SRZD



Hélio Ricardo Rainho/Carnaval

Hélio Ricardo Rainho/Carnaval

CARNAVAL. Profissional de Comunicação e Marketing, Hélio Rainho veio do teatro, sendo ator e diretor profissional. Autor da biografia do jogador Mauro Galvão e de várias peças teatrais. Nascido na Praça XI, chegou à Portela como jovem compositor nos anos 80 e passou a pesquisar escolas de samba e Carnaval. Idealizador do projeto "Quem És Tu, Passista?", um manifesto pela preservação do segmento, é padrinho dos passistas do Império Serrano e comentarista dos desfiles na Sapucaí. Twitter/Instagram: @hrainho.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



27/09/2016 02h42

Nosso luto é mais azul!
Helio Ricardo Rainho

Marcos Falcon. Foto: Reprodução

"Chora, Portela! Minha Portela querida..." (Paulo da Portela)

Lágrimas de um pranto sem fim. Tristeza, luto e agonia. A Águia Altaneira voou pra chorar...

"Ouro, desça do seu trono..." (Candeia)

O ouro do trono de glórias da Majestade do Samba derreteu-se simbolicamente convertido em tristeza, e escorreu em forma de lágrimas! A Portela, em prantos, num dia de dor...

"Não posso definir aquele azul..." (Paulinho da Viola)

A vida. Quem a pode definir?
Que sabemos sobre a vida?
Que sabemos sobre o dia em que nascemos e o dia em que, enfim, a semente retorna ao solo, para dar fruto em outro plano? Haverá o outro plano? Que sabemos? O que não sabemos? O que ainda havemos de saber?

"Ai, quantas lágrimas eu tenho derramado" (Manacéia)

Coração triste, apertado. As palavras deságuam do peito, escorrem pelos olhos e tecem a trama de um texto triste, sofrido. A dor de uma despedida.

"Havia flores enfeitando o meu jardim / Gorjeando a passarada / Era tudo para mim" (Monarco)

Encheu nosso caminho de flores e sorrisos, fez das noites e dias da Portela momentos felizes, levantou o moral de nossa gente, acendeu a chama da nossa azul paixão!

"Segue os passos do Criador! Vai, minha Águia Guerreira!" (Ari do Cavaco, Celsinho de Andrade, Júnior Escafura, Diogo Nogueira, Ciraninho)

Foi-se. Bateu asas. Voou para tão longe (ou mais perto?) de todos nós a Aguia Guerreira que devolveu o orgulho e a esperança de uma nação azul e branco. Rumo ao Criador. Para a tal Eternidade...

"Voa, Águia, em sua liberdade!" (Noca da Portela, J. Rocha, Edir, Poly)

Livre das amarras deste mundo cruel. Livre de nossas dores, nossos traumas, nossas angústias. Enfim...livre estás!

"Preciso de um mensageiro
Que seja bem ligeiro
Que leve a paz aonde for
"
(Neném, Mauro Silva, Arizão, Isaac, Carlinhos Madureira)

Caminhou entre a gente simples dos subúrbios, nas ruas de Oswaldo Cruz e Madureira. Abraçou e acolheu muita gente, levou a paz, o respeito às coirmãs, a unidade do samba, a fraternidade, o amor...

"E pra falar dos sonhos de Natal / Pedimos licença à nossa querida Portela"
(João Nogueira, Paulo César Pinheiro)

Ele foi o sonho vivo e cristalino de um novo Natal. Líder, amigo, patrono, defensor dos baluartes. Humano, gentil e aguerrido. Ousado. Vencedor.

A poesia da Portela se fez luto nesta tarde de segunda-feira. Mas nós sabemos - e bem aprendemos! - a lição que ficou.

Obrigado, presidente Marcos Falcon, por ter nos devolvido a fé e a convicção de que nunca deixamos de ser o que somos! Obrigado por dar às mãos à nossa Velha Guarda, modernizar o nosso patrimônio e perpetuar a nossa tradição!

Obrigado pelos generosos sorrisos, sinceros afagos, incansáveis incentivos, inesquecível paixão por nossa escola!

Com você, aprendemos a vencer: nossa dor é temporária...nossa gratidão, eterna...a Portela e os portelenses te amarão para sempre!

Você que me trouxe de volta à avenida com as cores da minha escola!
Você que separava pessoalmente, todos estes anos, a minha roupa de desfile para entregar em minhas mãos!
Você que repetia sempre: "a Portela é de vocês"...eu hoje assim te digo: Você também é nosso! E será pra sempre da Portela! Está guardado em nossos corações!

"E no meu destino sem fim / Cruzar o azul que é tudo pra mim" (Samir Trindade, Wanderley Monteiro, Elson Ramires, Lopita 77, Dimenor e Edmar Jr.)

Vá para o céu de Dodô, nossa mãe santa portelense, que tão bem te acolherá.

Em homenagem a você, não vestiremos tristeza...NOSSO LUTO É MAIS AZUL!

Obrigado...

Adeus, presidente!


Comentários
  • Avatar
    28/09/2016 16:07:13Almir da Silva LimaMembro SRZD desde 11/10/2011

    O filósofo dos filósofos, Marx, ensinou: ´O critério da verdade é a prática´. Por sua vez na obra-prima musical Filosofia do Samba eternizada por Paulinho da Viola o Príncipe do Samba, Mestre Candeia, ensinou: `Pra cantar Samba não preciso de razão/Pois a razão está sempre em dois lados (...)´. Não cheguei a conhecer pessoalmente o já saudoso pres. exec. da estirpe do patrono in memória da Portela, Natal, Marcos Falcon. O qual, eu creio que caso o tivesse feito, teríamos gostado um do outro. Na eliminatória de samba da última 6ª feira, 23/09, eu estive em quadra. Fiquei a maior parte do tempo bem próximo à sala que dá acesso ao palco, na esperança de que eu pudesse me apresentar, conhecê-lo e conversar minimamente. Que foi o que fiz com os compositores-bambas mestre Noca da Portela, Samir Trindade, Wanderley Monteiro, Alexandre Fernandes e um do samba dos crias que não cheguei a saber o nome. O mago carnavalesco Paulo Barros declarou durante o velório de Falcon, ambos serem iguais. Eu estou convencido que caso tivéssemos nos conhecido pessoalmente eu e Falcon diríamos a mesma coisa um do outro. Haja vista, desde que erigiu o movimento Portela Verdade entre 2011/2012 eu sempre manifestei apoio sem idolatria à liderança dele. Por isto, chamou-me à atenção o seguinte. Até agora assim considero devido não ter conhecimento do contrário, as ausências no velório e enterro de Falcon, de duas personalidades do mundo samba que com ele trabalharam. Me refiro ao vitorioso carnavalesco que é assumido portelense de coração, Alexandre Louzada. O outro é o ótimo intérprete Wantuir Oliveira. Saudações carnavalescas do portelense, Almir de Macaé.

Comentar