SRZD


26/05/2010 01h08

Leia sinopse do enredo da São Clemente para 2011
SRZD-Carnavalesco

Enredo: "O seu, o meu, o nosso Rio, abençoado por Deus e bonito por
natureza"

Conselho Deliberativo da Criação Divina
Lá longe e tão perto, eternizado em nossos corações, está Deus. Dada sua condição especial, onipresente e divino, Ele convoca todos os santos, anjos e arcanjos e institui o Conselho Deliberativo da Criação Divina. Transforma-os em incansáveis missionários para construir o mundo dos homens em sete dias. E afirma: - Dos sete, utilizarei dois para criar uma cidade admirável, esculpida pela própria natureza.

Em seguida, chama por São Clemente e São Sebastião e ordena-os:
- Vocês serão responsáveis pela obra desta "cidade única". Descerão da criação divina ao plano material, levando o sopro à vida. Distribuirão mistérios por uma terra abundante de frutos, pássaros e peixes. Belas, igualmente únicas e belas, serão suas paisagens e suas águas cristalinas "azuis como a cor do mar". E ao término do cumprimento de minha ordem divina chamem-na de E Deus fez a Maravilha. Contudo, antes de partirem, o criador de todas as coisas designou os anjos Ariel, Gabriel e Raphael para a tarefa de fiscalizar as obras e a vida na cidade única por Ele planejada.

Rio: um porto desejado!
A Maravilha de Deus é contemplada.
Os fenícios podem ter sido os primeiros que aqui chegaram. Eles vislumbram um "Rio Alado". Algumas inscrições gravadas no alto da Pedra da Gávea permitem fantasiar sobre esta versão indubitavelmente mágica em sintonia com a natureza.

O Rio torna-se alvo irresistível para os navegadores portugueses e franceses, que ávidos da majestosa natureza, travam batalhas por seu valor inestimável.
Deus percebendo a cobiça e o crescente desejo pelo domínio de sua menina dos
olhos promove São Sebastião a santo padroeiro da cidade. Credita-se a São Sebastião, o bem-aventurado, parte do nosso futuro sucesso como cidade. Dada a batalha final, é ele quem surge na visão do consciente imaginário português motivando-o a vencer e expulsar os invasores, fundando-se a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Império Tropical
Vendo através dos olhos dos homens, o nosso divino arquiteto dá condições à vida...
A Família Real desembarca no Rio de Janeiro. É a época da política do "Ponha-se na Rua", nome dado, com senso de humor, pelos cariocas, que se inspiravam nas iniciais "PR", de Príncipe Regente, que eram gravadas na porta das casas requisitadas para os nobres portugueses.

A Divindade transforma-se em uma realidade histórica. É a fonte cristalina das águas do Rio carioca. Suas águas correm, suprem as necessidades de abastecimento e chegam aos homens. Tornam-se as águas do Rio, dos escravos agueiros, dos caminhos dos aquedutos, das mães-d´água: das bicas públicas, dos chafarizes, das casas dos nobres.

Águas que molham o canto das lavadeiras nos riachos e atiçam o imaginário carioca: mulheres que delas bebiam ficavam formosas e os homens recuperavam o vigor físico. Seguindo o caminho das águas do Rio, a sabedoria divina é observada na natureza. Emerge da terra macia e fértil uma deslumbrante floresta urbana. Depois de emitidos os relatórios pelos anjos consultores de Deus, visando garantir a comunhão entre a natureza e a cultura dos seres humanos, conclui-se a Floresta que se denominou Floresta da Tijuca. Não obedecendo à ordem existente, o homem, nela, cultivou o plantio do café. A cafeicultura se espalhou rapidamente por grande parte do Maciço da Tijuca, ocasionando forte desmatamento, o que levou os barões e os senhores do café, os nobres e a crescente população da capital do Império a sentirem a ira de Deus.

Como resposta, atribui aos homens consequências desastrosas como as severas secas que atingiram o Rio de Janeiro, criando um problema periódico de falta d'água para a cidade carioca. Como se não bastasse, o governo imperial foi responsabilizado por um programa emergencial de preservação dos mananciais e do replantio das árvores da Floresta da Tijuca, seguido das desapropriações das fazendas cafeeiras da região.

Em contrapartida, o governo propôs o cultivo de um jardim, com o intuito de estimular a aclimatação e a cultura de especiarias exóticas vindas das Índias Orientais. A fluida terra desse jardim, nomeado, inicialmente, de Real Horto, Real Jardim Botânico e, finalmente, de Jardim Botânico do Rio de Janeiro, semeou-se de novas opções de plantio.

Nele, a mão de obra chinesa foi utilizada para testar a receptividade do solo carioca ao cultivo do chá. Contudo, diante da experiência marcada pelo insucesso, os chineses foram aproveitados para abrir uma via carroçável. Nesta obra, teriam feito seu acampamento onde hoje está localizada a Vista Chinesa, dando origem desta maneira a um dos mais belos mirantes da cidade do Rio.

Modernismo Carioca
São Clemente e São Sebastião, após se reunirem com os anjos fiscais das obras divinas, chegam à conclusão que devem, mesmo sabendo da conformação geográfica da cidade (constituída de elevações, lagoas e pântanos), encaminhar, para a aprovação do Conselho Deliberativo da Criação Divina, o programa urbanístico do engenheiro e prefeito Pereira Passos, que visa transformar a antiga cidade imperial em uma metrópole cosmopolita.

Sob esta ação, inicia-se no centro carioca uma grande intervenção. Em pouco tempo as picaretas do progresso abrem à cidade as vias da modernidade. Construção de grandes e largas avenidas, de praças e jardins; revitalização do cais do porto e arborização da Avenida Beira-Mar.

Entre planos estratégicos, riscos e traços, o Rio civiliza-se e é "rebatizado" de Cidade Maravilhosa. Conta-se, inclusive, que nessa época, Deus para proteger os seres aterrados, nomeou São Jorge como General da Guanabara. E salve Jorge!

Os princípios do projetar moderno, contudo, somente são aplicados nas décadas
seguintes pelo estudo urbanístico do arquiteto Alfred Agache e dos projetos do
arquiteto-paisagista Roberto Burle Marx que, entre outros, assina o projeto paisagístico do Parque do Flamengo.

Nesse contexto de grandes transformações, os belos cenários urbanos projetados e ordenados pelos novos meios técnicos do homem conjugam harmoniosamente as paisagens do Rio, possibilitando uma gestão cultural à altura do que a cidade única idealizada por Deus merece.

Música: a paisagem do Rio
A música é um dom divino. O som está por toda parte. É pura ilusão achar que a
natureza é silenciosa.
A paisagem do Rio de janeiro situa-se no horizonte musical do carioca Villa-Lobos, que incorporou o folclore brasileiro às seduções urbanas do Rio de Janeiro; e no repertório original da pianista Chiquinha Gonzaga, autora da primeira marcha carnavalesca "É Abre-Alas".

Sobre as formas populares situa-se nos "chorões" das composições de Pixinguinha e nos aspectos mais descontraídos como o samba e todas as músicas de inspiração rítmica, que descem dos morros e interagem com a cidade. A Bossa Nova, o mais carioca dos estilos musicais, é o Rio que inspira "no doce balanço a caminho do mar". É a paisagem musical que canta a paixão do carioca pelo Rio, a benção divina que, de braços abertos, ilumina a vida, a diversidade de cores e de sabores, de flertes e de olhares, e de muitos amores.
A Bossa Nova gira em 78 rotações e redescobre o Rio de Janeiro. Universaliza,
revoluciona, rompe fronteiras e leva a música do Brasil aos quatro cantos do mundo.

Rio Cidade!
Muito antes, o divino criador já anunciava: é preciso ter fé e redenção.
Cuidados com a cidade para sua preservação... Mais de 400 anos se passaram e a cidade única planejada por Deus é dominada pela Lei do mais forte, "que dita as normas e causa algumas imperfeições à cidade".

Não se vê mais o todo: a vida, as águas, a terra. A cidade cresce desordenadamente. O Homem autoriza, polui, e a "pobreza" chancela a construção em terras invadidas e em áreas inadequadas. As consequências são drásticas! Salve-se quem puder. Engarrafamentos, enchentes, deslizamentos, lixo, injustiças sociais e epidemias.

Esses efeitos chamam a atenção do nosso divino arquiteto, que intervém lançando um desafio para a cidade: no lugar do "progresso" e do crescimento ilimitado, hostil para a natureza do Rio, devem-se convocar todos os engenheiros, arquitetos e paisagistas e criar um grande planejamento para a reconstrução urbana da cidade. Isto porque, o Rio haverá de ser o responsável pela realização de dois grandes eventos mundiais.
Eis o meu desafio para garantir as condições de continuidade à vida nesta cidade.
Ser Carioca é...
Ser abençoado por Deus e bonito por natureza.
Ser carioca ou não, é se reconhecer na paisagem do Rio, nos seus morros, na sua
geografia humana e nos seus estados de espírito.
Ser carioca é sermos nós. São nossas manifestações, nossos costumes, nosso sotaque, nosso jeito de ser e nossa alegria de sermos lembrados e vistos em diversos pontos do mundo.
Ser carioca é manter a aliança divina, quando contemplamos a beleza de um pôr do sol.
É uma explosão de cores. São encantos mil. É ser blasé com a própria rotina, é sorrir para o surreal, confiando nos próprios instintos.
É ser patrimônio cultural e observar a cidade em 360 graus.
Contudo, ser carioca é torcer pela carioquíssima São Clemente, é ser o Rio que eu canto e exalto, o mesmo Rio que Deus protege e cuida lá do alto.

Créditos:
Carnavalesco: Fábio Ricardo
Pesquisa e texto: Marcos Roza
Idéia original: Mauro Chaves
Desenvolvimento do enredo: Fábio Ricardo e Marcos Roza
Revisão e copidesque: Márcia Rinaldi

Bibliografia consultada:
BOFF, Leonardo. Uma declaração: os Direitos da Mãe Terra. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 3 de mai. 2010, p. A11.
COLASANTI, Marina; PINHEIRO, Augusto Ivan de Freitas. Rio de Janeiro 360º. Rio de Janeiro: Priuli & Verlucca editori, 1997.
LODI, Maria Cristina Vereza. Dossiê da Candidatura do Rio de Janeiro a Patrimônio Mundial, na categoria "Paisagem Cultural" - IPHAN, dez. de 2009.
NEVES, Margarida de Souza. A Cidade e Paisagem. In: MARTINS, Carlos (org). Paisagem Carioca. Rio de Janeiro, MAM, 2000.


Comentários
  • Avatar
    28/05/2010 18:37:55COPA DO MUNDOMembro SRZD desde 28/05/2010

    Sensacional. Muito Show, excelente sinopse. Muito bom ler esse texto envolvente. A cada quadro um emoção. Isso é uma sinopse bem escrita. Parabéns, Fabinho e equipe, SC pelo excelente trabalho. Muito bom mesmo.

  • Avatar
    28/05/2010 18:37:55COPA DO MUNDOMembro SRZD desde 28/05/2010

    Sensacional. Muito Show, excelente sinopse. Muito bom ler esse texto envolvente. A cada quadro um emoção. Isso é uma sinopse bem escrita. Parabéns, Fabinho e equipe, SC pelo excelente trabalho. Muito bom mesmo.

  • Avatar
    28/05/2010 17:27:17lucas SimãoMembro SRZD desde 01/11/2009

    Grande texto. Sucesso total em São Clemente, com direito a "análise específica" até dos invejosos... São Clemente no Clube dos 11.

  • Avatar
    28/05/2010 17:11:59ABRAÃ?OS APERTADOSMembro SRZD desde 28/05/2010

    Muito SHOW, uma sinpse, muito SHOW São Clemente. Belíssima, gostei muito do texto. Criativa, descrita de forma interessante e diferente. Concerteza nascerá um belo samba. Parabéns Fábio e Marcos. Muito bom trabalho.

  • Avatar
    28/05/2010 14:53:47evandroMembro SRZD desde 30/01/2010

    Em tempo: "entram pra história".

  • Avatar
    28/05/2010 14:40:26evandroMembro SRZD desde 30/01/2010

    SEQUÃ?NCIA 3 â?? Termino citando um pensamento do colunista Luiz Fernando, postado recentemente no SRZD, acerca desse elemento tão importante na elaboração do carnaval: Que as escolas pensem bem em seus próximos enredos e que desrespeitem uma máxima que o futebol nos ensinou: "Pênalti é tão importante que deveria ser batido pelo presidente do clube ". Mas em escolas de samba, enredo e samba-enredo não podem ser escolhidos por apenas um nome, um dirigente ou mesmo o presidente da escola. Eles precisam ser analisados, debatidos e avaliados por um colegiado, por uma comissão de carnaval. Um enredo autoral mal pensado se torna pior que um enredo patrocinadoâ?. Infelizmente, por não observarem algo tão fundamental, enredista e carnavalesco Clementino serão responsáveis em 2011 por aquela verdade expressa no antológico samba-enredo da São Clemente 1990: â??ABRAM ESPAÃ?O NESTA PISTA E, POR FAVOR, NÃ?O INSISTA EM SABER QUEM VEM AÍ!

  • Avatar
    28/05/2010 11:40:00Ricardo BrasilMembro SRZD desde 22/12/2009

    Salve "Seu Roza". Excelente texto. Mais uma excelente sinopse. Parabéns família São Clemente, rumo ao carnaval 2011.

  • Avatar
    28/05/2010 11:19:01Leo da BaterilhaMembro SRZD desde 03/03/2010

    Lula, claro que futebol, samba e carnaval sempre participarão do enredo, mas eu acho que ele devia exaltar mais estas três coisas. Concordo também que o Fábio está entre os três melhores carnavalescos da atualidade, juntamente com o Paulo Barros da Unidos da Tijuca e o Alex de Souza da minha querida União da Ilha.

  • Avatar
    27/05/2010 23:07:39LULA DO AxÃ?Membro SRZD desde 27/05/2010

    Samba, Futebol e Carnaval é no Enredos deles, ou no de quem quizer. O Rio da SC tem assinatura de um carnavalesco CRIATIVO. Ã? diferente, é inteligente. Sai da frente lá vem SC com muito axé e humildade. Carnaval 2011 já. Se liga leo

  • Avatar
    27/05/2010 20:57:22Leo da BaterilhaMembro SRZD desde 03/03/2010

    Bom, eu estava esperando a sinopse para comentar. No começo, quando foi divulgado o nome do enredo eu achei que seria aquela mesmice, mas, quando saiu a sinopse, percebi que não era tão repetido assim. Gostei muito da sinopse, bela e criativa, mas acho que o Fábio pecou em uma coisa, exagerou nos planos divino e acabou esquecendo de falar mais sobre samba e futebol, pois são de grandes destaques no Rio de Janeiro, além disso, falando de futebol ele poderia puxar para o lado da Copa do Mundo e das Olimpíadas que serão realizadas aqui no Rio de Janeiro, mas, vamos ver na hora né.

  • Avatar
    27/05/2010 19:11:26Rafael RamosMembro SRZD desde 15/09/2009

    Gostei da sinopse, o Fábio vai ter a chance de mostrar todo o seu talento no grupo especial, talentosissimo como ele é, temos que esperar um grande desfile da SC, enredos sobre o Rio de janeiro sao batidos e eficientes, ate pq sempre geram otimos sambas, parabens!

  • Avatar
    27/05/2010 15:56:37CarmemMembro SRZD desde 30/10/2009

    Cara de tudo, cara de pau, cara de santo, cara de samba, cara nova de SC, cara de Fabinho. Enredo bem desenvolvido, bem escrito. RJ é isso, pode ser visto, falado, cantado de todas as maneiras. Acho que o Fábio Ricardo vai mais uma vez calar a Avenida com seu brilhantismo. Por ser a SC e por ser o carnavalesco Fabinho a Escola de Botafogo será uma das mais aguardadas nesse carnaval. SC quer provar que não é iôiô e o Fabinho que carimbar o seu passaporte definitivo entre os melhores carnavalescos da atualidade. Uma química certa e perfeita. Torço muito pelo carnaval do Rio, pelas pessoas boas que (com dificuldade) ainda encontramos no carnaval, pelo processo de trabalho de todos os segmentos, pela garra de uma escola, pela alegria de está na Avenida assistindo, desfilando, falando com as pessoas. Nossa como é bom. Como amo tudo isso. Sou sim carnavalesca de coração, de corpo e alma. Por tudo isso respeito o trabalho da SC, do Fabinho e da sua equipe. Respeito e torço por este enredo e por todos os outros enredos que enaltecerão e farão a nossa festa do carnaval do Rio. Mais uma vez parabéns Fábio e SC pela sinopse. Muito sucesso no carnaval 2011.

  • Avatar
    27/05/2010 10:59:28ClaudioMarceloMembro SRZD desde 27/05/2010

    Uma sinopse excelente, correta. Texto muito bem escrito, parabéns ao autor. Mas o tema do enredo eu não gostei. Rio já passou muito. Espero q o Fábio brilhe com sua criatividade.

  • Avatar
    27/05/2010 08:41:51Oswaldo Fernandes FilhoMembro SRZD desde 09/04/2009

    UMA VERDADEIRA PONTE PARA NO FINAL FALAR DA CIDADE SEDE DA COPA E OLIMPIADAS, CONFESSO QUE ESPERAVA BEM MAIS.

  • Avatar
    27/05/2010 00:46:44GeraldinoMembro SRZD desde 03/11/2009

    Li e gostei muito da sinopse da São Clemente. Como tem entendidos de planatão por aqui, meu povo. SC vai surpreender concerteza ao lado da U.da Ilha. lá vem São Cre Cre Cre, belíssimo texto.

Comentar