SRZD



Ana Carolina Garcia

Ana Carolina Garcia

CINEMA. Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



29/09/2016 02h18

'O Lar das Crianças Peculiares' é um belo exemplar do cinema de aventura e fantasia
Ana Carolina Garcia

Poucos cineastas dominam o gênero da fantasia como Tim Burton, vide os clássicos "Edward Mãos de Tesoura" (Edward Scissorhands - 1990) e "Os Fantasmas se Divertem" (Beetlejuice - 1988), cuja continuação já está confirmada. Nesta quinta-feira, dia 29, seu novo longa chega aos cinemas brasileiros: "O Lar das Crianças Peculiares" (Miss Peregrine's Home For Peculiar Children - 2016), classificado também como aventura.

Foto: Divulgação

Baseado na obra "Miss Peregrine's Home For Peculiar Children", de Ransom Riggs, o longa conta a história do jovem Jake (Asa Butterfield), que decide se aventurar numa pequena cidade do País de Gales após a misteriosa morte do avô, na tentativa de descobrir se há alguma verdade nas histórias que ouvia quando criança. Seguindo a pista deixada pelo avô, Jake descobre as ruínas do orfanato, bombardeado pelos nazistas em 03 de setembro de 1943, e é levado a uma fenda de tempo, onde crianças com poderes especiais, chamadas de peculiares, vivem sob a responsabilidade de Miss Peregrine (Eva Greene), que os protege dos temidos hollows e etéreos.

O roteiro assinado por Jane Goldman é redondinho, bem estruturado e permite que a trama se desenvolva sem pressa para apresentar melhor a essência de cada personagem e transmitir a mensagem sobre a importância da união frente às adversidades. No entanto, sua narrativa se arrasta em alguns momentos, o que não compromete o seu resultado final, mas pode incomodar alguns espectadores, principalmente crianças.

Foto: Divulgação

"O Lar das Crianças Peculiares" chama muita atenção nos quesitos técnicos como fotografia, direção de arte, figurino e maquiagem, mantendo o padrão de qualidade instituído por Burton a filmes de fantasia anos atrás. Não é exagero algum afirmar que este longa é esteticamente primoroso, inclusive em seus efeitos visuais potencializados pelo 3D eficiente, tanto em objetos saltando da tela quanto em profundidade de campo, fazendo jus ao ingresso mais caro.

Outro ponto alto do longa é o seu elenco afinadíssimo que transmite uma atmosfera um tanto nostálgica de produções de aventura e fantasia destinadas ao público infanto-juvenil nos anos de 1980, no que tange à dinâmica entre os personagens. Dentre os atores, os destaques são Butterfield, numa composição que equilibra fragilidade com a força oriunda da responsabilidade de assumir um lugar de peso no grupo das crianças; Green, que acerta o tom misterioso da personagem sem cair na armadilha da mesmice; e Samuel L. Jackson (Barron), numa atuação divertidamente insana. Porém, é necessário ressaltar a rápida aparição de seu realizador numa das melhores sequências do filme, já no terceiro ato, capaz de fazer a alegria de seus fãs mais atentos.

Apesar de se arrastar um pouquinho, como citado anteriormente, "O Lar das Crianças Peculiares" é um belo exemplar do cinema de aventura e fantasia, capaz de envolver espectadores de todas as idades com o que é apresentado na tela.

Assista ao trailer oficial:



Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.