SRZD


23/05/2009 01h12

'O samba é uma fatalidade histórica', diz Haroldo Costa
Ramiro Costa

Produtor cultural e comentarista de carnaval da TV Globo, Haroldo Costa contou um pouco sobre a história do samba desde os tempos da escravidão, durante uma das mesas do Seminário samba patrimônio cultural do Brasil, no Centro Cultural Cartola. A cultura africana deu origem ao termo "samba" e o negro desenvolveu o gênero.

- O samba é uma fatalidade histórica. Foi a carga de sofrimento, de angústia e de vitória desde o navio negreiro, que para mim, é o primeiro Holocasto da humanidade.

A origem da palavra samba ainda causa dúvidas pelos próprios historiadores. Alguns acreditam que o termo vem do Semba, ritmo musical de Angola, conhecido também como umbigada. Outra possibilidade de origem da palavra seria uma história que aconteceu com um jovem. Ele teria ido à cidade com dinheiro para comprar sua alforria. Mas acabou gastando tudo. Para não voltar ao campo sem a liberdade, trabalhou para conseguir a quantia.

Com o dinheiro em mãos, pagou sua alforria e voltou para casa dos pais que entenderem e perdoaram o filho. Comemoraram com uma festa e dança, denominada "sam ba". "Sam significa pague e "ba", receber, "pague a dívida e receba o perdão".

Atualmente, Haroldo lamenta a perda de espaço do gênero nas rádios e na própria televisão. Para ele, a escola de samba é a maior invenção do século XX ao lado do jazz.

- Quem ouvir agora o rádio, pode passar por todas as estações que não vai encontrar nenhuma tocando samba-enredo. Isso é uma deformação da nossa própria herança. O samba-enredo tem sido um instrumento para as pessoas se informarem em um país que ainda lê pouco - desabafa.


Comentários
  • Avatar
    25/05/2009 13:53:29Julinho di OjuaraMembro SRZD desde 13/04/2009

    Discordo do Haroldo Costa, é claro que na grande mídia: Rádio e TV o espaço é escasso. Mas não é só para o samba-enredo e sim para a musica classica em geral. E se levarmos em conta que o samba-enredo é a trilha sonora de uma grande apresentação ópera-teatral-popular, sua escassez em grandes redes é totalmente normal, assim como as grandes trilhas de outros gêneros. Há sim programas que tocam sambas-de-enredo, talvez não sejam as rádios do sistema Globo, onde o Haroldo trabalhe, mas que existe, existe. Há tempo que proponho que as agremiações criem DVD`s com a sua trilha e uma encenação do que irão mostrar na avenida. Hoje com tantos recursos multi-mídias isso seria possível com um custo que poderia ser absorvido pelas próprias agremiações independente do CD que só fica pronto no final do ano. Um trabalho artístico sobrevive de ousadia, aos perdedores sempre há lamentações. E o samba já se cansou de lamentos sem fundamentos. RATOS E URÃ?BUS LARGUEM MINHA FANTASIA !!!

  • Avatar
    23/05/2009 20:38:01CÃ?LIO MANEIROMembro SRZD desde 10/04/2009

    Boa Noite! Ã? muito triste, ter que ouvir uma grande realidade, de um dos maiores comentarista do gênero. Fico realmente, estático o nosso valioso samba, não tem reconhecimento em mídia, somente quando se tem interesses próprios. Mas acho, que nos sambistas, demos uma grande contribuição para este já velho momento, quando ficamos o tempo todo calados. O carnaval se rotulou em ser um espetáculo dê apenas sete meses, isso para os trabalhadores da área e nós sambistas. Agora, o povão só escuta samba, em Novembro, até o carnaval. Ai sim! Escuta-se, por que é necessário divulgar o trabalho, para que se possa vender o espetáculo em Fevereiro. Em quanto isso, logo depois da grande festa, onde nos somos o centro das atenções e não podemos participar ativamente, ficamos no anonimato, até Agosto, do ano seguinte, quando começa tudo outra vez. Agora pergunto, dá IBOPE ouvir hoje samba de enredo? Todos gostam realmente do gênero, ou simplesmente vão no embalo da temporada, como se fossem os donos da festa? Ã? lamentável! Acorda Sambista, dá mesma forma que hoje, está mais claro o avanço da Amazonas o nosso samba, também esta sofrendo, demarcações de limites, a nos os verdadeiros donos, estamos só olhando. Fiquem todos com Deus e um Bom Domingo.

Comentar