SRZD


27/03/2009 02h43

A-HA relembra sucessos e baladas em show no Rio
Luiz Felipe Carneiro

A-HA relembra sucessos e baladas em show no Rio | Foto: Gabriela Siciliano

Tudo bem, estamos em 2009. Não vamos esperar que Magne Furuholmen, Morten Harket e Paul Waaktaar-Savoy voltem ser aqueles jovens que incendiaram o Estádio do Maracanã em 1991, e muito menos, a Praça da Apoteose em 1989. O rosto de Morten quase não mudou. Mas o a-Ha mudou. E muito!

No final dos anos 80 e início dos 90, o a-Ha era uma verdadeira febre no Brasil. As rádios tocavam "Take On Me", "Cry Wolf", "Touchy!" e "You Are The One" sem parar. As garotas se descabelavam. A banda norueguesa vendia horrores. Como já era de se esperar, no show de ontem no Citibank Hall, as coisas foram diferentes. Ou quase...

As fãs (na faixa dos 30 anos) continuam se descabelando. Morten Harket continua dando os seus agudos praticamente perfeitos. As músicas mais aplaudidas ainda são os velhos hits do final dos anos 80... Ou seja, é mais fácil dizer o que mudou no a-Ha... E a principal mudança, como não poderia deixar de ser foi a passagem do tempo. No show de ontem, ficou claro que o a-Ha não é mais aquela banda adolescente que despeja hits para a plateia. A banda cresceu. O comportamento no palco é protocolar. E não há mais aquela velha vibração.

Tirando "Touchy!" e "You Are The One", todos os hits do a-Ha foram executados em um roteiro de 22 canções que fizeram a festa dos fãs em quase duas horas de apresentação. O início, é verdade, foi um pouco frio, com a música "Living a Boy's Adventure Tale", uma faixa obscura do álbum de estreia da banda, "Hunting High And Low" (1985). Mas quando o conjunto emendou "The Blood That Moves Your Body" (de "Stay On These Roads", de 1988) e mais quatro músicas de "Scoundrel Days" (1986) em sequência, os fãs puderam ter a certeza de que estavam em um show do (velho) a-Ha.

O roteiro do show foi preciso. Acertadamente, a banda norueguesa privilegiou os seus três primeiros (e melhores) álbuns. Das 22 músicas do show, 14 fazem parte de "Hunting High And Low", "Scoundrel Days" e "Stay On These Roads". Apesar de privilegiar tanto o passado, pelos menos três grandes sucessos foram ignorados: "You Are The One", "Touchy!" e "There's Never a Forever Thing", todas as três de "Stay On These Roads".

Entretanto, os fãs puderam cantar clássicos do synth pop, como "Take On Me" (a última do repertório, e que provocou o momento de maior entusiasmo por parte da plateia), "The Sun Always Shines On TV" (apresentada pelo simpático Magne Furuholmen como um "samba norueguês"), "Living Daylights" (música que fez parte da trilha de um filme de James Bond, e encerrou a apresentação antes do bis), "Stay On These Roads" (em uma versão idêntica a original, bem superior à acústica que o a-Ha acostumava apresentar em seus shows), "Hunting High And Low" (que, ao contrário da anterior, ganhou uma versão acústica inferior a original) e "Cry Wolf" (terceira música do roteiro e a primeira a causar os primeiros berros das fãs).

Canções obscuras desses três álbuns também fizeram a alegria de fãs mais atentos. Nesse grupo entram "The Blood That Moves The Body", "Scoundrel Days" e "Train Of Thought", entre outras. Os demais álbuns da discografia da banda - mais fracos - foram lembrados em conta-gotas. "East Of The Sun, West Of The Moon" (1990) teve "Crying In The Rain" no roteiro. A canção, aliás, ganhou uma versão mais eletrônica (e que ficou um pouco confusa). Já "Minor Earth, Major Sky" (2000) e "Analogue" (2005) foram lembrados com as suas respectivas faixas-títulos, enquanto "Lifelines" (2002) teve a sua "Forever Not Yours" cantada pelo público. "Memorial Beach" (1993), o álbum mais fraco do a-Ha, foi (acertadamente) ignorado pela banda.

Muito artista costuma vir ao Brasil para despejar os seus grandes sucessos, embolsar uma graninha e partir de volta no mesmo dia para o seu país. Devem pensar: "esses subdesenvolvidos se contentam com qualquer porcaria". (E o pior é que se contentam mesmo!) Mas o a-Ha teve uma atitude de Banda (com "B" maiúsculo mesmo) nesses shows que aconteceram ontem no Rio e anteontem em São Paulo. Magne Furuholmen, Morten Harket e Paul Waaktaar-Savoy apresentaram três canções inéditas, que farão parte do próximo álbum do grupo. Atitude de respeito para com os fãs.

Mas, infelizmente, boa parte do público praticamente ignorou as músicas novas. Bom, eles que se deram mal, porque "Riding The Crest", "Shadow Side" e "What There Is" são boas canções. A primeira, em especial, é um pop eletrônico que chega até a relembrar alguma coisa dos primeiros discos da banda. Talvez seja a batida eletrônica, bem semelhante a de "You Are The One". "Shadow Side" e "What There Is" são baladas eletrônicas que, diga-se de passagem, são bem superiores as dos últimos discos do a-Ha.

Para quem chegou até aqui, certamente está imaginando que o show do a-Ha beirou a perfeição. Hun, não foi bem assim... Alguns detalhes fizeram com que a apresentação perdesse parte de seu brilho. O primeiro detalhe, e mais importante, foi exatamente o vocalista Morten, que pouco se mexeu no palco, ignorando praticamente o tempo todo, os pedidos dos fãs da fila do gargarejo para que chegasse um pouco mais perto. Morten está cantando bem, embora exagere em alguns momentos nos agudos, mas ontem, definitivamente, ele não foi o líder de uma banda. Por sua vez, o tecladista Magne Furuholmen regia a plateia e, volta e meia, conversava com o público - ainda que em inglês.

Outro detalhe é que, apesar do repertório bem construído, em alguns momentos, o show soou um pouco frio, devido ao grande número de baladas em sequência e pouco conhecidas do público em geral. A ausência de dois dos maiores sucessos do a-Ha no Brasil ("You Are The One" e "Touchy!") também provocou algumas reclamações no final do show.

Enfim, entre mortos e feridos, o a-Ha e os fãs saíram no lucro. Mas bem que Morten e companhia, apesar de um pouco mais velhos, ainda estão devendo um show do a-Ha como nos velhos tempos... O fato de estarem mais velhos não significa que a velha vibração não possa ser reencontrada.

Setlist do show do a-Ha no Rio de Janeiro (Citibank Hall):
1)    "Living a Boy's Adventure Tale"
2)    "The Blood That Moves Your Body"
3)    "Cry Wolf"
4)    "Scoundrel Days"
5)    "Manhattan Skyline"
6)    "I've Been Losing You"
7)    "Minor Earth, Major Sky"
8)    "Riding The Crest"
9)    "Shadow Side"
10)    "I Dream Myself Alive"
11)    "Hunting High And Low"
12)    "Summer Moved On"
13)    "Train Of Thought"
14)    "The Swing Of Things"
15)    "Stay On These Roads"
16)    "What There Is"
17)    "Forever Not Yours"
18)    "Crying In The Rain"
19)    "Living Daylights"
+++
20)    "The Sun Always Shine On TV"
21)    "Analogue"
22)    "Take On Me"



Cotação: ***

***** Étimo
**** Muito Bom
*** Bom
** Regular
* Ruim

Para ler a Cesta Básica do a-Ha, basta clicar aqui .


Veja mais sobre:A-HA

Comentários
  • Avatar
    21/04/2009 14:04:01IsabelAnônimo

    Sua reportagem do show ficou muito interessante. Adorei que relatou diversos aspectos do show, setlist, os músicos, etc. , como descreveu a história da banda no Brasil de forma realista. Uma reportagem realmente profissional. Essa leitora agradece!

  • Avatar
    01/04/2009 21:17:57Monika Leão SilvaAnônimo

    Gostaria que vc lesse a critica que saiu na Mtv que é muito boa também. http://mtv.uol.com.br/blogdosite/blog/ha -uma-noite-incr%C3%ADvel-para-os-f%C3%A3 s-antigos-novos-e-secretos

  • Avatar
    31/03/2009 08:20:43AloisioAnônimo

    Prezados, gostaria de parabenizar e agradecer pela reportagem. Embora não concorde 100% com o que foi colocado, vocês foram coerentes em expor os argumentos e também demonstraram conhecer a trajetória do grupo. Grande abraço e parabéns aos fãs que marcaram presença nos shows do Brasil

  • Avatar
    30/03/2009 20:50:35GeoAnônimo

    Gostei muito do seu texto, parabens! mas rpeciso fazer algumas ressalvas: 1- as musicas novas nao foram cantadas porque obvio, ninguem sabia! Quer dizer, eu sou muiiiito fã deles e ja tinha pego a letra de Riding The Crest e Shadowside que eles tocaram em uma curta apresentação em Londres no ano passado, entao eu cantei que nem uma louca lá, rs principalmente ShadowSide que é MUUUITO linda, desde a primeira vez que a ouvi achei perfeita. 2-Quem é fã e que acompanha a algum tempo sabe que eles nao tocariam nunca Touchy e You Are The One. Isso é fato. Pra mim nao foi nenhuma surpresa nao te-las e o A-ha tem musicas muito melhores do que elas duas. 3- Voce julgou os albuns pelas vendagens aqui no Brasil, nao pode isso menino, rs :p assim Memorial Beach é um excelente disco, eles pelo menos poderiam ter tocado Move To Memphis, mas isso nao tirou a excelencia do show. E os novos tambem sao muito booons, só que a divulgacao foi feita mais la na Europa/Asia, entao aqui nao foi muito divulgado. Mas como eu tava la na frente, eu vi o povo cantando aos beeerros as novas, muita gente se emocionou com Summer Moved On e eu pulava em Analogue (e muita gente girtava pedindo essa musica, ela é linda demaaais), rs :D:D:D Enfim, saí de Salvador pro show de Sampa e voltei mais fã ainda. Ouvir o A-ha ao vivo é uma sensação unica, incrivel! Agora é trabalhar e juntar dinheiro pra na proxima tá la de novo! Mas mais uma vez te parabenizo pelo seu texto, voce foi muito sincero! abraços!

  • Avatar
    30/03/2009 11:33:47Sidnei Costa JrAnônimo

    Parabéns ao jornalista Luiz Felipe Carneiro. Excelente texto. Falou dos pontos altos e baixos do show com grande elegância. Totalmente diferente do que o pseudo crítico musical Jamari França, de O Globo, escreveu. O texto do que Sr Jamari redigiu parecia uma conversa de bar, sem respeito algum aos artistas e aos fãs. Sidney Rezende está de parabéns pelo site e por ter uma equipe tão competente. Quanto à postura do a-ha no palco o que posso dizer é o seguinte: de 2000 pra cá eles acenturam esse caráter mais introspectivo. Até mesmo em shows na Noruega (lá eles sempre serão o orgulho nacional) eles se portam dessa forma. Não ´q uma questão de desmerecer o público, mas de serem eles mesmos. Morten sempre foi tímido e contido. Nunca fez o gênero líder de banda. No a-ha há um equilíbrio de forças muito grande. Pal e Mags mantém uma disputa saudável de quem faz música melhor. Morten dá alma a essas composições como ninguém. Basta olhar no fundo dos olhos e ver que ele sente cada nota. Ele tem uma preocupação absurda em fazer o melhor. Ele mede cada movimento guardando energia para cada agudo que a platéia espera.

  • Avatar
    30/03/2009 09:08:24KelAnônimo

    Luiz Felipe, Meus parabéns pela crítica sensata e respeitosa. Ao contrário de alguns críticos tendenciosos que usaram de frases preconceituosas e irônicas ao falarem dessa maravilhosa banda. Eu fui ao show no Rio e saí com gosto de quero mais. A-HA FOREVER !!!!

  • Avatar
    29/03/2009 21:22:22Gabi SiciAnônimo

    Mto gostoso de ler uma crítica musical com essa... Assim como minhas amigas que foram ao show, senti falta de ouvir "You are the one", mas nunca pensei que fosse assitir a um show do A-ha na vida, então... já valeu a pena!! Foi uma noite sensacional, de grandes lembranças, pra guardar pra sempre! bjos!

  • Avatar
    28/03/2009 22:28:37MariaAnônimo

    Ahhh, esqueci de dizer. Os fãs não ignoraram as músicas novas. O que acontece é que eles não as conheciam, portanto, como poderiam acompanhá-las cantando? E ainda bem que teve uma sequência de baladas lentas, pois ficar pulando o tempo todo, a platéia não aguenta! A gente cansa fisicamente também , sabia? (entre ficar na fila e depois em pé no aguardo do show...)

  • Avatar
    28/03/2009 22:18:37MariaAnônimo

    Boa crítica, pelo menos alguém que parece conhecer de fato o a-ha (mas não tanto ainda quanto os fãs). Um show, a princípio foi feito para se ouvir música. Não somos ali uma torcida para ser animada. Prefiro ouvir a voz do Sr Morten Harket afinadíssima que ele gastando seu fôlego pra fazer quem quer que seja pular igual perereca, como alguém por aqui já citou. Ã? isso, fomos lá para ouvir música, seja ela lenta, seja rápida, apenas música! Parece "out" quando alguém gosta de música boa, um vocalista tão afinado que parece ter voz de anjo, uma música alegre e bonita. Música tem que ser deprê pra ser boa? Cruzes, parece que as pessoas insistem em não querer ser felizes!

  • Avatar
    28/03/2009 10:45:21f_a-haAnônimo

    "You Are The One" e "Touchy!" são um saco, sabiamente removidas do repertório. Próximo à frente central do palco havia um grupo de 15 pessoas paradas, perdidas, reclamando de tudo, se queixando das pessoas que pulavam, pareciam estar indo em um show pela primeira vez, não sabiam o que estavam fazendo ali, devem ser estas pessoas que ganham promoções de rádio, etc. e acham que o show do a-ha é um culto ou missa. Se não sabem para onde vão, não vá! para não ter que exigir paciência dos que sabem o que querem da vida, neste caso específico que era celebrar várias obras de vida vivas em torno de maravilhosas canções! No momento das músicas novas, este grupo estava querendo elevar suas discuções e causaram durante estas músicas um pouco de tensão aos que queriam celebrar, até que foi necessário que os interessados ao redor deles mostrassem à eles que eram minoria e que aceitassem a condição ou iriam provocar seja lá o que fosse possível. O pessoal olhou com uma expressão de que estavam unidos e preparados para tudo e o show conseguiu prosseguir alegre dali até o final cada vez mais. O Show do a-ha no Rio foi tão perfeito quanto esta matéria - é só ignorar esses indivíduos de promoção de rádio que "acham dinheiro no chão" como os "pequenos" erros de inverter os nomes do tecladista com o guitarrista; os agudos do Morten são marcas registradas dele, nenhum outro cantor consegue fazer igual sem que seja brega. O artigo está muito extenso, era só remover as besteiras faladas dentre a inversão sobre os nomes do guitarrista e o tecladista. Pelo ao menos dar mais atenção aos leitores editando os erros e tentando ser mais informativo do que crítico. No entanto, não está agredindo tanto a banda como outros artigos por aí, mas, estes autores são pessoas que não puderam ir ao show ou seus artistas favoritos ignoram a nossa nação e o a-ha não nos esqueceu e retornará logo-logo! \0/\0/\0/ a-ha in Rio \0/\0/\0/ eu fui!!! \

  • Avatar
    27/03/2009 21:34:43Ana CarolinaAnônimo

    Meus parabéns pela matéria Luiz Felipe. O show foi excelente, apesar de não cantarem "You Are The One" e "Touchy!", valeu muito a pena!

  • Avatar
    27/03/2009 20:59:12CARLOS ALBERTOAnônimo

    òtima materia, parabéns ao Luis Felipe Carneiro A-ha é uma das melhores bandas do mundo !!!

  • Avatar
    27/03/2009 20:27:38Marcos Antonio DiasAnônimo

    A-Ha simplismenti otímo,gosto desde criança a banda é showwwwwwwwwwwwww...

  • Avatar
    27/03/2009 20:01:35AlziraAnônimo

    Ao contrário do Jumari, de O Globo, a presente crítica mostra que o jornalista Luiz Felipe é imparcial e conhecedor do grupo A-HA. Parabéns pela análise sensata e profissional. E viva o A-HA!!!

  • Avatar
    27/03/2009 19:59:26HeloisaAnônimo

    Muito boa crítica! Analisou todos os aspectos do show com maturidade e isenção! Parabéns! Continue assim

Comentar