SRZD


01/04/2009 19h30

As justificativas do Grupo A
Redação SRZD-Carnavalesco

Quesito Mestre-sala e Porta-Bandeira

Jurado: Ricardo de Oliveira

São Clemente: 9,6 - A saia da porta-bandeira era "vasada", com a barra um tanto rigida e curvada de penas de faisão muito altas. A saia "vasada" deixa evidente movimentos que prejudicaram a nobreza e majestade esperadas. A coreografia desenvolvida pelo mestre-sala poderia ser mais rica em 'desenhos' e menos restrita a giros e pinotes.

Estácio: 10

Inocentes 9,7 - Os giros desenvolvidos pela porta-bandeira tiveram  vigor e graça, imprimindo conjunto da dança pouca leveza. A sua saia tinha rodas muito grande e atritava (chocava-se) seguidamente com os pés do mestre-sala, levando inclusive a perda de várias penas de faisão.

Paraíso do Tuiuti: 9,7 - Em alguns momento da coreografia ensaiada pelo casal destacava-se paralelamente à sua dança, porém dando-lhe as costas. Essa atitude dava impressão de ligeiros (porem notados) movimentos de quebra da corte que  que lhe cabe garantir ao seu par.

Império da Tijuca 9,6: - O resplendor do mestre-sala (em forma de asas) prendia um pouco durante os giros e meneios, pondo-me entre o seu corpo e as mãos da porta-bandeira, dificultando, algumas vezes, a peça de mãos nos  mesuras tradicionais. Via-se também certa falta de vigor e leveza nos giros da porta-bandeira, que também não pareciam ser feitos ao ritmo que domina o desfile.

União da Ilha: 10

Academicos da Rocinha: 9,9 -  o mastro da bandeira quase totalmente transversal ao eixo longitudinal 

Academicos de Santa Cruz: 9,7 - Ajudada pelo comprimento da saia um pouco grande e, talvez, pouco adequado, os giros eram pouco garbosos ou não sei o que, exibindo até mesmo a bermuda amarela que portava sob a saia. A coreografia do mestre-sala foi a restrita a giros.

Renascer: 9,5 - A saia da PB era ao mesmo tempo consideravelmente curta além de ser vasada, retirando a majestade e garbo esperados da dança. Não percebi a necessidade ou justificativa para esse projeto em processo que tem mais de meio século de tradição. O mestre-sala exibiu coreografia pobre, quase restrita a giro . Ele mantinha o mastro da bandeira em ângulo muito aberto em relação ao eixo longitudinal de seu corpo.

Caprichosos de Pilares: 9,6 - A porta-bandeira e o mestre-sala fizeram uma apresentação um tanto sem vigor e graça, pouca emocionante. Ele restringiu sua coreografia a giros, algumas vezes quase saltitantes. Parece faltar-lhe um leque ou lenço em vista dos movimentos que fazia repetidamente com a mão direita e menos vezes com a esquerda. 

Jurado: Manoel Francisco

São Clemente: 9,9 - Pequeno atraso do mestre sala para retomar a mão da sua porta-bandeira, que ficou aguardando o retorno do seu mestre-sala

Estácio: 10

Inocentes: 9,8 - Mestre sala desvia a atenção da porta-bandeira e dança demais para o público e de menos para ela.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,7 - Figurino da porta-bandeira frouxa no tórax, as suas asas estavam por isso caídas e tortas que além de prejudicar a beleza da fantasia também comprometeu seu bailado.

União da ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,8 - Mestre-sala dança demais para o público e de menos para sua porta-bandeira

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 10

Jurado: Maria Noronha

São Clemente: 9,9 - Os esplendores atrapalhavam a elegância da dança e da apresentação fizeram tanto giros como mesuras.

Estácio: 9,9 - Exibição de tempo curto, poucos giros, meia voltas e mesuras

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,8 - Faltou mais comunicação no olhar e maior precisão nas mesuras

Caprichosos: 10

Jurado: Renata Gonçalves

São Clemente: 10

Estácio: 10

Inocentes: 9,9 - O casal não dispôs de espaço suficiente entre a comissão de frente e os guardiões, não evoluindo tão plenamente como poderia.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,9  - A saia da porta-bandeira estava longa e algumas penas da barra da saia se soltaram durante a apresentação do casal, o que prejudicou determinados movimentos de maior proximidade entre o mestre-sala e porta-bandeira.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,9 - Alguns movimentos do casal não estavam totalmente coordenados prejudicando o seu entrosamento.

Caprichosos 10

Quesito Conjunto Harmônico

Jurado: Miguel Brígida

São Clemente: 9,9 - -(0,1) Na apresentação do 1° casal de mestre-sala e porta-bandeira no módulo 1 de jurados e ala n°5 (caravana circo brasil) avançou a frente abrindo um buraco. A diretoria tentou segurar a ala porém não conseguiu

Estácio: 10

Inocentes: 9,7 - -(0,1) Alegoria n°2 com problemas técnicos abriu buracos em frente a cabine de jurados. -(0,1) A ala n°11 sem empolgação e vibração no canto. -(0,1) A ala n°12, também sem canto e abriu buracos dentro da própria ala.

Paraíso do Tuiuti: 9,8 -  -(0,1) Alegoria n°2 com problemas técnicos abriu buraco em frente a cabine de jurados
-(0,1) Na apresentação do casal de mestre-sala e porta-bandeira a ala da frente avançou abrindo um buraco.

Império da Tijuca - -(0,1) A vibração, empolgação do canto caiu nas alas n°2,14 (festejos religiosos) a ala quase não cantou, comprometende a uniformidade do conjunto.

União da ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,8 -  -(0,2) A aceleração inicial do samba não foi sustentada até o final, nitidamente o canto na empolgação e vibração do conjunto.

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 9,8 - -(0,2) O conjunto do canto prejudicado no início do desfile. A ala das baianas quase não cantou bem como a ala "Mulheres guerreiras'. O canto cresceu do 2°setor em diante, ao passar pela cabine 1 dos jurados.

Jurado: Waldir Xavier

São Clemente: 9,5 - A escola apresentou claros nos dois primeiros setores evolução pesada, em desacordo com o enredo apresentado. Falta de entusiasmo e ausência do canto do samba-enredo. Ausência de diretores de harmonia na ala 15, permitindo a criação prolongada de um buraco

Estácio: 9,8 - No setor 2 houve uma clara e persistente divergência entre o canto dos puxadores e o ritmo imposto pela bateria. Apesar da escola ter cantado e evoluído muito bem, não mantendo o mesmo entusiamo no último setor do desfile

Inocentes: 9,4 - A escola apresentou muitos espaçamentos em suas alas em todos os setores. Os componentes não apresentaram-se com entusiasmo, cantando pouco e evoluindo sem empolgação. Aos 28 minutos, um grande buraco se formou entre a ala 05 e a segunda alegoria

Paraíso do Tuiuti: 9,5 - A escola apresentou dificuldades de evoluir com as fantasias apresentados, sobretudo nas alas 07,08 e 19. Buraco formado diante da 2° e 3° alegoria. o 3°setor desfilou embolado.

Império da Tijuca: 9,6 - Falta de entrosamento entre o ritmo imposto pela bateria e a evolução da escola. Alas embolados no final do 1° e do 3°setores buraco formado na frente da ala das crianças provocado por um destaque de chão, supostamente a madrinha da ala.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,8 - Falta de entusiasmo e de vibração dos componentes, tanto no canto quanto na evolução

Caprichosos: 9,6 - Falta de empolgação. Alas desfilando sem evoluir, com componentes andando nas alas 06,08 e 23. Criação de buracos no 4°setor da escola. 

Jurado: Fernando Bicudo

São Clemente: 10

Estácio: 9,7 - Alas 3,4 e 7 tinham pouca gente cantando. Houve um buraco em frente a alegoria 3. ala 20 passando correndo sem sambar

Inocentes: 9,6 - Ala 2 apresentou buraco no meio e embolou. Houve um buraco na frente da alegoria 2. Bateria recuou mas parte ficou de fora e atrapalhou a evolução da ala II

Paraíso do Tuiutu: 9,6 - Alas 4,5 e 6 embolados invadindo umas as outras. Componentes da ala 12 pararam para tirar fotos e foram atropelados pela ala 13

Império da Tijuca: 9,4 - Na ala 2 e alegoria 2  a maioria não cantava. A ala andou para trás quando bateria entrou no recuo. Ala 12 ficava parada ou andava sem evoluir em sua maioria. Ala 16 invandiu a ala 15 e ala 22 invandiui a 221. Descompasso entre o samba e a evolução.

União da Ilha: 9,8 - Na ala 4, a maioria não cantava a partir da ala 15, a escola começou a correr houve um buraco na frente da alegoria 3.

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,5 - A ala 5 invandiu a ala 4. Na ala 6, a maioria não cantava. Havia buraco no meio da ala das baianas. As primeiras alas da escola passaram sem empolgação e pouca evolução. E as últimas alas passaram correndo a partir da ala 19. A segunda porta-bandeira e o mestre-sala nem pararam para evoluir. 

Caprichosos: 9,4 - Na ala 8 dos escravos, a maioria das mulheres teve que segurar o 'turbante' e a evolução foi bastante prejudicada. Na alegoria 4, a maioria não cantava. No meio, a escola passou correndo e no final diminuiu o ritmo, sem retornar a evolução, que não esteve em harmonia com o canto na maior parte de sua apresentação.
 
Julgador: Paulo Soares

São Clemente: 9,5 - Ao passar pelo módulo quatro a escola não evoluiu como desejado. As cinco alas entre os carros I E II aos trinta e quatro minutos ficaram comprimidas e sem espaço. O mesmo ocorreu com as alas entre os carros  III E IV. Por último, o carro II parou por tmepo demasiado prejudicando ainda mais as últimas alas até oficial do desfile.

Estácio 10: - A escola terminou seu desfiel aproximadamente aos 59 minutos, em função dess apreocupação houve aceleração demasiada dos dois últimos carros, provocando abertura de espaço entre as alas finais: velha guarda e bateria

Paraíso do Tuiutu: 9,8 - Em função da aproximação do final do tempo do desfile a escola acelerou o ritmo do desfile a partir do carro 'a roleta' aos 46 minutos, provocando não só espaço grande na frente da bateria como não sei o que uma melhor performace do mestre-sala e porta-bandeira, tanto adulto quanto mirim.

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 10

Quesito Fantasia

Jurado: Paulo Lóis

São Clemente: 10

Estácio: 10

Inocentes: 9,4 - Nas alas 02,03,05,10 , as fantasias não tem leitura, só sabemos o que significam, depois de ler na sinopse. Não entendi porque haviam 9 "baianas tradições gaúchas separadas no setor do carnaval do Rio de Janeiro.

Paraíso do Tuiutu: 9,6 - Ala 02- muito pouco expressiva as fantasias comparando com as outras alas. Ala 08 - maioria dos resplendores estavam caindo para traz (sic). Ala 10 muitas cabeças da "Carmem Miranda" estavam tombando

Império da Tijuca: 9,6 - Ala 02-Alguns homens usavam camisa marrom e outra não. Ala 13 (baianas) muitos resplendores estavam tombando para tras. Ala 14- não havia acabamento na parte de traz (sic) dos resplendores.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,9 - Ala n°8 -trem bala, não deu leitura, só soube porque estava na sinopse

Santa Cruz: 9,9 - Ala n°14 não havia uniformidade nos resplendores, alguns pareciam que tinha (sic) caído o tecido que dava a forma dos corais.

Caprichosos: 9,6 - Ala 6 os chifres estavam caindo, alguns componentes já estavam sem os mesmos. Ala 12 os chapeus grandes em demasia atrapalhavam os componentes a evoluir. Ala 25 - Várias pessoas colocaram a cabeça para fora do capacete, rasgando os mesmos.

Jurado: Camila Farani

São Clemente: 9,8 - A escola veio com acabamentos e montagens bem realizadas porém sem tanta criatividade e originalidade

Estácio: 10

Inocentes:  9,6 - As fantasias não retratavam entrosamento ao tema e enredo. Componentes de diversos alas com significante ausência de complementos de fantasias e também elementos extras que não faziam parte delas.

Paraíso do Tuiuti: 9,8 - Esplendor da ala 08 - "Groupier" que impossibilitavam os integrantes de evoluírem. Ausência de cuidado na confecção o que resultava em algumas fantasias rasgadas.

Império da Tijuca: 9,8 - A escola embora consciente em acabamento e montagens, pecouo pela ausência de originalidade em algumas alas.

união da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,9 - A Renascer de Jacarepaguá apresentou fantasias bem acabadas, com criatividade. Enretanto, possuía algumas alas apresentavam desarmonia, resultando em falta de entrosamento entre as mesmas.

Santa Cruz: 9,8 - Na agremiação, verificou-se ausência de originalidade e criatividade nas fantasias, embora as meas estivessem bem acabadas e de acordo com o enredo.

Caprichosos 9,8: - A escola cumpriu seu dever em elaborar fantasias bem acabadas e confeccionadas. porém, possuía algumas alas que não sugeriam o enredo, bem como, constatou-se a ausência de cores harmônicas entre elas.

Jurado: Maria Areal

São Clemente: 10

Estácio: 9,6 - As fantasias da ala 2 (o fascinio das sedas indianas e da ala 4 (as joias do samorim) eram muito parecidas a fantasia da ala 9 (borboletas) tinha mistura de cores que tornavam a borboleta pouco visível.

Inocentes: 9,9 - O único porém foi o uso excessivo das mesmas tonalidades da cor bege em diversas alas, especialmente no iniciado do desfile.

Paraíso do Tuiuti:  9,5 - A fantasia 'poker' da ala 5 só era possível de identificar como tal porque a palavra 'porker' escrita no peito. As fantasias da bateria não tinham identiicado com o tema "as cartas estão na mesa". As fantasias ala 'o vedetes e seus parters' estavam com os resplendores caindo a fantasia da ala 23 er apobre na criação e no material

Império da Tijuca: 9,5- Na ala 5 a estampa de notas não dava leitura à distância a fantasia 'inspiração rural' da musa Marcele Carvalho não tinha a ver com o tema. Na ala 14 'festejos religiosos' todas as perucas eram menores que as cabeças e havia pessoas sem peruca.

União da ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,7 - Na ala 2 era difícil identificar características vikings na fantasia 'vikings'. Nas alas 3 (baianas) 4 (canoas) e 5(caravelas) 6(gondolas) e 7(mares) eram todas azul e amarelo ou dourado em tonalidades muito semelhante, tornando esta parte visivelmente monótonas. Na ala 16 os macacões de malha branca eram transparentes, tornando as roupas íntimas, visíveis.

Santa Cruz: 9,9- A única ressalva para a ala 19 (biodiversidade da amazônia) cujas cabeças eram de difícil identificação a distância, lembrando simples capacetes.

Caprichosos: 9,8 - Na ala 19 a cor prata da fantasia não traduziu o tema "poluição". Na ala 25, "motorista do futuro", havia chapeus caindo de cabeças e/ ou amassados.        
 
Jurado: Sonia Gallo


São Clemente: 9,8 - Fantasias pouco criativas e repetitivas. Alas das baianas visivelmente pesadas. Uma certa confusão visual nas cores. Als 6 -fantasia com cavalinhos despencando, incomoda. Ala 12 - falta de considerável de adereços nas polainas, com algumas faltando.

Estácio: 10

Inocentes: 9,8 - Ala das baianas com a cabeça fora de proporção grande com dificuldade para desfilar - alas 6,7, ala 12, ala 14, ala 18 e19. Todas com o mesmo problema de resplendor desabando, dificultando os movimentos dos componenentes, tudo muito igual na forma.

Paraíso do Tuiutu: 9,9 - Fantasias criativas e algumas não possuia significado dentro do enredo. Ala 2 não disse a que veio. Ala 12 cabeças com problemas, tamanho errado, com todos os componentes segurando as mesmas.

Império da Tijuca: 9,6 - Fantasias pouco criativas e com soluções simples demais e não conseguindo transmitir o enredo. Ala 19 com ombreiras faltando. Visual pesado.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 9,0 - Falta de criatividade nas fantasias e consepção errada em várias delas. O acabamento também deixou à desejar. Ala 2 - falta de criatividade. 06 - a fantasia  estava desabando. Ala 8 - sem criatividade. Ala 12 - concepção totalmente errada. Ala 15 falta de criatividade e uma total e 'confusão estética'.
           
Quesito Samba-Enredo

Jurado: Luiz Otávio


São Clemente: 10

Estácio 9,7: - Em dois momentos - no 1°verso do refrão do meio e no 5°verso da 2°parte  - letra prejudica o desenho melódico. no 1°caso, por excesso de letra (a preposição "no") e no 2°, para poder pronunciar a palavra 'quadrilha' corretamente.

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 9,6 - Letra com poucos momentos de criatividade e com muitos lugares comuns. Variação melódica no 7°verso da 1°parte (a noite em clima de ... ) quebra a estrutura da construção melódica. Melodia repetitiva em alguns trechos.

Imperio da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,8 - A melodia por ter pouca variação melódica tornou-se cansativa e não sustentou a escola no 1/3 final do seu desfile.

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,6 - Letra bem criatividade, repleta de lugares comuns. Melodia, em sua maior parte, muito comum, parecendo uma junção de diversas melodias já ouvidas na avenida.

Caprichosos: 9,7 - A letra não tem unidade ao descrever o enredo e há falta de riqueza poética, com alguns versos que mais parecem um texto.

Jurado: Edmundo Rosa Souto

São Clemente: 10

Estácio: 10

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 9,8 - Nos versos "É noite em cima de glamour ... no ar reluz cassinos da urca" não são bem resolvidos com as melodias uma pena.

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,8 - Na segunda parte a melodia não estava é bem resolvida.

Caprichosos: 10

Jurada Regina Mereilles

São Clemente: 10

Estácio de Sá: 9,6 - Pouca riqueza melódica, principalmente nas estrofes. O refrão é muito bom, mas o sambas é pesado para baixo.

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 9,5 - Linha melódica pobre. Letra remete para outras músicas como "o tempo passa a luz se apaga" - frase musical que remete para "o mesmo banco, mesma praça"... Repetição de palabras como "magia" na estrofe e refrão. Revela pouca criatividade.

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,6 - Desenhos musicais repetidos de melodias conhecidas como "vem o sucesso com a urbanização" até "uma cidade de paixão". As frases "você pra lá e eu pra cá" e "mas esse ano não vai ser igual aquela que passou são opções fáceis, sem criatividade que remetem a outras músicas conhecidas.

Renascer: 9,8 - A adaptação da letra à melodia fica algumas vezes prejudicada, por exemplo, "máquinas" desloca a acentuação tônica para "maquinás". A empolgação e a cratividade fizeram o samba crescer na avenida mesmo quando a linha melódica fica a desejar.

Santa Cruz: 9,7 - A letra é pouco objetiva em relação ao enredo. A minha melódica do final da 2ª estrofe é pobre.

Caprichosos: 9,3 - Letra às vezes não se adapta à melodia como "do pólen à semente na ttrilha da vida" - muita letra, pouca música. A rima "eu aí" com "tititi" no 1º refrão é lugar comum, batida. A riqueza melódica do samba também está comprometida.

Quesito Enredo

Julgador: Nilton Santos

São Clemente: 10

Estácio: 10

Inocentes: 9,6 -Não consegue realizar a leitura do que foi apresentado na proposta do enredo com o que veio à passarela. Exemplo desta dificuldade está na representação da Uenf (Campos) que é incompreensível sem o auxílio do roteiro.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,9 - A última parte do desfile perde em clareza na apresentação proposta, particulamente ao retratar o acervo de Mestre Vitalino sob a guarda do museu do folclore.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 9,7 - No desenvolvimento do enredo ao tratar da preservação, há informações conflitantes na alegoria principal. O combustível proveniente do petróleo (gasolina) tem sido apontado como responsável pelo aquecimento global.

Julgador: Paulo Cesar Direito

São Clemente: 10

Estácio: 10

Inocentes: 9,8 - Dificuldade de associação entre o tema proposto e algumas alas. Ala de baianas antes da última alegoria não previso no roteiro.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,7 - A adaptação do enredo com a tema se apresenta sem uma definição precisa ficando difícil a associação nas diversas alas.

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 10

Julgador: Ana Arruda Callado

São Clemente: 9,6 - Algumas alas 8 (04,08,12 e 20) não contavam com clareza sua parte da estória

Estácio: 10

Inocentes: 9,5 - Algumas alas não contavam com clareza sua parte da estória: 03 - onde Porto Alegre? 05 - a Campanha da legalidade, fato histórico da maior importância, ficou obscura. 07 - não há a dor ou sequer inconveniente do exílio. 18 - não se lê ou se vê Universidade ali.

Paraíso do Tuiuti: 9,4 - Na ala 02 não se vê art-déco, a 03 é incompreensível. A ala 20 teve que escrever o que significa e a narrativa tem que ser visual. No roteiro, duas vezes groupier em vez de croupier.

Império da Tijuca: 9,6 - Da ala 12 à 15, Vitalino desaparece. E na alegoria 4, onde está Caruaru?E o mundo? Na ala 19, a rememoração do desfile de 1977 ficou incompreensível.

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,9 - Na justificativa do enredo, por duas vezes é atribuída a J. Carlos a criação do pierrô, personagem europeu bem anterior a J. Carlos. E a figura do pierrô é uma constante no desfile.

Renascer: 10

Santa Cruz: - 9,6 - As alas de número 02 e 06 fogem do tema. E a ala 17 apresenta povos da América do Norte (astecas?apaches?) e não da Amazônica.

Caprichosos: 9,0 - O carro abre-alas apesar de Adão e Eva, não fez sentido como Éden. As alegorias são confusas; a de n° 5 não descreve o que pretende. Figurinos 9,10,14 e 19 não dizem o que prometem.          

Jurado João Baptista M. Vargens

São Clemente: 9,8 - O último setor da escola afastou-se do enredo proposto.

Estácio de Sá: 9,9 - As velas não içadas do primeiro carro alegórico comprometeram a plena compreensão do enredo naquele ponto.

Inocentes: 9,7 - Houve dificuldade de entendimento dos motivos das fantasias em relação ao enredo, principalmente no setor 2 da escola. Novas baianas tentaram, sem sucesso, substituir a ala das colombinas, anunciadas no roteiro.

Paraíso do Tuiuti: 9,8 - Sentiram-se as ausências do destaque de chão Ana Paula, que deveria anteceder a alegoria número 4, e da ala 27, os dados voltam a rolar, substituída, provavelmente, por um grupo de camiseta e calça amarelas, que não refletia o exposto no texto do enredo.

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,7 - As fantasias das alas do primeiro setor da escola não refletiam com clareza o proposto no enredo. Os destaques Águas Cristanlinas apresentaram-se fora da ordem estabelecida no roteiro.

Caprichosos: 9,7 - A concepção pouco clara do enredo, constituída de elementos díspares, dificultou em determinadas ocasiões sua leitura.
          
Quesito Comissão de Frente

Jurado Nilson Raman

São Clemente: 9,8 - Pequena falta de coordenação e criatividade.

Estácio de Sá: 9,7 -Coreografia pouco criativa. Falta de sintonia.

Inocentes: 9,6 - Falta de criatividade, falta sintonia, falta magia ao trabalho.

Paraíso do Tuitui - 10

Império da Tijuca: 9,7 - Faltou interação entre componentes e alegoria. Falta de criatividade.

União da Ilha: - 10

Rocinha: - 10

Renascer: - 10

Santa Cruz: - 10

Caprichosos: - 10

Jurado Marcos Guarabyra

São Clemente: 10

Estácio de Sá: 9,8 - Não foi bem executada, coreograficamente tendo dificuldade de manusear as sombrinhas e se atrapalhando ao abrir dando esbarrôes, um contra ou outro.

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,7 - Coreograficamente não souberam detalhar a movimentação do "can can" com exatidão, e faltando movimentos acrobáticos e tradicionais. Como as figuras geométricas, a grande estrela do "can can" foi muito estilizado ficando de forma luito leve. Perdendo a explosão que o "cam cam" tem.

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 10

Jurado: Lindomomar Araujo

São Clemente: 10

Estácio: 9,7 - Algumas sequências soltas e de carater descritivo (-0,1). O pretendido climax ficou prejudicado, pois as varas do teatro de marionetes eram curtas e os movimentos livres dos 'bonecos' não eram criativos (-0,1). Na mudança de lugar os integrantes se movimentavam de forma estanque, prejudicando a harmonia coreográfica.

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 9,9 - Faltou o movimento de climax da coreografia apesar de algumas tentativas (-0,1)

Império da Tijuca: 9,8 - A alegoria que representa o mundo foi muito pouco explorada, não havendo evolução /relação criativa dos componentes com o elemento em questão (0,1). Pode-se ouvir a voz de comando, mais uma vez, de um dos integrantes da comissão (falta de sincronia e atenção) (0,1)

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,7 - Concepção coreográfica possível e sem ousadia, ocasionando uma apresentação sem impacto visual(0,1). A proposta de roupas coloridas e esvoaçantes, descrita na ficha técnica, não foi alcançada (0,1). A (sic) integrantes demostraram limitações nos "Grand Battements", que poderia ser unificado com a flexão da perna de base, comum neste estilo de dança

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,9 - A linda alegoria aprsentada podia ter sido mais explorada, escapando a inovação e a criatividade na relação componentes-alegoria (0,1)

Caprichosos: 10     
      
Jurada: Andréa Sales

São Clemente: 10

Estácio 9,7 - Alguns componentes da Comissão de Frente estavam fora do ritmo em sua apresentação em frente ao módulo 4. Houve uma certa afobação na montagem do teatro de marionetes ocasionando sobra de tempoficando a comissão parada por alguns segundos até alcançar a "deixa música e continuar a coreografia".

Inocentes 9,9 - A comissão de frente ao apssar pelo módulo 4 fez uma apresentação muio curta, não apresentando toda a sua coreograia. Sendo assim, tive que acompanhar sua evolução mais adiante, prejudicando o julgamento, pois vem todos os componenetes estavam no meu campo de visão.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,7 - Ao passar pelo módulo 4, houve falha por dois de seus componentes não estarem em sincronia com os demais (representando o barro). Também houve falha no nivelamento dos braços prejudicando o desenho coreográfico. A pouca maquiagem de um dos componentes deixava a mostra a cor azulada de seu calção.

União da Ilha: 10

Rocinha: 9,9 - Ao apresentar-se para o módulo 4 houve uma falha no tempo dos Grande Baltenente (entendo que era cada uma em um tempo, mas algumas lançavam as pernas no mesmo tempo). Na hora de levantar a saia e mostrar o traseito a fila esquerda foi no tempo certo, enquanto a da direita algumas atrasaram.

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 9,9 - Na apresentação da comissão para o módulo 4, houve demora na colocação das folhas no formigueiro, ocasiando o atraso na descida do último componente para a conclusão coreográfica no chão.

Quesito Bateria

Jurado Felipe Barros

São Clemente: 10

Estácio de Sá: 9,8 - Apesar da bateria ter demonstrado inventividade e uma excelente cadência, as caixas tiveram acelerava no

andamento ao realizar uma bossa ao lado do módulo 2, ainda pelo campo de percepção.

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,9 - A bateria apresentou boa marcação e bons cortes de terceira, contudo as levadas de caixa não estavam muito precisas

prejudicando sua percepção.

Santa Cruz: 9,9 - Tamborins pouco precisos nos ataques; alguns ritmistas não estavam executando bem o instrumento.

Caprichosos: 10

Jurada: Délia Fischer

São Clemente: 9,9 - Aos 19 minutos do desfile, houve desencontro de tempo por parte dos chocalhos e ganzás. 

Estácio: 10

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: A bateria foi precisa, descontrei um décimo pelos excessos de marcação, que me fez perder a atenção aos outros naipes e a leveza. Marcação pesada.

Império da Tijuca: 10

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,9 - Aos vinte minutos de desfile houve falta de sincronia entre os naipes.

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 10

Jurado Chico Donadoni

São Clemente: 10

Estácio de Sá: 10

Inocentes: 10

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,8 - No início, a bateria imprimiu um ritmo muito acelerado para o samba que é. A bossa nos chocalhos não foi sempre executada com precisão faltou agudos nos tamborins.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 10

Jurado Marcelo Castro

Deu 10 para todas escolas.

Quesito Alegorias e Adereços

Jurado Carlos Feijó

São Clemente: 9,8 - Falta de contraste nos objetos alegóricos em relação ao todo das alegorias.

Estácio de Sá: 9,9 - Alegorias primorosas. Na primeira alegoria a serpente que se transformaria numa embarcação as velas não levantaram, criando um espaço que prejudicou a leitura do carro.

Inocentes: 9,0 - Homem sem fantasia em cima da alegoria (cuia de chimarrão). A pesquisa de material poderia ser mais trabalhada. Falta de acabamento e cuidado na decoração.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,5 - Figuras de composição destuando das alegorias. Confecção não elaborada.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,3 - A proposta genial da alegoria número 3, da participação do componente na escolha do figurino não funcionou, não podemos esquecer da legitimidade da linguagem carnavalesca do espetáculo das escolas de samba. A proposta do corpo como elemento alegórico não avançou tornando-se banal.

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 9,0 - Alegorias mal acabadas, pesquisa dos materiais poderia ser mais trabalhada. Problema de equilíbrio e proporção, tornando-se a leitura dos carros difícil. na última alegoria tinha um elemento vazado com um queijo sem componente.

Jurada Mônica Gomes de Farias

São Clemente: 10

Estácio de Sá: 9,9 - Alegoria 3 apresentou problema no acabamento. Parte traseira.

Inocentes: 9,7 - No aspecto concepção e adequação das alegorias e adereços ao enredo a ecola cumpriu seu papel, entretanto, faltou melhor acabamento em todas as alegorias.

Paraíso do Tuiuti: 10

Império da Tijuca: 9,8 - Apresentou problemas nas alegorias 1 e 3. Alegoria 1: descuido na decoração. Alegoria 3: parte de fantasia exposta.

União da Ilha: 10

Rocinha: 10

Renascer: 9,9 - Parte do figurino da composição da alegoria 02 estava danificada.

Santa Cruz: 9,7 - Observa-se pequenos problemas na confecção e acabamento de todas as alegorias, especialmente nas alegorias: 05 - saco plástico preto exposto em uma das composições.

Caprichosos: 9,8 - Observa-se pequenos problemas no acabamento de todas as alegorias. Na alegoria 1 havia 1 peça danificada.

Jurado: Fred Gôes

São Clemente: 9,9 - Embora corretos as alegorias e adereços e também adequados ao tema, os carros não apresentaram nenhuma surpresa como é próprio do universo circense.
 
Estácio: 9,9 - Embora o desfile das alegorias ter sido de grande beleza, as velas da caravela do carro abre-alas apresentaram defeito e não levantaram prejudicando a apresentação do carro.

Inocentes: 9,5 - No abrealas(sic) , na hora da troca do painel para o retrato do homenageado um fragmento estava empenado. O adereço da ala 3 que sugeria uma caravela não contribuía para a compreensão do enredo. Um empurrador sem fantasia estava sentado sobre o principal elemento da alegoria 'o chimarrão'.

Paraíso do Tuiuti: 9,5 - Na ala 4 havia componente caixa de bombons que identificava a fantasia. As figuras que deveriam sugerir estrelas dos shows eram repetitiva. No carro 3 problema de acabamento no carro 4.

Império da Tijuca: 9,5 - O esplendor do destaque do abre-alas não estava fico e cobria a imagem do criador, elemento principal na alegoria. O esplendor de um dos 3 destaques principais estava caído no chão do carro 3. Só o destaque principal tinha referência com o tema os outros não explicavam o tema do carro 4.

União da Ilha: 9,9 - O 2° carro veio com o esplendor sem o destaque principal.

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 9,7 - No carro 3, a destaque da frente tinha as plumas se desfazendo, caídas ao seu redor. O excesso do uso de cores fortes prejudicou a idéia de planeta água, tema da alegoria 3. O carro 4 não trazia novidades no tratamento do tema amazônico. O volume de bandeiras do centro do carro 5 não sugeria a idéia de santuário da vida.

Caprichosos: 9,5 - O carro 3 tinha um acabamento tosco com problemas de realização. O carro 4 não passava a idéia de preservação. O carro 5 faltava uma face das peças que traziam dutos e tinha problema de acabamento.         

Jurado: Licia Lacerda

São Clemente: 9,7 - 2° carro composições fracas. Carro do teatro com falhas nas figuras indicadas no texto pelo carnavalesco. Significativas.

Estácio: 10

Inocentes: 9,6 - 2° Carro, no chimarrão, empurrador de camiseta no alto do carro e soluções simples.

Paraíso do Tuiuti: 9,8 - Carro  da TV - Incompleta visualmente solução simples sem criatividade.

Imperio da Tijuca: 8,8 - Carro n°1, escultura sem acabamento, isto é sem cuidado com a forma material e acabamentos, destaque cobrindo a mesma escultura. 2°carro maquinistas com camisetas de empurrador brancas interferindo.

União da Ilha: 9,8 - Falta do destaque no alto do 2°carro e geradores sem decoração. É uma pena

Rocinha: 10

Renascer: 10

Santa Cruz: 10

Caprichosos: 8,5 - Soluções sem criatividade nos carros. Acabamentos sem cuidados na confeccção e decoração.

* A equipe do SRZD-Carnavalesco informa que os textos são dos jurados e não fizemos alterações.


Comentários
  • Avatar
    03/04/2009 10:48:41luisMembro SRZD desde 27/10/2009

    p jorge cunha a tua escola perdeu em varios quesito acho que nao leu com atençao e 2 jurados tiraram ponto da ilha leia de novo

  • Avatar
    03/04/2009 10:40:05juniorMembro SRZD desde 27/10/2009

    tai choroes de estacio e rocinha leiam com atençao parabens julgadores muito bem explicado e aquilo que ja disse e mais facil ficar reclamando que reconhecer os erros

  • Avatar
    03/04/2009 08:55:38ANAAnônimo

    A Lesga precisa se organizar, o resultado não combinou com o que foi visto no desfile de sábado, as escolas nem sequer eram anunciadas , nenhuma desceu , enfim uma bagunça. Samba é coisa seria !!!!!

  • Avatar
    02/04/2009 23:02:18Comunidade EstacianaMembro SRZD desde 28/04/2009

    Parabens ao nosso casal de mestre sala e porta bandeira pelas notas dadas pois mostraram o seu valor a comunidade.Continuem conosco! Comunidade São Carlos.

  • Avatar
    02/04/2009 20:13:06Weverson SÃ?O CLEMENTEMembro SRZD desde 11/04/2009

    Isso é um absurdo cara...ois jurados falarem assim...O ACABAMENTO DE FANTASIA ESTAVA PERFEITO, POREM FALTOU ORIGINALIDADE...AFFE...é de matar o coração né... Não gostar de saia vasada,affe...A ROUPA MAIS BONITA DE MS E PB ERA DA SAO CLEMENTE...

  • Avatar
    02/04/2009 17:03:17FelipeMembro SRZD desde 07/04/2009

    Jorge, os jurados poderiam ter até tirado 0.1 décimo cada da Ilha pela falta de destaque, porém mesmo assim a escola iria subir! A Estácio e a Rocinha perderam no chão e no samba do Ilha. E outra, o resplendor que estava em cima do carro, se você percebeu, já era uma figura representativa, ou seja, mesmo com a falta do componente, a fantasia já representava o enredo.

  • Avatar
    02/04/2009 15:56:38MARCAÃ?Ã?O DA ESTÁCIO DE SÁAnônimo

    Realmente e uma pena. A nossa bateria teve varias dificuldades este ano o excesso de pessoas que desfilaram e eu não vi em um ensaio e chegaram com banca da viradouro ficaram na chamada cozinha e bateram um ritimo deles não o ensaido. terceiras marcando pedal durante grande parte dos desfile. pois não sentiam segurança para recortar. ( 2) canto do bom samba diferente de tudo que foi ensaido . que doideira. (3) não precisavamos sair com uma bateria tão grande, bastava os fiéis ritimistas de ensaio. Respeitamos muito o CIÃ?A . mais ajudar não e dar fantasias para pessoas que não comparecem na agremiação. so o fato de estar a frente da bateria não assegura nota. precisamos nos unir durante todo ano. espero que possamos concertar para 2010. são os votos de um apaixonado pela escola obs. as notas da bateria foram até alta. devido ao respeito que ianda temos.

  • Avatar
    02/04/2009 14:01:27Eduardo MenezesAnônimo

    A BATERIA DO ESTACIO ATRAVESSOU TUDO E AINDA ASSIM EH ELOGIADA??? PARA TUDO!!! SE FOSSE BOM MESMO SE ENCONTRAVA RAPIDINHO!!!

  • Avatar
    02/04/2009 13:19:38victorMembro SRZD desde 07/04/2009

    Gostaria de saber quando vão sair as justificativas do grupo especial ?

  • Avatar
    02/04/2009 13:08:55jorge cunhaAnônimo

    Concordo com Anderson, antes de tudo parabéns pela coluna! Os jurados do acesso brincaram de julgar. Se a Estacio foi penalizada porque as velas da alegoria nao se abriram , tudo bem! Agora na Ilha so uma jurada viu o resplendor sem o destaque? Quase todas as escolas foram penalizadas por falta de canto. Quem viu os Cds dos sambas enredos serem vendidos?Divulgados? Poderiam ter levado em conta essa falta de divulgação, mas tudo bem choro e coisa de perdedor ( eles dizem né...), agora é pensar em 2010

  • Avatar
    02/04/2009 12:39:05ALBERTO NETOAnônimo

    CADA VEZ MAIS ME CERTIFICO QUE O ROUBO FOI DEMAIS DA CONTA. QUE VERGONHA PRA LESGA UMA INSTITUIÃ?Ã?O QUE FOI CRIADA PARA DAR CREDIBILIDADE AO GRUPO DE ACESSO E SÃ? SERVIU ATÃ? AGORA PRA CRIAR PROBLEMAS NO GRUPO, QUE AGORA VAI DESFILAR COM 12 ESCOLAS E AINDA SUBIU COM UMA ESCOLA QUE PELO CERTO DEVERIA TER FICADO EM SÃ?TIMO OU OITAVO LUGAR.

  • Avatar
    02/04/2009 11:46:06Jagunço do repiqueMembro SRZD desde 07/04/2009

    Estácio: 9,8 - No setor 2 houve uma clara e persistente divergência entre o canto dos puxadores e o ritmo imposto pela bateria. Apesar da escola ter cantado e evoluído muito bem, não mantendo o mesmo entusiamo no último setor do desfile. Resumindo: atravessou canto e ritmo. so não viu quem não quis ver. sabemos que a bateria da Estácio e maravilhosa MAIS EM 2009 FEZ APENAS UM DESFILE RASOAVEL A RUIM.

  • Avatar
    02/04/2009 11:15:06GIOVANIAnônimo

    No quesito samba-enredo,especificamente o da Rocinha,a jurada Regina meirelles mostrou que não entende nada de samba.Primeiro,ela teria que ler o enredo antes de falar que as frases"você pra lá e eu pra cá" e "mas esse ano não vai ser igual àquele que passou" ´são sem criatividade.ora,estava no enredo e tinha que colocar,porque espelham marchinhas de carnaval da época.Antes de julgar,no mínimo ,tem que ler o enredo. Quanto ao Luis Otário,quer dizer Luis Otávio,esse tem de usar óculos. Eu estava no setor 11 e vi a apoteose no final do desfile da Rocinha.Quem não tem justificativa fala em variação melódica.Aposto que esse cara nunca fez um samba-enredo.Será que ele queria uma ópera?Pra quem não conhece,todo samba-enredo é igual. Vocês 2 :PEÃ?AM PRA SAIR!

  • Avatar
    02/04/2009 10:46:55izaquisMembro SRZD desde 08/04/2009

    caramba tirar 0.4 décimos do nosso casal por não gostar de saia vasada, caramba não dá nem prá levar a sério o sr. jurado Ricardo Oliveira. Hoje o carnaval se ganha e se perde por 0.1 décimo e o gosto pessoal dele prejudica toda uma comunidade. Mais seriedade aos jurados. São Clemente avante.

  • Avatar
    02/04/2009 09:35:57Danuza MartinsMembro SRZD desde 07/04/2009

    ALGUÃ?M PODE ME DIZER ONDE ESTÁ A NOTA DO QUESITO BATERIA DO JULGADOR FELIPE BARROS PARA A TUIUTI ??? COMO ESSA JURADA DÃ?LIA FISCHER VIU GANZÁ NA BATERIA DA SÃ?O CLEMENTE, SE NÃ?O TEVE?? ALGUÃ?M PODE ME EXPLICAR??

Comentar