SRZD



Celso Sabadin

Celso Sabadin

CINEMA. Jornalista, crítico de cinema, professor, escritor, curador e cineasta. É autor dos livros "Vocês Ainda Não Ouviram Nada - A Barulhenta História do Cinema Mudo", "Éramos Apenas Paulistas", biografia do cineasta Francisco Ramalho Jr., e "O Cinema como Ofício", biografia do cineasta Jeremias Moreira. Roteirizou e dirigiu o longa metragem "Mazzaropi", lançado em 2013, e o curta "Nem Isso", a partir da obra de Luís Fernando Veríssimo, lançado em 2015. Corroteirizou e codirigiu a série de TV "Mazzaropi, Uma Série de Causos", exibida no Canal Brasil. É editor do site "Planeta Tela", especializado em Cinema, e sócio-fundador da Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



25/09/2016 17h16

Festival de Brasília: Direção competente e roteiro ralo marcam 'A cidade onde envelheço'
Celso Sabadin

Existe um tipo de cinema, muito identificado com a produção europeia, que popularmente é chamado de "filme que não acontece nada". Geralmente são retratos existenciais de personagens introspectivos desenvolvidos em narrativas que caminham na contramão da agitação vazia do cinema comercial norte-americano. São filmes onde o que se sugere fala mais alto do que se mostra.

A coprodução lusobrasileira "A Cidade Onde Envelheço" é um destes filmes. Mas com um porém: ele abusa do direito de "não acontecer nada".  

A cidade onde envelheço. Foto: Divulgação

Tudo gira em torno de duas jovens portuguesas que dividem um apartamento em Belo Horizonte: Francisca, estabelecida há mais tempo no Brasil, e Teresa, que acaba de chegar para tentar a vida por aqui. Muito amigas em épocas passadas, em Lisboa, ambas tentam se adaptar à difícil realidade da convivência fora de casa, dentro de um clima que alterna tensões e afetos. Mas o roteiro de João Dumans, Marilia Rocha e Thais Fujinaga acaba patinando, não alcançando um desenvolvimento satisfatório a ponto de segurar a atenção em seus 99 minutos de projeção.

Mesmo com este tênue fiapo de história, a direção de Marília Rocha se mostra envolvente e segura. "A Cidade Onde Envelheço" é o primeiro longa ficcional da diretora, após seus premiados documentários "Aboio" e  "A Falta que me Faz". O filme já tem distribuição para o mercado brasileiro, o que só deve acontecer em 2017. 

*Celso Sabadin viajou a Brasília a convite da organização do Festival.   


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.