SRZD


15/10/2016 14h38

CHAT FOLIA: X9 Amazônica promete misturar samba e sertanejo em homenagem à Chitãozinho e Xororó
Redação UESM

Confira a entrevista com Carlos Guedes, presidente da escola, que ficou tão feliz em participar do Carnaval de Maquete que já planeja o próximo desfile.


- Misturar estilos musicais é algo muito comum no mundo do samba. A escola pretende alcançar um público sertanejo fazendo a homenagem a Chitãozinho e Xororó?
Sim, no nosso caso é o samba-enredo com uma cadência digamos mais "acelerado", só que a escola tenta mostrar ao máximo do sertanejo/country que é o estilo musical dos nossos homenageados, a X9 a princípio de tudo falaria sobre a Amazônia, mas se nós parar para ver os temas de Amazônia para um estilo musical, são coisas totalmente diferente exceto o canto dos pássaros que se torna uma verdadeira sinfonia, um estilo musical (risos).


- A escola pertence ao município de Santarém, ao oeste do Estado do Pará, um local que não tem tanta tradição de carnaval. Que tipo de material pretende usar para suprir esta ausência de materiais carnavalescos?
Um dos materiais que usaremos no carnaval da Xis é o E.V.A., que é um tipo de plástico nem tão mole e nem tão duro, ele é flexível para a sua utilização e facilita bastante no corte. E sim não temos uma tradição forte no carnaval, mas nós temos o Çairé ou Sairé, uma disputa de botos o Tucuxi (boto cinza) e o Cor-de-Rosa que o próprio nome já diz, então nós temos uma influência indígena, um folclore de nossa terra, fruto da nossa imaginação, isso acontece no mês de Setembro e em Santarém, já em uma cidade vizinho em Juruti temos a disputa das Tribos Muirapinima (azul e amarelo) e Mundurukus (vermelho e amarelo).

- Como é o seu relacionamento com o carnaval?
Eu assisto todos os anos os desfiles do Grupo Especial de São Paulo e Rio de Janeiro, e amo de coração o carnaval, nunca participei de um desfile, e também nunca trabalhei em um barracão, e essa é a primeira vez que participo de uma Liga.

- Como surgiu a ideia de criar uma escola de samba de maquete e participar da UESM?
Eu adorava fazer um sambódromo bem pequenininho, e sempre acabava o carnaval e eu estava fazendo a pista, a marcação na pista tudo era bem pensado. Eu já tinha uma paixão por maquete foi aí que veio a imaginação de pesquisar na internet se havia alguma coisa relacionada ao carnaval de maquete, foi que eu vi um carro da Tribos da Ilha ( se não me falhe a memória), e prontamente eu cliquei para ver e foi ai que eu vi o nome UESM, e fiquei na cabeça com aquilo e três dias depois eu fui buscar saber mas e então descobri as redes sociais da Liga e entrei em contato para mas informações e eu comecei logo em pensar em um nome para minha escola de maquete.

- Explique a escolha do nome, do símbolo e das cores da escola. 
Depois de conhecer a UESM eu tive que pensar no nome para minha escola de samba, eu queria algo diferente, mas fui pesquisando os nomes das escola já existentes na Liga e vi a Unidos do Tijucano, Estação Primeira da Alegria, Mocidade Masf, São Vicente e entre outras. Mas eu amo de corpo e alma o G.R.E.C.S. X9 PAULISTANA, foi ai que eu tive a ideia de entrar em contato com os dirigentes da agremiação para pedir a permissão do uso das cores, simbolo X9, e a marca como um todo. E é daí que vem a inspiração para o meu desfile, a garra, a raça, o esforço desta linda agremiação, que tanto amo. #AvanteX9 #VimViVenci


- Pode nos revelar algo que vai marcar o desfile ou alguma curiosidade?
O abre-alas para nós da diretoria é o que vai marcar o nosso desfile, pois vem o grandioso sabiá, que é a marca do canto dos nossos homenageados José de Lima Sobrinho e Durval de Lima, popularmente conhecidos como Chitãozinho & Xororó.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.