SRZD



Sidney Rezende

Sidney Rezende

ATUALIDADE. Jornalista, diretor do SRZD e um dos profissionais mais inovadores do país.

* Os textos desta seção não representam necessariamente a opinião deste veículo e são de responsabilidade exclusiva de seu autor.



18/03/2009 18h38

Cenas do Cotidiano
Sidney Rezende

A diferença entre ricos e pobres no nosso país é o exemplo da nossa incompetência. Um leitor me mandou mensagem, mas pediu sigilo sobre o seu nome. O que ele conta é que mesmo tendo sido vítima de assalto, ele reconhece que o preconceito contra os pobres, que muitos chamam de favelados, ajuda a perpetuar a falta de oportunidades:

"Sidney, primeiro: moramos no Humaitá e já fui assaltado por uma menina do Santa Marta:

- Sou do Santa Marta, passa logo 10 reais, porra!

- Gelei, fui socorrido por dois rapazes que me deram proteção.

Agora por aqui, a coisa está um pouco melhor, os meninos de rua já não são tantos.

Sou Assistente Social sempre fui contra assistencialismo, sempre trabalhei na linha da promoção humana. Porém, existem situações em que você tem que dar a mão e tirar do buraco. Não sou contra a inclusão digital no Santa Marta, e fiquei impressionada com a reação das pessoas no seu blog. Penso que depois que o Estado oferecer todos os serviços, devem ser cobrados, sim. Mas eu já subi morro (Salgueiro) e a barra é pesada.

Fiquei pasmo com o preconceito e quase ódio que as pessoas sentem pelos favelados. Creio que isso daria um estudo sociológico. Minha empregada mora em Costa Barros, assim que mudou bateu um cara de moto na porta dela e avisou: Net e gás e com a gente. E ela paga quietinha. São coagidos, vivem com medo."


Comentários
  • Avatar
    21/03/2009 10:11:11claudia macielMembro SRZD desde 07/04/2009

    MLIMA, muitas vezes penso como você principalmente porque tenho filhos e fico apavorada só de pensar no que poderia acontecer com eles em uma cidade neste estado ... Ao mesmo tempo também penso que podemos fazer a diferença e ajudar a reverter essa situação. Complicado ...

  • Avatar
    20/03/2009 10:21:19MLIMAMembro SRZD desde 07/04/2009

    OLHA SÃ?, ESSA CIDADE AQUI, SÃ? FAZENDO OUTRA, NÃ? OTEM MAIS JEITO.....DEVERIA EXISTIR UMA BOLSA EXILIO!!!! EU ACEITARIA UMA PRA SAIR DESTE INFERNO....

  • Avatar
    19/03/2009 17:03:34ZappaMembro SRZD desde 16/04/2009

    O que este suposto leitor chama de falta de oportunidades, é parte de um processo secular, que existe por razões diversas, dentre elas, o contexto genético e cultural do brasileiro, sempre referido como pouco objetivo existencialmente. Diz o suposto leitor...: FIQUEI PASMO COM O PRECONCEITO E QUASE Ã?DIO QUE AS PESSOAS SENTEM PELOS FAVELADOS!...: Será que quis nos fazer entender, que todos que se manifestaram contrários ao beneficiamento travestido de internet gratuita fornecido pelo governo com intenções claramente políticas, não sejam social e economicamente também cidadãos e excluídos? O suposto leitor segue dizendo ter sido assaltado por uma menina, moradora do Santa Marta, mas que à coisa melhorou um pouco? O que melhorou? Diz ainda, que uma trabalhadora que presta serviços em sua casa a qual ele se refere como minha empregada, como se fosse um utensilio, uma propriedade, foi e vive coagida pela chamada milícia, sendo obrigada a receptar gás e desviar sinais de TV. Será que realmente foi obrigada? Para finalizar acho que o velho clichê: Ouviu o galo cantar, mas não sabe onde, define com muita propriedade quem é preconceituoso?

  • Avatar
    19/03/2009 01:18:46Nelma EspíndolaAnônimo

    Ã? preciso que tenhamos consciência do tamanho das desigualdades sociais em nossa sociedade e, que esse contexto resulta na incidência de violência, que infelizmente, faz parte do nosso cotidiano. Ouvimos tanto falar em cidadania, mas necessariamente para que ela se efetive, todos nós temos que lutar por "nossos" direitos sociais, civis e políticos. E, quando falo em "nossos" direitos é para rebater essa dicotomia existente entre ricos e pobres; onde só quem tem poder aquisitivo pode ter acesso a determinados bens e serviços sociais. Enquanto vivermos em uma ?cidade partida?, com essa segregação social, o quadro atual não muda. Para que haja uma transformação social se faz necessário todos arregaçarem as mangas, socializarem direitos e deveres sociais, civis e políticos, principalmente entre a população mais pauperizada de nossa sociedade, e que em grande número mora em favelas, que prefiro definir como comunidades.

  • Avatar
    18/03/2009 20:56:13judithmariaAnônimo

    Pois é Claudia, penso que nas comunidades tb existem pessoas honestas, que se sentem excluídas de saúde, educação, segurança. Somos todos excluídos e o tema é mesmo polêmico. Enquanto isso o Senado é um cassino....

  • Avatar
    18/03/2009 20:03:15claudia macielMembro SRZD desde 07/04/2009

    O problema do abismo social no país é tão complexo que gera essa dualidade de opiniões. As pessoas estão revoltadas e com os nervos à flor da pele, indignando-se por pagarem tantos impostos e serviços caríssimos sem a devida contrapartida. Acho que dá para compreender ... Talvez, Judith, seja a "novidade" que arrancou os comentários de revolta. Afinal, políticos corruptos são a mesmice do dia a dia, enquanto que benefícios para favelados seja uma raridade. As pessoas honestas estão tão carentes de segurança pública, serviços essenciais como educação e saúde, que explodem quando se sentem mais uma vez "excluídas". A polêmica é grande e acho que é por isso que o Sidney está dando asas a ela.

  • Avatar
    18/03/2009 19:16:52judithmariaAnônimo

    Por favor leia: tb fiquei passada com alguns comentários..

  • Avatar
    18/03/2009 19:09:12judithmariaAnônimo

    Pois é Sidney, as pessoas tendem a discriminar os moradores de comunidades. Ã?les pagam sim, só que não é legal. Fico lendo no noticiário os escândalos do Senado e fico pasma de ver que ninguém se escandaliza, agora a internet gratuita nas favelas, todo mundo cai de pau. Aliás, reclamam porque tb querem de graça. Bastou ser favelado para ser tratado como bandido, tb fiquei passada alguns comentários. A questão das favelas no Brasil é muito mais complexa do que o achismo de algumas pessoas.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.