SRZD


28/05/2009 17h01

"O som da Motown" resgata black music
Beatriz Tafner

Chegando ao SESC de Copacabana, onde acontece o ensaio do espetáculo "O som da Motown", logo no elevador já se ouve elogios. "Você também é cantora ou atriz? Sempre ouço os ensaios e adoro, parece grupos de igreja americana", conta o ascensorista Augusto da Silva Mello. SRZD apóia "O som da Motown".

Lá em cima encontramos Cláudio Figueira e Renato Vieira, diretores do espetáculo. Durante um bate papo, o enredo da peça se revela. O musical "O som da Motown" vem celebrar os 50 anos da gravadora americana Motown, e conta com cinco cantoras e atrizes. Os diretores destacam a importância da gravadora não só para o mundo da música, mas para a história como um todo.

Motown teve início em Michigan, Estados Unidos, em 1959, quando Barry Gordy resolveu pegar um empréstimo de cerca de US$ 700 e apostar em um projeto. Assim nasceu uma das maiores gravadoras da história. O nome veio de Motor Town, devido às montadoras de automóvel que se instalavam no estado.

Durante os anos 60, Barry e sua empresa foram responsáveis pela gravação do estilo "soul" e "rhythm and blues", bem característico da música negra americana, enraizada na música gospel. A Motown, foi, de certa forma, o primeiro veículo da música que levou aos brancos, a música negra e foi além, uniu brancos e negros através da música. Com artistas como The Supremes, The Jackson Five, Stevie Wonder, Smokey Robinson, The Funk Brothers, a gravadora foi também a primeira a lançar músicas que deixavam de lado o puro lirismo e mergulhavam em temas socio-políticos. Cantavam o amor.
 
O espetáculo "O som da Motown" promove o encontro de dois monstros do teatro. Cláudio Figueira é coreógrafo, arquiteto, autor e diretor, além de confesso aficionado por musicais de Hollywood. Renato Vieira, por sua vez, é diretor de movimento dos principais musicais do Rio. "O grande lance da Motown, é que ela uniu artistas que independente da cor da pele, cantavam o amor e temas atuais da época, o que acabou por unir uma geração", explica Renato. "O som criado pela Motown, representou a música negra conquistando brancos e quebrando tabus", completa Claudio.

As atrizes do musical são destaques. O processo de seleção foi bastante detalhista. Claudio conta que o mais difícil era encontrar cinco vozes femininas que se completassem. "A idéia inicial era termos quatro atrizes, quatro vozes, mas isso acabou mudando quando conhecemos as meninas". Interpretando as canções que marcaram uma geração e que foram as trilhas sonoras das décadas de 60, 70 e 80, estão: Thalita Pertuzatti, Débora Pinheiro, Simono Centurione, Ellen Wilson e Alcione Marques.

Thalita já tem uma relação de longa data coma música. Ela sempre cantou, inclusive profissionalmente. Foi vencedora de um concurso de calouros de um programa de TV, que lhe rendeu o convite para o teste para a peça. No encontro com Claudio e Renato, levou sua irmã Débora, que assim que abriu o vozeirão, também passou a fazer parte do elenco. Ellen, paulista criada em Minas Gerais, caiu de para quedas no teste e logo foi convidada para cantar para grande platéia.

Simone, por sua vez, já tem história com Claudio. Eles já trabalharam juntos em outros projetos e foi justamente dessa relação que nasceu a idéia desse espetáculo. "O conceito de ser um musical já estava fechado, mas relembrar e homenagear a Motown, foi justamente idéias da Simone, relembra Carmem Figueira. Até então a equipe já tinha escolhido quatro fortes mulheres para embalar os hits da gravadora, mas eles ainda procuravam uma voz. "A gente, durante os testes, brincava pedindo uma Alcione (a cantora "marrom"). E não é que alguem abre a porta e se apresenta como Alcione? E quando ela começou a cantar, já sabíamos; era tudo que a gente queria para fechar o elenco", conta Renato. Alcione, tem a voz tão bela e forte como a da original, e chegou para completar o time de cinco estrelas.

Carmem, que é pesquisadora e produtora da peça, cuidou da trilha musical. De uma seleção inicial de 150 músicas reunidas em seis CDs, restaram 50, em homenagem aos 50 anos de gravadora. A produção achou que havia chegado a hora de dar corpo, figurinos, cabelos black power e voz, muita voz, para contar, através do teatro a histórica constelação da black music norte-americana. Ao longo de cinco blocos, as intérpretes realizam sete trocas de figurinos, num total de 34 peças. Além disso, a peça também usa e abusa de 30 perucas dando forma aos penteados de época.

O aniversário de 50 anos da Motown, deu o que falar e rendeu lançamentos, matérias, artigos e celebrações  pelo mundo todo.  No Brasil, a homenagem "O som da Motown" estréia no dia 12 de junho, Dia dos namorados (sugestivo não?), às 19h, no Teatro do Lebon, na Sala Fernanda Montenegro.

Serviço:
Musical: O Som da Motown
Local: Teatro do Leblon (Sala Fernanda Montenegro)
Estreia: Dia 12 de junho
Horário: 19h
Classificação: Livre
Duração: 1h20


Veja mais sobre:Teatro

Comentários
  • Avatar
    21/09/2010 12:32:43Marisa JustinoAnônimo

    Assisti a 2 apresentações no Mackenzie São Paulo. AMEI, AMEI!!! Quero assistir novamente, novamente e novamente...! Vocês são fantásticas! Bjoooo

  • Avatar
    18/08/2010 12:01:11Teodoro Silva de JesusAnônimo

    A inclusão de Ellen Wilson no Grupo, mostra a qualidade das meninas, conheço Ellen Wilson e tenho grande adimiração pela sua voz e conduta de palco. Como diretor do Clube da Gremig, sempre oferecia o espaço para ela cantar e encantar todos os frequentadores, não me conformavo que uma pessoa com o talento, ainda não tinha conseguido um espaço na mídia. Todos os frequentadores do Clube da Gremig, sempre perguntam por onde anda a Ellen Wilson, tenho certeza que em turne que vocês um dia faram em Belo Horizonte, poderemos incluir a Gremig na programação. Abraços a todos do Grupo "O som da Motown" em especial a Ellen Wilson, desejo sucesso e vida longa ao grupo. Atenciosamente, Teodoro de Jesus Diretor da Sede Campestre - Gremig

  • Avatar
    16/06/2010 15:55:56lindici de oliveiraAnônimo

    adoro o trabalho de voces ,so muito fa de michael jacheson ,sei muitas musicas dele decor ,muitos me falam q teria sorte na musica ,mas gostaria de conheçer o trabalho de voces mais de perto ,gostaria de cantar uma musica com voces. beijos qeridass adoro voces

  • Avatar
    12/04/2010 12:11:01antonio carlos dos santos silvaAnônimo

    vcs cantam muito tava assistindo na record news sou fa de vcs moro em recife quero escutar um cd de vcs um dia espero que logo bjs meninas .

  • Avatar
    12/04/2010 09:50:36MarcioAnônimo

    Simplesmente encantador foi o espetaculo de vcs,estava na primeira fila no domingo a noite de 11/04/2010, viajando no tempo foi lindo. Parabéns .Vou recomendar aos amigos. Marcio.

  • Avatar
    12/04/2010 04:51:43patimanoela santosAnônimo

    adorei vcs amo black miusic e vcs sao as divas do brasil...ESCREVE AI O QUE TO DIZENDO OK AS DIVAS DO BRASIL.. tenho 26 ano e to na bahia amo vcssssssssssssss minhas rainhas..........

  • Avatar
    12/04/2010 04:48:45ciria santosAnônimo

    amei vcs realmente sao encantadoras e muito talentosas eu amo musica negra se assim devemos chamar vcs estao de parabens e espero que meus filhos e netos possam ouvir vcs por muito tempo ok beijos e aqui fica meus cinsero agradecimentos pela iniciativa do responsavel por este projeto que me perdoe esqueci o nome... mais adoro todos vcs xau fikem com deus.... amei amei amei vcs sao de++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ ++++++++++++ fikem com deus

  • Avatar
    12/04/2010 04:44:40TIAGO JOSEAnônimo

    amei vcs sao demais tenho 10 anos mais amo as musicas que meu pai ouvi e costuma ttocar quando mainha ta brigada com ele viu xau eu amo vcs eu gosto de talita e de simone elas sao minha rainha viu xau vou dormir painho ta brigando um beijoooo xauuuuuuuuuuuuuuuuuu

  • Avatar
    12/04/2010 04:41:37jose cosme souza ferreiraAnônimo

    nao gostei muito da apresentacao na tv pq tive que acordar minha familia inteira pra assistir vcs e so foi cinco musikinhas so........ choramos pra caramba vcs nao imaginam mais depois ficamos felizes no resgate e nos rendemos de vez a vcs pois passamos a amar a todos vcs bjaum especial para o idealizador do projeto e os diretores musicais e maestros NOS AMAMOS VCS FAMILIA FERREIA BAHIA BJUSSSSSSS DO FUNDO DO CORACAO VEM PRA BAHIA FAZER SHOWS BJUSSSSSSSSSSS

  • Avatar
    20/03/2010 18:12:28VERA REGINA RODRIGUES DA COSTAAnônimo

    Meus parabens foi lindo maravilhoso ver vcs no show da gente pena que foi pouca musica jamais vou compra o cd de vcs pois eu as amo Que Deus bençõe vcs hoje e sempre e muito sucesso.

  • Avatar
    13/03/2010 09:31:07JorgeAnônimo

    Jo, valeu muuito a pena. Quero ir outra vez com você, quando você puder. Te mando um pouco sobre a peça, para ter idéia. Mas garanto que vai adorar se for 'no escuro'. Beijo, Wan

  • Avatar
    10/03/2010 10:20:35marcos henrique dos santos melloAnônimo

    Assisti ao espetaculo duas vezes recomendeia varios amigos e gostariamos de ver o musical denovo , gostaria de saber onde estão em cartaz, se possivel no rio de janeiro , parabens pelo belissimo trabalho e aguar do contato . MARCOS.

  • Avatar
    30/01/2010 02:09:35Natalina RosaAnônimo

    Sensacional!!! A "Alcione" Tem um vozeirão impressionante!!! Amei o espetáculo... figurino nota 10!!! As perucas completam o visual dando um charme todo especial às meninas e remontando a época do black music!!! Pareciam cantoras americanas mesmo! As meninas são puro charme! Demais!!!

  • Avatar
    30/12/2009 11:28:02Paulo HenriqueMembro SRZD desde 30/12/2009

    sou fã da Thalita Pertuzzatti, minha linda irmã que DEUS continue usando vc como instrumento dele....como diz seu pai: vc está cantando pra DEUS e pro mundo........que vc continue assim sempre humilde......linda....e...MARAVILHOSA... ..um grande abraço a todas do som da Motown ....sucesso!!!!!!!!!!!

  • Avatar
    23/11/2009 18:58:35AuroraAnônimo

    Sandro Rohan Silva Comprei hoje por 25,00 na campanha Teatro para Todos. Vou ver no Sábado. Só pode comprar para a própria semana, não pode comprar antecipado. Veja se vc consegue! Boa Sorte!

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.