SRZD


03/07/2009 10h15

Réveillon na praia de Copacabana pode ter show do grupo de rock irlandês U2
Redação SRZD

O prefeito Eduardo Paes planeja fazer o primeiro réveillon de sua administração com um show do U2, na praia de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, segundo a coluna Gente Boa do jornal O Globo desta sexta-feira. O grupo que começou a turnê do 360º na semana passada teria brechas na agenda.

Paes conversou com Scott Givens, responsável pelos eventos da Disney, pois pretende fazer uma revolução na virada do ano. O prefeito analisa projetos do americano que tem a ideia de tornar mais dinâmica a comemoração com uma interação entre música e a queima dos fogos de artifício.

Após o espetáculo de fogos da abertura do ano da França no Brasil, em abril, o prefeito fez um convite para que o Groupe F, responsável pelo show pirotécnico da Lagoa Rodrigo de Freitas, fizesse o Réveillon de 2010 em Copacabana como noticiou em primeira mão o SRZD.

O Groupe F, comandado por Christophe Berthonneau, foi o responsável pela comemoração da virada do ano 2000 na Torre Eiffel, a abertura dos Jogos Olímpicos de Atenas e a inauguração da Épera de Singapura.


Veja mais sobre:CopacabanaEduardo PaesU2

Comentários
  • Avatar
    04/07/2009 21:15:52CaioAnônimo

    A queima de fogos, com o esquema de 8 balsas, perdeu o formato, perdeu o charme. Os fogos não fazem mais o formato de ferradura da praia, que ficava bonito. Também não adianta trazer U2 para o próximo réveillon e daqui ha uns anos voltar a colocar aquelas atrações fracas de sempre. Ã? preciso retomar o charme da queima de fogos e garantir que o evento só terá boas atrações daqui pra frente. Façam uma parceria com a Globo para transmitir o show da virada direto de copacabana! Seria perfeito.

  • Avatar
    03/07/2009 18:32:57Leonardo GuedesMembro SRZD desde 09/04/2009

    O show do Rod Stewart no reveillón (em que ano mesmo, hein?) foi... esquecível!

  • Avatar
    03/07/2009 11:40:01ZappaAnônimo

    O Brasil, mais do que nunca está precisando de brasilidade, identificação cultural e não de uma festa de reveillon musicada por músicos europeus. O turismo em todo mundo é a industria que mais fatura, mas no Brasil, mesmo com todas as condições estéticas e climáticas não é priorizado. O turista, não quer ver aqui o que ele já têm em casa. Em 510 anos já fomos massificados e serventes o suficiente. Será que não é hora de deixarmos de misturar chiclete com banana.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.