SRZD


04/09/2010 02h12

Fantasia da bateria da Mocidade rouba a cena durante festa dos protótipos
Ramiro Costa

Conhecida pelo seu ritmo "quente" e a que bate melhor no carnaval, a bateria da Mocidade não vai apenas chamar a atenção do público pelas suas bossas e paradinhas, mas também pela fantasia. O carnavalesco Cid Carvalho projetou uma roupa que representa Fauno. Na mitologia romana, ele é o deus dos campos. A criatura seria metade humana e metade bode. Dessa forma, os ritmistas vão usar uma máscara, que tem um chifre pequeno, orelhas alongadas e uma barba. Nas pernas, um material para se assemelhar o mais parecido possível com uma pele de bode. Mas o que mais chamou a atenção foi o calçado,  projetado para lembrar uma pata de animal. A impressão que se tem é que os ritmistas estarão alguns centímetros acima do chão.

A fantasia arrancou muitos aplausos do público que esteve na festa dos protótipos da Mocidade para o carnaval 2011, realizada na Cidade do Samba. Restrito a convidados, o evento seguiu a "nova tendência" das escolas, ou seja, foi proibido filmar ou fotografar no local. Com o enredo, a "Parábola dos Divinos Semeadores", a Mocidade pretende contar a história da relação do homem com a terra através das suas festas populares. O evento não contou com a presença da senadora e presidente da Confederação Nacional de Agricultura (CNA), Kátia Abreu. A entidade está patrocinando a escola da Vila Vintém este ano. 

De maneira geral, as fantasias da Mocidade ganharam bem mais volume. Para evitar que elas se transformassem em verdadeiras "cangalhas", Cid Carvalho usou e abusou de fitas e muito pano e além disso, deixou de lado materiais como ferro e arame. 

- É o maior conjunto de fantasias que fiz. Mas elas não podem virar cangalhas. Você tem que ter um truque e saber usar - disse o artista que realiza o seu terceiro carnaval na escola, sendo o segundo consecutivo.

O carnavalesco também "explorou" o colorido nas fantasias. No primeiro setor, onde a palha era um dos elementos mais vistos nas roupas, Cid Carvalho usou branco, amarelo, vermelho, laranja, verde e branco nas fantasias da "água misteriosa", "as riquezas do solo", "o poder dos trovões e do fogo", "a energia dos raios e tempestade", "a fartura da mata" e a "maior de todas as energias", respectivamente. No segundo setor, as fantasias perderam um pouco de volume para representar o Egito. No entanto, o colorido não foi deixado de lado e se manteve até o último setor da escola.

-  Eu fiz o carnaval da Mocidade com bastante cor, alegre, colorido. É a nossa proposta de carnaval - explicou Cid.

Marca dos últimos carnavais de Cid Carvalho, o humor debochado estava nas fantasias do Deus Dionísio para os grecos ou Baco para os romanos e na roupa "homem se veste mulher". As duas no terceiro setor sobre a Grécia. Antes de chegar ao Brasil, o enredo ainda passa pelo carnaval europeu com o baile de máscaras, com destaque para as fantasias "cavalheiros" e "damas". Ali, como em outras roupas, as plumas foram bem exploradas além de muitas indumentárias para cobrir a cabeça. Quem quiser acompanhar o carnaval deste na Mocidade, terá que esticar o pescoço, já que as fantasias ganharam alguns metros de altura, com as indumentárias. 

Em seguida, o sexto setor mostra as festas populares no Brasil, como as comemorações de São João, a cavalhada e a festa da uva. Destaques para o uso de muitas fitas, panos e materiais baratos, dando um tom bastante colorido nas roupas.  O último setor abre com um grande baile onde estão representados vários personagens típicos do carnaval.  No fim, Cid Carvalho apresentou a fantasia das baianas. Como o SRZD-Carnavalesco adiantou, as senhoras da Vila Vintém representam as "geleiras". A roupa branca com adornos que lembram neve não gerou o impacto esperado que as outras fantasias.

Mesmo assim, uma boa notícia para os torcedores da Mocidade. Segundo o carnavalesco, dois carros alegóricos já estão na ferragem. Agora é esperar que os presidentes das alas comerciais mantenham fielmente os protótipos idealizados pelo carnavalesco. Por outro lado, a diretoria deve fazer o mesmo com as roupas da comunidade. É mais um passo importante que a Mocidade precisar dar para reencontrar seus tempos mais gloriosos. O primeiro já foi dado. 


Veja mais sobre:Grupo Especial