SRZD



Paulo Estrella

Paulo Estrella

CONCURSO PÚBLICO. Desde 2008, diretor-pedagógico da Academia do Concurso, empresa do grupo Estácio, professor de curso preparatório desde 2003 e coordenador de cursos de pós-graduação da Academia do Concurso. Trabalha em cursos de performance, com provas realizadas por terceiros, desde 1994, tendo passado por várias redes de ensino como MV1, Bahiense e GPI, além de cursos pré-militares. É consultor de preparação, especialista em concursos, blogueiro do caderno Boa Chance do O Globo e responsável pela criação e entrega dos cursos da Academia do Concurso na sede e em todas as unidades.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



26/08/2016 10h23

Hábitos de estudos não podem ser abandonados
Paulo Estrella

Para os candidatos de concursos com edital publicado, têm a oportunidade de colocar as matérias em dia e intensificar os estudos. Com um bom aproveitamento da preparação, nesse período, as chances de ter uma boa colocação no concurso aumentam consideravelmente.

Para esses candidatos é um tempo que pode ser dedicado a preparação. Para os candidatos que estão com edital ainda mais distante, sem previsão concreta, esse período pode ser usado para recarregar as baterias e aliviar um pouco da pressão de se preparar para um concurso. Isso não quer dizer que o candidato deva parar de estudar, é muito importante manter o hábito de estudo.

Mas nesse período, mesmo com mais tempo disponível, o candidato pode manter o ritmo que já está acostumado e o restante do tempo pode ser usado para se aproximar da família e dos amigos que costumam ser negligenciados durante a preparação.O conceito é conseguir dar uma descansada, sem impactar na preparação e se divertir um pouco, já que conforme o concurso se aproxima, o candidato não terá outra oportunidade para correr atrás do prejuízo.

O que não fazer?

Parar de estudar, o candidato nunca deve parar de estudar. O esforço para iniciar os estudos é sempre muito grande. É mais fácil se manter estudando do que retomar o estudo que foi suspenso temporariamente. Temos o hábito de acostumarmos a não estudar muito mais rapidamente do que tornar frequente a rotina de aprendizado. Se o candidato vem se preparando de forma eficiente, já adquiriu o hábito de estudar, o corpo e a mente já se adaptaram a essa rotina, parar de estudar leva rapidamente todo o processo para a estaca zero.

A retomada se torna muito dolorosa e até o candidato atingir a eficiência anterior, muito tempo foi perdido. Por isso, o candidato não deve afrouxar, deve manter o ritmo atual e usar o tempo restante para aproveitar os amigos e parentes, caso o edital ainda esteja mais distante.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.