SRZD


23/06/2009 18h48

O que é um enredo?
Luiz Fernando Reis

Preferia estar falando um pouco sobre um quesito muito desvalorizado ultimamente - o quesito conjunto. Na minha opinião é esse, talvez, o mais importante dos quesitos em julgamento num desfile de escolas de samba. Mas, como o assunto do momento é enredo, vamos papear um pouco sobre ele. O quesito conjunto pode esperar algumas semanas a mais.

Antes de mais nada, gostaria de deixar bem claro que não estarei ensinando o que é o enredo, até por que não sinto gabaritado para tal, mas como já coloquei quase quarenta enredos na avenida, posso dar esse pontapé inicial para um salutar debate sobre esse assunto fundamental numa escola de samba. 

Por isso, peço aos amigos que não vejam a verdade absoluta no que colocarei. Serão apenas minhas impressões sobre enredo, com um bom respaldo de experiência, mas nada que vá muito além disso. A participação dos amigos comentaristas será muito proveitosa para todos nós.

Os enredos podem seguir dois caminhos bastante distintos. Eles podem ser temas enredos ou simplesmente temas. Nos carnavais de outrora, os enredos eram quase sempre temas enredo, eram históricos, fielmente descritivos e cronologicamente montados. Nos carnavais atuais, os temas são bem mais frequentes. Os enredos deixaram de ser históricos nesse visão cronológica que eles tinham e passaram a ser bem mais interpretativos. Mas a coisa não é tão simples assim, muitas vezes não sabemos definir se um enredo é um tema enredo ou simplesmente um tema, por exemplo, em alguns enredos: O Domingo da talentosa Maria Augusta claramente foi um tema, O Descobrimento do Brasil do Mestre Arlindo Rodrigues foi um tema enredo. Chica da Silva do grande Fernando Pamplona foi um tema enredo, Tambor do grande campeão Renato Lage foi um tema. Ratos e Urubus do Mestre João Jorge Trinta foi um tema fantástico. E o inesquecível Fernando Pinto nos brindou com o maravilhoso tema,  Tupinicópolis. Mas tentem os amigos diferenciar outros enredos que a coisa complica um pouco.

Mas esqueçamos um pouco esse classificar de enredos e conversemos mais sobre ele. Todo enredo, é claro, nasce de uma idéia. E de preferência uma boa idéia e se for inédita, melhor ainda.

Estamos falando de carnaval e uma temática triste, pesada ou mórbida não combinará muito com ele. 

Desde que acompanho carnaval e nisso já se vão quase meio século, nem sempre uma boa idéia se transforma num bom enredo. Eu já vi idéias brilhantes se transformarem em enredos medíocres e já vi, também, idéias apenas razoáveis se transformarem em enredos inesquecíveis. Já vi ideias não inéditas se transformarem em enredos bem melhores que o original e vice-versa também.

O que faz uma boa idéia se transformar num belo enredo é o seu desenvolvimento, mas para isso é necessário que essa idéia permita a criação de belas, adequadas e diferentes fantasias e de bonitas, pertinentes e variadas alegorias, além, é claro, e fundamentalmente, de um belo samba-enredo. Com isso, entendo que uma idéia necessita de quatro fundamentos para se transformar num bom enredo:

1 - Desenvolvimento em alas e alegorias. 

Muitas vezes um tema é pequeno e limitado e para isso precisamos viajar um pouco na maionese, ou seja, acrescentar desvios que nos permitam uma melhor plástica para o desenvolvimento, e aí mora o perigo. Se exagerarmos na dose perderemos o rumo do tema e o retorno a ele nem sempre será natural. Sonhar demais pode deturpar por completo um enredo e ferir seu caminhar natural. A transição entre alas precisa ser sequencial, uma mudança brusca de estilos, época ou cores pode macular sem retorno um bom desenvolvimento. O mesmo conselho vai para a transição de alas e alegorias. Se uma ala não complementa uma alegoria e a alegoria não faz cenário para a ala que a precede a coisa desanda e muito. O grande problema de um tema não cronológico pode ser a falta de continuidade de um setor para outro.

2 - Possibilidade de criar fantasias adequadas, bonitas, de bom gosto e diferentes.

Uma idéia por si só não nos brindará com um bom enredo se não nos permitir sua transformação em fantasias identificáveis, pertinentes, de bom gosto e que sejam agradáveis de se ver. A repetição de indumentárias torna o enredo cansativo, chato e enfadonho. Uma boa idéia precisa possibilitar a criação de fantasias diversas e não a repetição de vestimentas diferenciadas por detalhes. Uma bom planejamento cromático tornará leve a transposição das diferentes fantasias. 

3 - Possibilidade de criar alegorias adequadas, bonitas, de bom gosto e diferentes.

Uma ideia se tornará um bom enredo se nos permitir a livre criação dos elementos alegóricos. Alegorias que sejam originais e de temática diferentes entre si sempre desenvolvem bem um enredo. A dosagem cromática e a possibilidade na criação de indispensáveis esculturas será um bom começo. Também é importante a adequação da alegoria para as alas que a precedem, e se possível, com a ala que a segue.

4 - Possibilitar aos compositores a criação de um belo samba-enredo.

E aqui precisamos diferenciar duas coisas bastante distintas. Uma é o texto do enredo que servirá de base para a análise do julgador de enredo. Esse texto deverá ser descritivo, com todo o enredo explicado e poderá ser monográfico, não precisará emocionar, ele precisa é não deixar dúvidas sobre as pretensões do enredo. A outra é a sinopse do enredo que é um resumo do que é fundamental na letra do samba-enredo. É a sinopse que será entregue aos compositores e esse texto precisa inspirar e emocionar a ala de compositores, ele precisa transmitir tesão (me perdoem o termo, mas não vejo palavra melhor) aos poetas da escola. Ela não pode ser um relato frio e enfadonho do enredo. Ela precisa ser poética, ter um jogo diferenciado de palavras, ser bastante adjetivada e mais rebuscada em poesia. Na verdade, ela é um texto intermediário entre o monográfico enredo e a letra do samba-enredo.

Tem um ditado que se aplica muito bem ao que acabei de escrever: 

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço ...

E digo isso por que em meus enredos não consegui colocar o que penso na prática. Na verdade, a realização de um carnaval e o desenvolvimento de um enredo é bem mais complexo que meia dúzia de palavras num site de carnaval. Mas o importante é ter dado esse pontapé inicial para um amplo debate sobre a mágica de um enredo.

No relato dos enredos, não citei três feras na arte de um bom enredo:

Paulo Barros, Oswaldo Jardim e propositadamente a artista Rosa Magalhães que soube transformar uma idéia maravilhosa numa outra idéia mais maravilhosa ainda. João das ruas do Rio, o enredo do Império Serrano, é para mim até agora, o enredo destaque deste ano.
 
Um abraço
Luiz Fernando Reis


Comentários
  • Avatar
    05/09/2009 09:32:25ney rorizMembro SRZD desde 27/08/2009

    Há 40 anos ( anos 60 ) comecei a criar e escrever enredo e tive de pronto só 10 e um campeonato inédito para minha escola na minha estréia , em seguida tive o décimo lugar no especial e mesmo assim os únicos 10 no meu enredo , sendo que , como últimos descemos do grupo das 10 mais .Só voltei a escrever nas décadas seguintes e ao vltar fui 10 e novamente na primeira tentativa subi o meu irônico BOI BUMBÁ COM ABÃ?BORA que COMPETIU COM O CASAMENTO DA DONA BARATINHA e a Ponte também subiu ... e sempre eu era o único carnavalesco com só 10 no enredo ... No inicio dos anos 80 encontrei um carnavalesco que além de me tirar o campeonato tirou os mesmos 10 que me eram exclusivos antes . Eu criara uma idéia ótima inventada minha ( IN EGO SUBJ ) e um nome de personagem fantástica , tudo inventado e abstrato criativo psicológico auto-crítico POPÃ? PAPÁ BUBU BABÁ modernista tirado da idéia de criticar o artista popular carioca malandro oportunista macunaímico ... mas o meu adversário campeão simples escolheu a feira como tema ( EX OBS OBJ ) e criou um enredo concreto descritivo OBJETIVO representativo quase realista da poesia da CABROCHA LILI ...Foi LILI X POPÃ? deu empate de dois estilos marcantes e diferentes MAS de ótimas idéias , mas LUIZ FERNANDO subiu a Caprichosos assim dois anos antes do 33 similar urbano do tipo da LILI , descritivo tema feito tema enredo realista crítico , colocar a Em cima em cima . Já dei muitas aulas para jurados sobre como julgar enredo e já julguei muito dos enredos alheios dando notas e assim , sem qualquer modéstia , assino seu diploma de ótimo nisso entre os melhores ( Carnavalesco Master LF ) .

  • Avatar
    27/06/2009 10:54:21Luiz Fernando ReisMembro SRZD desde 24/04/2009

    Grande amigo Julião Estive com o amigo Julio César Lemos no barracão da Império da Zona Norte aqui em Porto Alegre. Esse conhece muito de carnaval. Ele tem a visão macro do espetáculo, por isso é um dos bons diretores de carnaval de Porto Alegre.Uma abraço Julião estaremos juntos no próximo carnaval portoalegrense. Uma pena não ter trazido casaco, ees terra tá um frio terrível. 8 graus é demais pra esse carioca. Um abraço....................... Luiz Fernando Reis

  • Avatar
    26/06/2009 20:37:59Júlio César LemosMembro SRZD desde 26/06/2009

    Espero que tenha sido entendido, pois falo do Carnaval do RS, ONDE labuto por esta cultura. E tenho certeza que temos ótimos Temistastas de Enredo, embora poucos.

  • Avatar
    26/06/2009 20:32:01Júlio César LemosMembro SRZD desde 26/06/2009

    Aos que se julgam Temistas de Enredo que leiam atentamente esta coluna, pois conheço gente que se julga temista enredista, quando na verdade são enroladores de Tema. Parabéns Irmão..

  • Avatar
    24/06/2009 18:22:36luiz carlos severo diniz (severo)Membro SRZD desde 18/05/2009

    Excelentes e didáticas explicações, que certamente muito contribuiram para a compreensão dese quesito propulsor do desfile .

  • Avatar
    24/06/2009 11:55:02Julinho di OjuaraMembro SRZD desde 13/04/2009

    Boa LF, é sempre importante o mundo do carnaval se aproximar de seus admiradores de forma sútil e passando-lhes o máximo de informação. Isso serve principalmente para aumentar o campo visual das pessoas em relação aos julgamentos. Parabéns !

  • Avatar
    24/06/2009 11:26:36almir de araujoMembro SRZD desde 28/04/2009

    Quem entende sabe o que diz. Beleza a matéria. Esse ano já estamos fazendo parte da Ala de Compositores do Império. Fomos bem recebidos pelos amigos e vamos pras ruas de João. Abs.

  • Avatar
    24/06/2009 10:56:29jorge lopesMembro SRZD desde 30/04/2009

    Luiz, gostei do texto. Sempre aprende-se mais alguma coisa. Recentemente, o mestre salgueirense Fernando Pamplona, criticou o Salgueiro dele, não favoravelmente, afirmando que Tambor era um tema e não um enredo. Mostrou-se crítico ao tema. Ao ler, pensei na diferença entre os dois e, por dedução lógica, acabei achando algo parecido com o que eu entendi do seu texto, ou seja: o enredo (do Fernado), ou tema enredo, como você afirma, seria o fato, acontecidmento ou personalidade com registro histórico, datado, que se desenvolve cronologicamente. Já o tema sem qualquer desenvolvimento cronológico. Porem com muito mais liberdade para a elaboração. Um tema: futebol, como recreação. Um enredo: A Copa de 1958. um abraço.

  • Avatar
    24/06/2009 09:35:43Gelson PereiraMembro SRZD desde 16/04/2009

    Gostei dos 4 tópicos para se produzir um bom enredo. Foi a avaliação mais sensata que ouvi até hoje sobre o tema. Para mim o caranval (desfile de escolas de samba) é como uma área do conhecimento e, incrivelmente, faltam obras que tratem do assunto. Porque gênios como Rosa Magalhães, Renato Lage, Joãozinho Trinta, etc. nunca se puseram a fazer reflexões dese tipo sobre os seus trabalhos? Quando se procura literatura sobre o carnaval só se encontra textos sobre as origens históricas do carnaval como um todo. Precisamos de mais discussões como essa, sobre as questões técnicas e específicas dos desfiles de escolas de samba e a internet está se mostrando uma ótima ferramenta para isso. Só precisamos parar de agredir uns aos outros nas discussões e levarmos sempre par ao lado emocional de torcedor. Parabéns Luiz Fernando Reis e lhe sugiro a publicação de livros sobre o assunto.

  • Avatar
    23/06/2009 23:49:07Marcia BerkaMembro SRZD desde 23/06/2009

    Luiz Fernando Reis, Voce poderia criar uma notícia sobre quando começam as Eliminatórias de Samba Enredo? Como funciona? Não moro no Rio e gostaria de saber mais informações. Muito Obrigada.

  • Avatar
    23/06/2009 23:42:36Marcia BerkaMembro SRZD desde 23/06/2009

    Parabéns pela explicação de O que é um enredo! Foi muito bom! Sempre assisto os desfiles na televisão mas nunca soube analisar com detalhes cada um dos quesitos! Ã? muito bom ter um site o ano inteiro com informações sobre essa Maravilha que é o Carnaval!! Meus Parabéns pelo Site!! Entro aqui o dia inteiro pra ver as últimas notícias!!

Comentar