SRZD


21/01/2010 10h02

Dilma Rousseff adia lançamento de projeto de proteção à liberdade religiosa
Redação SRZD

O projeto do Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH) já causou polêmica entre militares, juízes, latifundiários, sem-terra, empresários de comunicação e agora com os evangélicos e com os praticamtes de candomblé.

O lançamento do Plano Nacional de Proteção à Liberdade Religiosa, que faz parte do PNDH e previsto para esta quarta-feira, foi adiado sob a alegação de "revisão de pontos jurídicos". A ordem para o cancelamento foi dado pela ministra-chefe da Casa Civil e pré-candidata à Presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff. A availiação política do adiamento é de que a ministra Dilma quer evitar choques entre evangélicos e a Igreja Católica em ano eleitoral.

O Plano da Liberdade Religiosa, que tem o aval da Secretaria da Igualdade Racial, prevê a legalização fundiária de imóveis ocupados por terreiros de macumba e o tombamento cultural dos centros de umbanda.



Comentários
  • Avatar
    04/10/2010 16:55:08DéboraAnônimo

    Somente ao Deus dos céus seja dada toda honra e gloria e não importa a sua decisão, o meu Deus nunca deixará de ser Deus e diante dele todo joelho se dobrara e toda língua confessara que Jesus Cristo é o Senhor. Convertam-se a Jesus e parem com essa confusão.

  • Avatar
    17/02/2010 04:56:34antonio freitas munizAnônimo

    Este é um projeto com cara de crime hediondo. Num país laico como o nosso essa é uma intromissão do estado em assuntos da fé que tem que ser visto como um projeto pessoal e não como potítica. A igreja catolica que fazer volta os tempos de caça às Bruxas ? Defendo que a liberdade religiosa seja a mais imperiosa das leis de direitos humanso e ela está em vigor desde que o Brasil se tornou rpública. Viva "Maçonaria".

  • Avatar
    21/01/2010 10:51:53musaAnônimo

    Ih, ela agora está se preocupando em não melindrar os religiosos? Justamente alguém cuja ideologia passada desprezava a religião. Nada como uma campanha eleitoral ... como é que ela poderá fazer campanha nos altares e púlpitos.

Comentar

Isso evita spams e mensagens automáticas.