilumina com o clarão da pista.

A nota veio, os prêmios chegaram, a equipe de trabalho foi coesa, apresentadores e apoios atentos cumpriram suas missões. Vencida a grande batalha de dois, tudo sereno para o ano seguinte, teremos como aliado a serenidade, melhores recursos, todos os envolvidos compensados, a felicidade é um estado vigente nos próximos seis meses, é tempo de gloria, quando tudo acaba bem.

O outro lado da moeda, é sem ouro, sem bajulações, sem o burburinho, é o apontar de dedo, é escutar a palavra: "eu te falei", sem nunca ter dito, é a entrada para um labirinto de dor, de tristeza em dias e noites longas.

Fracasso. Foto: Reprodução

Explicações a toda hora, surgimento de várias dúvidas, contestação da sua dança, sua vida pessoal será vasculhada para encontrarem um punhal contra ti, é momento de junto com toda a equipe buscar com consciência onde foi o erro, não sair apontando, atirando para todos os lados ou se isolando em um vale de lágrimas.

É ter a tranquilidade para achar aonde foi que errou, porque em algum lugar esquecemos de algo que faltou, que falhou no momento que não podia, levando nosso trabalho a ter uma avaliação baixa, um resultado tímido.

Se estamos começando na dança, nosso caminho será longo, mas se mantermos o equilíbrio necessário para reconhecer nossos erros e não querer transferir para outro, isso nos levará a reparação para momentos mais favoráveis.

Se formos já veteranos na dança, será mais difícil aceitar, então busquemos dentro do nosso eu a humildade para reconhecer que somos falíveis, aí teremos forças para passar por este turbilhão de dor, muitos poderão nos deixar pelo fracasso deste ano, mas não estaremos só, porque a nossa humildade em reconhecer nossa inferioridade momentânea vai atrair para nós gente forte que nos ajudará no caminho para o sol.

O samba é tão democrático que nos da a oportunidade de a cada ano escrever uma nova história, se foi pobre neste ano, a serenidade nos ajudará a reverter e fazê-la rica no próximo tríduo momístico, mas isso está em nós, na nossa dignidade em tratar estes momentos, sejam bons ou ruins, é muito fácil imputar ao próximo a nossa incapacidade ou nosso erro.

Sabemos que a cada dia a vida nos dá a oportunidade de sermos melhores do que fomos ontem, sabemos da generosidade da nossa dança, e ela nos permite do fracasso de hoje ir rumo à redenção de amanhã, mas a chave disso é a serenidade sempre, eu acredito nisso. Axé.

Já curtiu a página do SRZD-Carnaval no Facebook?


Comentários
  • Avatar
    14/09/2016 10:44:23Tamires SantanaAnônimo

    Que mensagem magnífica!

  • Avatar
    13/09/2016 20:56:39Valdir Ribeiro de OliveiraAnônimo

    Este texto retratou bem o sentimento de um sambista após o sucesso ou fracasso de um carnaval.Por diversas vezes passamos por isso e na maioria das vezes não somos reconhecidos pelo árduo trabalho que realizamos durante o ano que antecedeu o carnaval,mas sempre tive a felicidade de ter amigos e pessoas próximas que sempre nos deram motivos para continuar o nosso trabalho em prol da nossa cultura o samba.Tive,tenho e sempre terei a felicidade desse grande Mestre Ednei Pedro Mariano como amigo e parceiro de muitas experiências vivida no carnaval que me deram a fibra necessário para não desistir pois a cultura do samba foi,é sempre será um marco de resistência na cultura do nosso povo.AXÉ.

  • Avatar
    13/09/2016 20:55:30Valdir Ribeiro de OliveiraAnônimo

    Este texto retratou bem o sentimento de um sambista após o sucesso ou fracasso de um carnaval.Por diversas vezes passamos por isso e na maioria das vezes não somos reconhecidos pelo árduo trabalho que realizamos durante o ano que antecedeu o carnaval,mas sempre tive a felicidade de ter amigos e pessoas próximas que sempre nos deram motivos para continuar o nosso trabalho em prol da nossa cultura o samba.Tive,tenho e sempre terei a felicidade desse grande Mestre Ednei Pedro Mariano como amigo e parceiro de muitas experiências vivida no carnaval que me deram a fibra necessário para não desistir pois a cultura do samba foi,é sempre será um marco de resistência na cultura do nosso povo.AXÉ.

  • Avatar
    15/08/2016 21:22:14Alex Santos RibeiroAnônimo

    As vezes o trabalho de um ano pode escapar por simples detalhes... Parabéns pelas palavras.

  • Avatar
    05/08/2016 16:36:25alex santosAnônimo

    Bom objetivo pois essa é a nossa vida ....

  • Avatar
    05/08/2016 14:22:03Marcelo MauaAnônimo

    Como sempre sábias palavras , mais um texto sóbrio, direto e objetivo que traduz bem este momento dentro do carnaval !!!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.