SRZD



Celso Sabadin

Celso Sabadin

CINEMA. Jornalista, crítico de cinema, professor, escritor, curador e cineasta. É autor dos livros "Vocês Ainda Não Ouviram Nada - A Barulhenta História do Cinema Mudo", "Éramos Apenas Paulistas", biografia do cineasta Francisco Ramalho Jr., e "O Cinema como Ofício", biografia do cineasta Jeremias Moreira. Roteirizou e dirigiu o longa metragem "Mazzaropi", lançado em 2013, e o curta "Nem Isso", a partir da obra de Luís Fernando Veríssimo, lançado em 2015. Corroteirizou e codirigiu a série de TV "Mazzaropi, Uma Série de Causos", exibida no Canal Brasil. É editor do site "Planeta Tela", especializado em Cinema, e sócio-fundador da Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



18/09/2016 16h15

'Um Dia Difícil' confirma a força do cinema sul-coreano
Celso Sabadin

Novamente o cinema sul-coreano volta a surpreender. E positivamente. Quase sempre bastante criativo e hábil na difícil tarefa de misturar gêneros, o cinema produzido na Coreia do Sul tem encontrado boa receptividade por parte de um público atento às novidades da tela. "Um Dia Difícil" confirma esta tendência.

Um Dia Difícil. Foto: Divulgação

Lembrando o scorsesiano "Depois de Horas", a trama se inicia armando uma verdadeira noite de pesadelos para o detetive Gun-su: retornando do funeral de sua mãe, ele atropela inadvertidamente um homem em uma rua escura e entra em pânico. No desespero de não ser descoberto, Gun-su acaba escondendo o corpo do atropelado no mesmo caixão de sua mãe, dando início a uma eletrizante mistura de suspense, policial e comédia de humor negro. E isto é só o começo.

"Um Dia Difícil" é apenas o segundo longa do roteirista e diretor Seong-hoon Kim, e já arrebatou um punhado de prêmios e indicações em festivais asiáticos. Seu trabalho anterior (uma comédia com o gigantesco título de "Ae-jeong-gyeol-pil-i doo nam-ja-e-ge mi-chi-neun yeng-hyang", que eu não faço a mínima ideia do que possa significar) foi recebido sem entusiasmo, mas seu próximo trabalho, "O Túnel", promete altas doses de suspense e claustrofobia ao retratar o desespero de um homem preso num túnel desabado.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.