SRZD



Paulo Estrella

Paulo Estrella

CONCURSO PÚBLICO. Desde 2008, diretor-pedagógico da Academia do Concurso, empresa do grupo Estácio, professor de curso preparatório desde 2003 e coordenador de cursos de pós-graduação da Academia do Concurso. Trabalha em cursos de performance, com provas realizadas por terceiros, desde 1994, tendo passado por várias redes de ensino como MV1, Bahiense e GPI, além de cursos pré-militares. É consultor de preparação, especialista em concursos, blogueiro do caderno Boa Chance do O Globo e responsável pela criação e entrega dos cursos da Academia do Concurso na sede e em todas as unidades.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



17/10/2016 10h29

Há vida após a prova
Paulo Estrella

Hoje vou continuar me dirigindo aos concurseiros que farão a prova do TCM-RJ neste domingo. Na semana passada, falei sobre o planejamento do estudo na última semana antes da prova, essa semana publiquei umas dicas para a véspera e dia da prova. Nesse texto de hoje vou argumentar sobre o conceito mais importante para garantir equilíbrio emocional durante a prova, a certeza que o conhecimento adquirido durante a preparação para o concurso do TCM-RJ é aproveitado para outros concursos. A preparação não termina na prova, ela continua até a aprovação.

Dessa argumentação é que vem o nome desse post: "há vida após a prova".  É muito comum o candidato apostar todas as suas fichas na preparação para um concurso, é absolutamente normal, ninguém se prepara honestamente para um concurso que acredita realmente que não será aprovado. O candidato pode não acreditar na sua aprovação e com isso a preparação acaba sendo negligenciada e com desempenho menor que o necessário, nesse caso o resultado normalmente é o esperado, a eliminação ou uma colocação distante da oferta de vagas. Para esses, espero que na próxima oportunidade o estudo possa ser levado mais a sério e com mais foco para que as reais chances de aprovação aumentem. Para todos os candidatos que possuam nível superior: os que acreditam na aprovação para o TCM-RJ e os que não acreditam mas mesmo assim se prepararam da melhor forma possível, existe outra oportunidade no Rio de Janeiro, que além de oferecer uma outra oportunidade de contratação, possui conteúdos bem próximos ao do TCM, é o concurso para a ALERJ para Analista Legislativo para qualquer formação.

De cara as bancas são bem diferentes, enquanto o TCM-RJ é organizado pela IBFC o concurso da ALERJ é organizado pela FGV. Essa diferença obriga os candidatos do TCM-RJ, logo depois da prova, focar na resolução de questões da FGV nos conteúdos comuns e iniciar o estudo teórico das disciplinas específicas. O candidato tem um pouco menos de dois meses mas muito caminho andado na preparação, para esses as chances aumentam e o volume de conteúdos novos nem é tão grande assim. Agora vou fazer uma comparação entre os dois editais para esclarecer minha argumentação.

A disciplina de língua portuguesa tem normalmente os mesmos conteúdos programáticos, o que normalmente diferencia um edital do outro, nessa disciplina, é a abordagem da banca organizadora. Por isso é que constantemente argumento a importância de fazer questões de provas anteriores da banca para alinhar o conteúdo estudado com a capacidade de cobrança e característica de cada banca. A disciplina de controle externo, com exceção da lei orgânica do TCM e regimento interno é completamente aproveitada no concurso da ALERJ. Na disciplina de conceitos básicos da administração do edital da ALERJ aproveita a maioria dos conteúdos de ciências da administração do TCM.

Os únicos conteúdos que precisam ser tratados para a prova da ALERJ é qualidade na administração pública e gestão de projetos. A parte de contratos e licitação do conteúdo da ALERJ foram trabalhados em direito administrativo do TCM na disciplina de direito administrativo, quando foi estudado a lei 8666 (licitações e contratos), inclusive pregão eletrônico. Em constitucional o aproveitamento é grande também, mas demanda aprofundamento em princípios fundamentais, organização do Estado e poder legislativo estadual.

Na disciplina de administração financeira e orçamentária (AFO) o aproveitamento é total, mas demanda estudo de procedimentos contábeis orçamentários, dívida ativa, regime de aditamento, restos a pagar e a Lei Estadual 287/79 que é o código de administração financeira e contabilidade publica do estado do Rio de janeiro.   Nessas disciplinas citadas até agora o aproveitamento muito alto, apesar de necessitar de algum aprofundamento, mas o candidato já estudou e tem conhecimento o que simplifica bastante o estudo.

As disciplinas específicas da ALERJ são: Técnica Legislativa com noções do regimento interno da ALERJ e auditoria. Na primeira, todos os conteúdos são novos, é o funcionamento da ALERJ, mas a segunda tem controle externo que já foi estudado no TCM-RJ.  Nessa disciplina o candidato terá que estudar as normas da auditoria interna, controle interno e auditoria no setor público federal. Não disse que seria fácil, mas partir para um edital com bem mais da metade dos conteúdos já estudados é uma vantagem considerável, se compararmos a quem sairá do zero para essa prova.

No conceito de que não existe quem não passe em concurso, existe quem desiste antes de passar, essa é mais uma grande oportunidade que não pode passar em branco para quem sonha em uma vaga na carreira pública. Bom estudo a todos e até o próximo post.


Comentários
Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.