SRZD


07/11/2009 19h19

Dorival abre o jogo para o SRZD: 'Vim para o Vasco pela sua grandeza'
Jorge Lourenço

Dorival abre o jogo para o SRZD: 'Vim para o Vasco pela sua grandeza'. Foto: Divulgação É impossível falar do retorno do Vasco à Série A do Campeonato Brasileiro sem citar o técnico Dorival Júnior. Ao lado de Carlos Alberto, ele é o símbolo da campanha vitoriosa do Gigante da Colina na Segunda Divisão. Bem visto no futebol brasileiro após boas passagens por São Caetano, Coritiba e Cruzeiro, ele esteve na mira de times da Primeira Divisão, como Palmeiras e Santos, antes de acertar com o Vasco, um acordo que surpreendeu muita gente. A divisão no qual o clube estava pouco fez diferença, como Dorival disse em entrevista exclusiva ao SRZD sobre o retorno do time à elite do futebol brasileiro.

"Havia a possibilidade de o Vanderlei Luxemburgo sair do Palmeiras para o futebol europeu na ocasião e o Santos também me procurou. Junto deles, também aconteceu a proposta do Vasco. Pela grandeza do clube, deixei claro que dirigiria ele na Série A ou na Série B do Campeonato Brasileiro. O Vasco é muito maior do que isso", disse o treinador.

Mas o trabalho do treinador em São Januário foi árduo. O péssimo desempenho da equipe na temporada 2008 fez com que os principais jogadores do Vasco deixassem o clube. Rafael, Wágner Diniz, Jonílson, Madson e Leandro Amaral eram vistos como os pilares do elenco e todos acabaram deixando a Colina. E coube a Dorival, ao lado da diretoria, reestruturar o time do Vasco.

"Esse é um tipo de trabalho que me orgulha muito, que me agrada muito. Já trabalhei em clubes nos quais eu entrei com seis, sete jogadores apenas e tivemos que fazer toda a montagem do elenco. É um tipo de especialidade que eu e minha comissão temos", explicou o comandante. E, ao longo do ano, ele não fez só montagens, mas remontagens. Em algumas ocasiões, o treinador teve que trocar quase meio time em função das suspensões e contusões que assolaram o Vasco ao longo da temporada.

"Foi algo atípico que aconteceu com a gente nessa temporada. Eu consegui repetir o mesmo time acho que duas ou três vezes ao longo da temporada. Por isso, tínhamos sempre que estar fazendo modificações no time titular e todos tiveram chance, todos se comprometeram", avaliou.

A 'roda viva' do Vasco

E, a cada alteração, o time do Vasco melhorava. Jogadores que tinham pouco destaque no começo da temporada viraram titulares absolutos após ganharem chances com Dorival Júnior. Ainda na pré-temporada, Ramon desbancou a titularidade de Fernando Galhardo na lateral-esquerda. Reserva e pouco utilizado, Élton cresceu ao longo do Carioca e hoje é o artilheiro cruzmaltino na temporada. Os garotos Vilson, Souza e Alex Teixeira também reconquistaram seu prestígio e ganharam posições de destaque no time, tudo graças ao espírito de entrega que Dorival gosta de ressaltar no Vasco.

"Você pode fazer tudo certo fora de campo, mas se não tiver um time que se entregue, um time disposto, não adianta de nada porque tudo que você pensa fica apenas no papel. Tudo teria ficado só na conversa se não tivéssemos um bom time. A entrega, a garra que o time tem é sensacional. Todos que estavam em campo sempre davam o máximo de si e quem estava de fora via os companheiros se dedicando e queria se esforçar também. Foi muito bonito, algo único", garantiu o treinador.

A grande decepção do Vasco nesta temporada aconteceu na Copa do Brasil. Após surpreender e chegar às semifinais da competição, o Gigante da Colina enfrentou o Corinthians, que posteriormente levaria o título. Na ocasião, os cruzmaltinos empataram os dois jogos, 1 a 1 no Maracanã e 0 a 0 em São Paulo, o que resultou na eliminação da equipe, apesar de sua invencibilidade. No entanto, não é de tristeza o sentimento de Dorival Júnior perante a eliminação. Para o treinador, sair da Copa do Brasil foi um baque que serviu para amadurecer o elenco do Vasco.

"A Copa do Brasil serviu para mostrar que nosso time não era só balela, que poderia competir de igual para igual com as equipes da Primeira Divisão. Falavam que o Campeonato Carioca não servia para medir a força de um time, mas mostramos o quanto estávamos bem. Não lamento nossa eliminação porque aquilo serviu para amadurecer os jogadores, fortaleceu muito o grupo. Muito do que conseguimos na Série B veio das lições que tiramos daquele jogo", garantiu.

Futuro

Agora que o acesso à Série A já está garantido, a torcida cruzmaltina quer saber do futuro do técnico Dorival Júnior. Muito querido pelos torcedores e cérebro da ascensão vascaína, ele desconversa quando o assunto é 2010, mas dá a entender que tem o desejo de permanecer em São Januário.

"Não quero um emprego, quero um trabalho. Quero saber de um projeto, quero um planejamento para o ano que vem. A diretoria é quem decide se vou ficar ou não. Se quero ficar? Meu desejo era estar no comando de um grande clube e hoje tenho essa oportunidade. O Vasco está crescendo e tem tudo para dar certo e, se isso acontecer, não tenho motivos para não continuar", disse o treinador. Questionado sempre sobre o alto valor do seu salário, ele lembrou que todo treinador tem mais de um preço.

"Tem treinadores que são baratos, muito mais baratos do que eu. Só que, no final das contas, eles acabam saindo caros para o clube porque os resultados não acontecem. Eu sei que ganho o que mereço, eu valho o que é investido em mim", garantiu.


Veja mais sobre:Vasco

Comentários
  • Avatar
    18/03/2010 22:08:41ED pillsAnônimo

    considerate pursued fsanta absorb spread indent fined prolonged expected helgeson coloney

  • Avatar
    08/11/2009 19:46:11valmiAnônimo

    vamos nesta vascão e assi que vc e vitorioso parabens a torcida vascaina esta de parabens

  • Avatar
    07/11/2009 20:42:44marcodeMembro SRZD desde 30/09/2009

    PODE ATE SER GRANDE MAIS JAMAIS PODERIA TER SI DOBRADO AOS ENTERESSES DA TELEVISAO E EXPOSTO SEUS ATLETAS E TORCEDORES AQUELE CALOR

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.